9 de abril de 2009

Livro II- Cap 10

             Capítulo 10- A realização da visão

            Abri a porta do quarto. Todas as luzes estavam apagadas e velas estavam espalhadas por todos os lados. A cama dos Giving era enorme. Poderiam caber cinco pessoas naquela cama e ainda sobrava espaço. Uma música lenta, sem melodia alguma estava tocando no Cd Player.

            De repente a porta do banheiro abriu.

            Packet estava usando um roupão vermelho de seda. Ela se encostou à porta e me perguntou:

            - Pensei que você não chegaria nunca.

            -Desculpe por tudo que eu...

            Packet veio na minha direção e colocou seus dedos em meus lábios.

            -Você me ama?- Packet perguntou.

            -Claro que amo- respondi- e foi por isso que não disse nada para você. Quero te proteger.

            - Me proteger do que?- Packet agora ficou um pouco nervosa e se distanciou um pouco.

            - Do que eu vi na visão de Carmen- respondi- é terrível.

            - O que acontece comigo?- Packet perguntou- O quê?

            -Alguém- fiz uma pequena pausa. Não conseguia parar de relembrar na cena- estava te estuprando.

            Packet deu uma risada. “Eu preocupado com ela e ela rindo da minha cara” pensei furioso.

            -Aqui- ela disse- só está você e eu. Nada vai acontecer.

            E ela começou a me beijar. Ficamos nos beijando até chegar à cama. Quando me dei conta estávamos dentro dos lençóis, trocando carícias e beijos.

            -Você trouxe proteção?- ela me perguntou.

            - Não trouxe nenhuma arma- respondi. “Besta” pensei.

            -Não- Packet riu- Tudo bem, eu trouxe.

            E começamos a tirar nossas roupas. Embaixo do roupão Packet estava usando lingerie de seda vermelha, extremamente sedutor, meia-calça e saltos vermelhos. “Pelo visto ela gosta de vermelho” pensei. A cada roupa que eu tirava de Packet ela tirava duas de mim até ficarmos completamente nus debaixo dos lençóis. A troca de prazeres era completamente evidente. Toda a história que tinha ocorrido foi apagada e voltamos a ter a paixão que foi esquecida desde aquela noite.

            - Diga alguma coisa- disse Packet.

            - Peixe- respondi. Não estava pensando muito. Não era um momento para pensar. “Será que ela não me conhecia?” pensei.

            -Cala boca me beija- disse Packet.

            Logo obedeci. Continuávamos nos lençóis. Parecia que toda a casa estava em silêncio e todos nossos amigos nem tinham notado nossa existência e vice-versa. Parecia que estávamos numa casa numa ilha paradisíaca. Ela só tinha duas pessoas: Packet e eu.

            -Nossa- disse Packet- isso é muito bom. Deveríamos fazer mais vezes.

            -Deveríamos- respondi, mas o som não saiu pela minha boca.

Na verdade comecei a ver tudo embaçado. Não conseguia controlar nenhum dos meus movimentos. Tudo estava se movendo, mas eu não sentia nada. É como se eu estivesse tendo a mesma sensação que passei quando vi a visão de Carmen e não consegui impedi-la.

-Packet!- gritava, mas nada acontecia.

De repente fiquei numa sala escura. Continuava a ver a cena de Packet e eu no quarto, como seu houvesse uma grande televisão grudada na parede. E foi quando percebi que a grande televisão era meus olhos e que eu estava dentro de minha própria mente.

- É estranho não é?- disse o vulto- Ouvi disser que a sensação é horrível.

-Quem é você?- perguntei- O que esta acontecendo?

-Tudo em seu devido momento- disse o vulto- Agora gostaria que você se sentasse.

Assim que ele acabou de falar, uma luz apareceu e iluminou duas cadeiras de madeira em volta de uma mesa pequena de plástico. 

-Não vou me sentar coisa nenhuma- gritei raivoso e apontei meu dedo indicador para a televisão- era para eu estar com Packet!

-Se você não se sentar- disse o vulto- posso realizar a visão de sua querida namorada mais rapidamente. Agora senta!

3 comentários:

Mistérios, Magias ou Milagres. disse...

Nossaaaaaaaaaa adorei, seu pensar e sentir é maravilhoso.

FELIPE G2 disse...

Que bom que você gostou do meu livro. O blog está meio parado, então ficaria muito feliz se voce o divulgasse (e todos que lerem esse comentário)

Mirella Santos disse...

se seu blog está parado imagina o meu mas realmente no livro vc acertou mesmo