21 de março de 2009

Clube da Luta- Um estranho bom filme



Eu nem gostei nem odiei “Clube da Luta”. Eu acho o filme interessante. Acho que, talvez, seja por alguns fatos que eu gostei outros que eu não gostei que acaba neutralizando o filme.

A primeira hora do filme é lenta e cansativa. Um cara com insônia, interpretado por Edawrd Norton, começa a ir aos lugares que tem gente morrendo para poder chorar e finalmente conseguir dormir. Mas uma mulher aparece, interpretada pela mulher do Tim Burton e que é a Belatrix Lestrange da série Harry Potter: Helena Bonham Carter. Ela (a atriz) é meio louca (sem querer ofender). O jeito dela, o cabelo dela é muito estranho (assim como seu marido. Oi Tim). Por essas razões nunca vi ela agir de forma tão natural num filme como ela interpretou em "Sweeney Todd" e agora em “Clube da Luta”. A personagem, Marla Singer, é estranha que nem a sua intérprete. Achei isso muito bom (para a atriz e para o meu entretenimento).

              

        Num belo dia durante seu trabalho, o personagem de Norton encontra Tyler Durten, interpretado por Brad Pitt (mulheres se contenham) e os dois ficam amigos e criam o "Clube da Luta". Após a casa do personagem de Norton queimar, os dois começam a morar juntos. Marla descobre o telefone de Norton e liga para ele. Nisso, o personagem de Norton não desliga o telefone e deixa ele em cima do orelhão (sim, dentro da casa o telefone é o orelhão). Nisso o personagem de Pitt atende ao telefone e os dois começam a sair.

        Já falarei uma coisa: não gosto de filmes que interage com o público. Na hora que ele apresenta Tyler e quando ele fala com o público me deixou muito irritado (sim, esse é um dos motivos por não gostar de Violência Gratuita). Acho que os filmes tem que se focar na história deles e não na nossa.

        A segunda parte do filme é a mais divertida e rápida (o que faz valer apena ver as primeiras horas do filme). O grupo fica maior, começa terrorismo, planos e o melhor de tudo: o personagem de Norton não pode saber de nada porque a regra é “nunca falar sobre o projeto”.

        Estranho, divertido, lento, rápido, faz de “Clube da Luta” um bom filme. Estranho, mas ao mesmo tempo um bom filme.

2 comentários:

Anônimo disse...

u filme eh mtu bom .. vc que eh chatinho pra isso... e eu quero meu dvd :D
...Tyler Durten, interpretado por Brad Pitt (mulheres se contenham).. tah era pra ser engraçado ..mais naum ri ¬¬'...

:*

FELIPE G2 disse...

Anonimo (leticia... cof..cof) que bom que você acha o filme muito bom, mas como eu disse, tem certas coisas que eu não gostei, como o fato da primeira parte ser cansativa e a hora que ele fala com o público...