24 de junho de 2009

LIVRO III- Capítulo 1

Capítulo 1- O primeiro desafio

Agora dava para ver o túnel completamente. Era imenso e escuro. Do vazio flutuante surgiu um barco preto à vela. Dentro deste barco estava uma bela mulher, alta, forte, de cabelos morenos usando um capuz preto segurando o timão do barco. Meus amigos e eu ainda estávamos flutuando no vazio do túnel.

-Entrem- disse a mulher.

Assim que ela terminou de falar, uma corda bege imensa apareceu, uma corda que dava para o barco. Cada um se segurou na corda e começou a puxá-la para chegar até o barco. Assim que Juliet entrou no barco e todos estavam finalmente à bordo, a mulher virou-se para Bellks.

-Qual o destino mestre, por favor?- perguntou a mulher.

-Mente- respondeu Bellks.

-Então sentem-se por favor- respondeu a moça e neste exato minuto um assento, parecido com o de uma montanha-russa surgiu do chão. Todos se sentaram e todos estavam nervosos.

-Todos se sentaram?- perguntou a mulher olhando para frente do barco e de costas para todos. Foi então que perceberam que a mulher tinha uma enorme corcunda em suas costas.

-Sim- respondeu Stall.

E uma trava prateada agora segurava todos. Juliet, High, Stall, Carmen, Gabriel e Bellks. O barco estava voando no vazio flutuante do túnel num trilho inexistente. Luzes roxas, azuis, verdes e praticamente todas as cores apareciam nas bordas do túnel. A velocidade do barco ficava cada vez mais veloz.

-Aqui será seu primeiro desafio mestre!- gritou a mulher.

-Como assim?- perguntou Bellks.

-Você tem medo de velocidade ou de altura?- perguntou Carmen.

-Nem de um nem do outro- Bellks respondeu.

E foi então que apareceu o primeiro desafio: o túnel ficava no formato de loopins e parafusos, como se fosse uma verdadeira montanha-russa. Loopins e loopins surgiam um atrás do outro com parafusos intermináveis.

-Este é um dos seus maiores medos?- perguntou High.

-Não! Apenas tenho medo dos loopins e dos parafusos e só. Não são meus maiores medos- gritou Bellk- Mas tenho um medo do ca...

-Os seus desafios começam com coisas banais mestre!- interrompeu a mulher- cada vez que um desafio é superado, um pior surgirá.

-Que beleza!- gritou Bellks- agora sim estou ferrado.

A velocidade começou a ficar mais estabilizada e todos começaram a respirar profundamente, algo que não conseguiram fazer em momento algum durante o percurso.

-Acabou?- Juliet perguntou- Porque eu quero sair! Não estou aguentando.

-Está quase acabando- disse a mulher.

-Que bom- Bellks respondeu apavorado de tudo o que tinha passado por ele. Mas ele nem sabia pelo que esperava.

-O que é aquilo?- perguntou High.

E foi quando todos perceberam: uma parede de concreto apareceu no final do túnel e não havia saída nenhuma pelas laterais.

-Vamos bater!- gritou Gabriel.

-Acalmem-se- disse a mulher- não iremos para frente. Estamos quase acabando.

-Como assim não vamos para frente?- gritou Stall.

- Nós vamos para baixo- respondeu a mulher.

Assim que chegavam mais perto do fim do túnel, mais dava para ver a queda livre. Não havia trilhos, nem uma ponte, não havia nada. Apenas uma queda livre, como se eles fossem pular de uma cachoeira.

-Eu quero sair!- gritou Carmen.

-Muito tarde para isso!- gritou a mulher dando uma risada maléfica, como se fosse uma bruxa. Assim que a mulher acabou de falar ela começou a cantar:

A vida e a morte nos encontrarão

Para Dave Jones nossas vidas irão

Está chovendo? Está sol?

Não importa mais

Pelo furacão iremos passar

E o fim da vida iremos encontrar

-Pare de cantar!- gritou Stall- você está deixando minha namorada em pânico!

-Como quiser- disse a mulher- porque lá vamos nós!

Embora não houvesse trilhos, o barco caiu numa direção linear e perpendicular. Parecia que eles estavam num avião no alto da atmosfera caindo em direção a Terra. A velocidade era impressionantemente rápida. Parecia que o tempo não acabava e ficaria assim por cinco minutos seguidos, sem nenhuma pausa, sem nenhuma reta.

-Nós vamos morrer!- gritou Bellks.

Os pés da mulher não saiam do chão de jeito nenhum, como se ela estivesse grudada no barco.

E mais uma série de loopins e parafusos apareciam e agora eles passavam por todos numa velocidade altíssima! As faixas de luzes começaram a ficar mais fortes e a velocidade começava a diminuir.

-Agora sim estamos chegando!- disse a mulher soltando a risada de uma bruxa maléfica.

Neste momento eles viram o fim do túnel, porém era uma grande parede de concreto e quando chegaram perto o suficiente notaram que dessa vez não havia queda e os gritos começaram a ficar cada vez mais agudos.

-Chegamos!- gritou mulher.

O barco estava intacto, porém a parede de concreto estava completamente destruída. Trilhos parecidos com de trens surgiram e os grito pararam. Todos ficaram calmos. Parecia que estavam num deserto e o navio era um trem. Sob os trilhos o barco ia em direção à cidade.

-Ainda bem que acabou- disse Gabriel.

Neste exato momento, Stall vomitou.

-Que nojo- disse Carmen

-Pessoal olhe!- gritou Bellks.

Eles estavam chegando perto de uma cidade cheia de casas e prédios, arenas de gladiadores, hotéis, parques de diversão, shoppings, porém não havia ninguém na cidade. Nem uma só alma penada. O sol era vermelho, puro sangue e não havia uma nuvem do céu azul

Os trilhos acabavam nas portas de um dos hotéis, com um nome simples: “Primeira parada”. O barco parou completamente e uma prancha desceu até o chão. Todos estavam tontos e desnorteados.

-Espero que todos tenham gostado- disse a mulher.

Todos saíram numa fila indiana. No meio da prancha, High estava tão desnorteado que acabou caindo e indo de três metros ao encontro do chão. Todos correram e foram na direção de High.

-Estou bem!- disse High surpreso- não sinto nenhuma dor.

-Porque esta não é sua mente!- disse Sky surgindo da porta do hotel- assim que vocês entraram na cidade vocês não sentem nada que seja doloroso. Apenas Bellks.

Bellks ainda não sabia direito o que estava acontecendo. Estava num mundo irreal, porém parecia extremamente normal para ele. Era exatamente o mundo que ele imaginava quando era criança, exceto pela parte do deserto.

- Agora quero apenas descansar- disse Bellks.

-Infelizmente isso não poderá ocorrer- disse Sky- temos uma reunião daqui a pouco com o conselho. Vamos que estamos atrasados.

3 comentários:

Leh disse...

"Apenas tenho medo dos loopins e dos parafusos e só."

na boa .. Bellks é vc .. adimite logo!

FELIPE G2 disse...

Eu uso algumas características minhas, lógico, mas pego outras também. Além do mais, tem muita coisa que ele faz que eu não faria...

Leh disse...

posso enumerar varias ;D

mais que eh vc eh.