11 de abril de 2009

Conto de Terror

        Está tendo um concurso de contos de terror. O objetivo é crrar um conto de terror que se passe na festa de formatura. Então eu mandei o meu e agora estou publicando no blog. Espero que vocês gostem:

Convite para o baile

               Elizabeth Gorgin era uma garota muito ingênua. Loira, de olhos verde-claros e extremamente magra, Elizabeth era declarada a garota mais bonita da escola. Ela achava que era a mais bela e, por isso seu par para o baile deveria ser o garoto perfeito. Todos os meninos, até mesmo os populares, foram recusados.          

-Não- ela dizia para todos. Virava-se e continuava a andar pelo corredor. Todas as pessoas da escola começavam a rir dos garotos que Elizabeth rejeitava.

Até que chegou o dia. Um moreno, alto, de olhos azuis-escuros, usando uma jaqueta, um jeans e um tênis, todos da cor preta, chegou perto dela no corredor da escola. Elizabeth não conseguia resistir e nem mesmo pensar direito. O cheiro, a beleza, sua boa forma, seu jeito, os dentes dele eram perfeitos. Ele era sem dúvida o escolhido para a festa.

               -Oi. Sou Vinzet Gill. Gostaria de te convidar para a festa de formatura. Você gostaria?

               -Claro- disse Elizabeth.

               Então eles foram para o baile. Músicas, bebidas, pessoas conhecidas estavam espalhados pelo local, que estava completamente luminoso. Eles beberam, receberam o prêmio de rei e rainha do baile e dançaram até não poder mais.

- Sabia que você é muito bonita?- perguntou Vinzet elogiando a bela Elizabeth enquanto dançavam- é a garota mais bonita que vi em toa minha vida.

               - Para com isso- respondeu Elizabeth totalmente constrangida.

               - Quero te levar num lugar, mas você tem que ficar vendada. - disse Vinzet- Você gostaria de ir?

               - Claro- respondeu Elizabeth.

               Ela ouviu vários barulhos. Buzinas de carros, bocejadas, trocas de marcha, coceiras, portões se abrindo, até que finalmente Vinzet tirou o pano preto cobrindo os olhos de Elizabeth. Eles estavam de frente para uma árvore com formato diferente, sem folhas e alguns galos, que eram extremamente pequenos. Um grande portão com uma luz vermelha estava aberto dentro dela, exatamente no meio.

               - O que é isso?- Elizabeth perguntou.

               -A minha festa de formatura- respondeu Vinzet.

               Foi quando Elizabeth percebeu o erro que tinha cometido. Vinzet não tinha nenhuma carne, veia, nem mesmo sangue. Estava usando uma capa grande e preta e utilizava o capuz. Sua cara, suas mãos, seus pés estavam completamente esqueléticos. Ela tinha aceitado um convite para a festa de formatura da própria Morte.

6 comentários:

Mirella Santos disse...

bem posso dizer uma coisa mais vc tem que prometer que não vai ficar chateado? se for eh melhor eu nem falar

FELIPE G2 disse...

Pode falar... aceito comentários...

Mirella Santos disse...

é assim Felipe sempre admirei como vc escreve e vc sabe disso não é?!
Bem gostei do final mas quase o conto todo não prende a atenção (aprendi na oitava série) um conto de terror tem que ter um começo alegre (alegre que eu digo é tipo um normal sem nada diferente)um meio intrigante e u final surpreendente seu final até que foi bom um pouco confuso mas ficou bom o lance é deixar dúvidas sobre a estória na cabeça de quem lê, desculpa se falei alguma coisa que vc não gostou só é a minha opinião que não vai valer muita coisa na sua escola

FELIPE G2 disse...

Magina.. crítica sempre são sempre construtivas, desde que sejam inteligentes, e no seu caso foi... valeu..
=D

Kerollen Gama disse...

muito legal eu achei essa historia.

Kerollen Gama disse...

muito legal eu achei essa historia.