6 de janeiro de 2009

Livro Vida indefinida: Capítulo 10

Capítulo 10- O desastre

Estávamos todos na praia e o Sol estava nascendo e foi quando percebemos: High estava correndo em nossa direção. Estávamos todos reunidos: Packet, Juliet, Carmen, Stall e eu, sentados na areia da praia conversando.

-O que foi?- perguntou Stall.

-Rápido gente!- disse High em pânico- Gabriel esta no mar, mas não parece bem!

-Não é novidade- disse Juliet- ele está bêbado.

-Mas parece que a correnteza esta puxando ele para as pedras!- disse High em desespero.

Começamos a correr em direção as pedras. “As pedras” era um local, que tinha nada mais nada menos que pedras, mas isso era no canto esquerdo da praia e bem distante da areia.

-Como ele foi para lá?- perguntou Packet.

-Ele falou para uma menina, bêbada como ele, que ele sabia surfar- disse High- então ela emprestou a prancha de um amigo e duvidou que ele sabia surfar. O resto vocês já devem imaginar. Agora ele esta sendo puxado pela correnteza em direção “as pedras”, mas não sabe disso porque esta desorientado.

- E como você não esta?- eu perguntei curioso.

-Parei de beber a um bom tempo- disse High- Mas Gabriel bebeu a noite inteira. Não sei o que aconteceu com ele para ele ficar desse jeito.

-Nós não sabemos como vocês ficaram assim!- disse Carmen com raiva- nós não pensávamos que vocês eram capazes de ficarem bêbados e beijassem a primeira menina que aparecessem pela frente.

-Desculpa gente- disse High- acho que era o lugar. Parecia o paraíso.

- Mas não era e você sabe disso!- disse Stall.

-Parem de falar e vamos loco- disse Carmen com um voz irritada e como se estávamos enrolando.

Chegamos “as pedras”. Gabriel estava como High falou. Desorientado, em cima de uma prancha amarela e indo em direção “as pedras”. A correnteza puxava algumas vezes para esquerda e outras para o mar. Vimos quatro pranchas na areia. Não demorou muito, Stall, Juliet, High e Carmen pegaram as pranchas e foram em direção à Gabriel. Eu não poderia deixar Packet sozinha. Prometi ao pai dela. Mas tudo era possível de se ver. Eles estavam chegando perto de Gabriel, mas era tarde. Gabriel chegou “as pedras” e bateu a cabeça. Agora estava em cima da prancha. Desacordado.

-Gabriel!- berrou Carmen.

Começaram a nadar cada vez mais rápidos, mas a correnteza tinha puxado Gabriel para longe de todos. Enquanto eles voltavam, Packet e eu fomos até a delegacia.

-Policial- eu disse- meu amigo bateu a cabeça “nas pedras” e agora esta inconsciente e indo em direção ao mar. Mande alguma coisa para lá...

-Calma menino! Vamos mandar um barco e uma busca por helicóptero tá bom?-disse o policial.

Mas isso demorou duas horas. Os barcos e helicópteros estavam buscando pelo noivo da moça que apareceu no jornal da noite. Todos estavam reunidos na delegacia. Até os pais de High. Eles brigaram com High, mas não brigaram com resto de nós, pelo fato de não termos bebido. O delegado chegou e todos nos levantamos.

-Até agora não temos notícias do menino- disse o delegado- mas a busca ainda continua.

-Até quando vai durar?- disse Carmen desesperada.

-Podem durar meses ou semanas -disse o delegado- parece que a correnteza estava muito forte. Ele pode estar numa ilha ou algo assim.

-Vocês têm que achá-lo- disse Stall- Procurem em qualquer lugar!

-Estamos procurando-disse o delegado- agora só precisa ter paciência. Voltem semana que vêm.

Ficamos mais uma semana em Riviera de Rush, embora após a bebedeira, os pais de High decidiram ir embora imediatamente. Os dias foram quietos e com poucas palavras. Até mesmo entre mim e Packet e Stall e Juliet. Carmen estava mais arrasada que todos. Chorava todos os dias. High foi transferido para a escola particular de Brokks. Seus pais acharam que era melhor para ele ter consciência das coisas, já que nós não bebemos nada.

Voltamos à delegacia.

-Ainda não achamos o menino-disse o delegado- mas a busca continua. Estão visitando as ilhas próximas da Riviera. É melhor vocês irem para as suas casas. Deixem seus telefonesno balcão e ligaremos se descobrirmos alguma coisa.

Agora tínhamos que contar aos pais de Gabriel a verdade. Sua mãe ficou aterrorizada. Começou a chorar muito e começou a tomar remédios desde então. O pai de Gabriel fez a mesma coisa, mas seus remédios eram mais fortes que de sua mulher. Afinal, ele era filho único do casal.

Voltamos para Brokks. A viagem ficou no mesmo silêncio que permanecia na casa.  As notícias acabaram na televisão. Pessoas e mais pessoas ligavam para minha casa e para a casa de meus amigos para saber o que houve. Não sabíamos como passaríamos o final de nossas férias, mas a verdade era dura. Gabriel poderia nunca mais voltar.

A mãe de Gabriel ligou para nossa casa. Era uma terça-feira. O tempo estava nublado. Minha mãe chorava pela perda de Gabriel e meu pai sofria pela perda, mas não chegava a chorar. Minha irmã levou seu namorado para nossa casa naquele dia. O namorado era ninguém menos que o médico dos hospital que eu fiquei no dia da briga.

- Oi Vera- disse minha mãe- Como vão as coisas?- “Precisava perguntar?” pensei.

  -Ruins- disse Vera silenciosamente e chorando- Rob e eu decidimos fazer um funeral para Gabriel.

-Mas ele pode ser achado!- disse minha mãe com esperança.

-As chances são pequenas- disse Vera- o delegado mesmo disse.

-Bem- disse minha mãe- e quando vai ser?

-Sábado- respondeu Vera- às três da tarde.

-Estaremos todos lá- disse minha mãe- Tchau Vera.

-Tchau Eliza- disse Vera.

Soube da novidades e comuniquei a todos os meus amigos. Naquele sábado daríamos nossas últimas honras à nosso amigo. Carmen estava mais arrasada que todos. Ficou dias sem sair de seu quarto e às vezes não comia. Ninguém sabia que na verdade ela era apaixonada por Gabriel.

Capítulo 11- O funeral permanente.

4 comentários:

FM disse...

Tive um amigo q tb morreu no mar.

Realmente, é um desespero muito grande até encontrarem o corpo.

FELIPE G2 disse...

sério?
nossa meu pessames...
acharam o corpo?
vc nem sabe o que tem pela frente no livro...várias surpresas...

FM disse...

Acharam...


Umas semanas depois.


E bem.. imagino q Gabriel ainda está vivo tipo "Lost"... heheeh

FELIPE G2 disse...

Termina de ler q vc descobre...

:D