14 de abril de 2009

LIVRO II- Cap 12

Capítulo 12- A primeira pista

Embora não saísse da minha cabeça, as vozes repetindo “vinte e quarto horas” começavam a me incomodar, me deixando nervoso e em certos momentos, paranóico.

Li livros e livros, mas nenhum conseguia me guiar. Uns falavam que fantasmas ficavam apenas uma noite da Terra, algo que descartei logo de cara. Outro falava que os fantasmas eram inofensivos, outra coisa que descartei logo de cara.

Onze horas da manhã. O relógio digital na parede da biblioteca ficava cada vez mais lento. Sem resposta alguma, o tempo não passaria e eu acabaria causando a morte de todos e o pior: se ele me possuísse, seria tudo minha culpa.

Todos estavam na piscina se divertindo, mas não eu. Eu estava ali, pronto para salvar todos, ou pelo menos tentar.

Mais e mais livros. Um livro falou que os fantasmas podem passar a controlar a mente de pessoas fracas e os únicos sobreviventes se mataram logo que descobriram a resposta, algo que achei completamente egoísta. Afinal, o que custa dar uma pista?

Meio dia. Hora do almoço.

Todos foram para a cozinha, comer uma bela lasanha. Eu fui junto claro. Comida era algo que eu precisava, já que estava quase caindo de tanto sono.

“Sonho” pensei. Tenho que revê-lo. Afinal, pistas podem estar espalhadas por ele.

- Oi Bellks!- todos gritaram de felicidade- você não quer assistir um filme depois do almoço?

-Não posso- respondi- estou lendo alguns livros.

-Alguns livros é pouco- disse Packet indignada. Acho que minha saída sem explicação depois da noite que tivemos a deixou irritada- eu vi a pilha pela janela da biblioteca.

-É uma surpresa- respondi- que quero fazer para todos vocês. Mas então, voltando ao assunto do filme, qual filme vocês verão?

- Peixe Grande e suas histórias maravilhosas do Burton- respondeu Stall- mas ainda prefiro Edward mãos de tesoura.

- Eu prefiro mais A fantástica fábrica de chocolate- disse Juliet- meu filme preferido.

-Você tem todos os filmes dele?- perguntei para Stall.

-Sim- respondeu Stall- tenho a coleção completa.

-E por acaso- fiz uma pequena pausa para comer um pedaço da lasanha, que por sinal estava muito boa- A noiva cadáver?

-Sim- respondeu- tenho todos.

-Eu prefiro Marte Ataca- disse High.

Todos começaram a rir e foi quando eu pensei: “Uma pista falsa” ele me disse. “Não são apenas livros. Filmes também podem dar pistas”, pensei. Poderia eu ter perdido todo o meu tempo na biblioteca?

-O meu preferido é...

- Os fantasmas se divertem- interrompi Carmen.

-Esse mesmo- ela disse. Desde que Gabriel voltou, Carmen estava sorrindo cada vez mais- como você...

-Stall- fiz uma pequena pausa para pegar mais um pedaço da lasanha, já que não comeria mais- o filme está lá em cima?

-Sim

Ele nem terminou de falar eu sai correndo para a sala de televisão.

-Se você fizer alguma coisa com meu filme eu te mato!- gritou Stall.

-Não se algo te matar primeiro- sussurrei para mim.

Coloquei o filme e logo descobri a primeira pista. O vulto vinha de um portal. “Mas seria o mesmo portal do filme?” pensei. Não importa. Ele não disse que tinha que especificar o local exato, só disse de onde.

            Comecei a ver a coleção de filmes que tinha na sala e também a coleção de filmes de Stall. “Os outros”, “O sexto sentido”, “Gasparzinho”, “Ghost”, mas nenhum dava uma novidade, além é claro, de que eu via gente morta.

            Começou a escurecer e sai correndo para a biblioteca.

            “Pelo visto eles não quiseram ver o filme” pensei enquanto estava descendo as escadas.

            E foi quando eu abri a porta da biblioteca que eu percebi que meu pensamento estava completamente certo. Todos estavam sentados nas cadeiras confortáveis da biblioteca, provavelmente me esperando. Packet se levantou da cadeira e todos fizeram o mesmo.

            -Belkks- Packet disse vindo em minha direção- precisamos ter uma pequena conversa.

            E foi quando eu percebi. Packet e os outros não estavam normais, nem menos pareciam estar.

            -Vamos brincar- disse High- você não nos acompanha em nossas brincadeiras.

            Comecei a andar para trás devagar. Logo percebi: todos estavam com alguma coisa nas mãos, escondidas atrás de suas costas, mas o reflexo na janela mostrava tudo. High estava com um martelo. Stall com um cano. Juliet com uma faca. Gabriel com uma espada, que era muito bonita, mas não muito atraente no momento. Carmen estava com uma corda como se algum pescoço estivesse ali. E Packet. Minha bela namorada estava com nada mais nada menos do que um afiado e perigoso machado.

            “Se eu fosse você eu corria”, disse o vulto em minha mente. E foi o que eu fiz. 

Nenhum comentário: