2 de julho de 2009

LIVRO III- Capítulo 4

Capítulo 4- As cobras

-Corre!- gritou High.

-Se você não percebeu, ele não tem saída- disse Sky- fiquem quietos e apreciem.

- O que deu em você?- perguntou Juliet.

-Nada- disse Sky- apenas quero apreciar.

-Ele está se morrendo de medo e você fica ai parado?- gritou Gabriel.

-Ordens são ordens- disse Sky.

-Se a ordem fosse me matar você faria isso?- perguntou Carmen.

-Se você necessário, sim- disse Sky.

-Seu desgraçado...

-Me ajuda!- gritou Bellks.

Bellks começou a bater na cabine com muita força, mas nem sequer uma rachadura fez. A cara de Bellks começou a ficar vermelha de raiva e branca de medo. A maioria das cobras ainda estavam dentro da cabine, saindo uma por uma lentamente em direção à ele.

- Me ajuda po...

- Cuidado Bellks!- gritou Gabriel.

Quando Bellks viu, a cascavel estava vindo em sua direção.

- Me ajuda!- gritou Bellks mais uma vez, suplicando pela sua vida.

- Olhe ao seu redor e tente usar alguma coisa que possa matar a cobra- disse Sky.

E Bellks começou a olhar ao seu redor, mas não via nada. A cascavel continuava vindo lentamente. Com quanto mais medo Bellks ficasse, mas saboroso ele seria para as cobras.

-Ali!- gritou Juliet- um pedaço de pau.

E Bellks avistou o pedaço de pau no outro canto da sala. Assim que ele começou a andar, a cascavel acelerou sua velocidade e todas as cobras foram em sua direção. Bellks então correu e pegou o pedaço de pau.

-E agora o que eu faço?- perguntou Bellks.

-Nada- disse Sky.

-Como assim nada?- perguntou Bellks em pânico- não é assim que eu pretendia morrer.

-E por que não?- disse Sky.

-Porque morrer por causa de uma cobra é uma coisa banal- gritou Bellks.

-Será mesmo?- perguntou- Sky.

As cobras chegaram perto de Bellks, mas não deram nenhuma mordida, apenas continuavam rastejando. A cascavel entrou pela calça de Bellks e foi subindo até chegar às costas e ficar sob os ombros de Bellks. As corais ficaram se enrolando nas pernas de Belkks e começaram a apertá-la. A jibóia se enrolou em todo na barriga de Bellks e em suas costas. As outras cobras ficaram no chão cercando Bellks, mas nenhuma mordida foi dada.

-Não fale- disse Sky- isso irá irritá-las.

E foi quando Bellks viu a última cobra saindo da cabine: uma sucuri, ou mais conhecida como anaconda. A cobra era toda preta e tinha apenas vinte e três metros de comprimento e era extremamente grossa, afinal, Bellks tinha que caber dentro dela. Não é frequente que uma anaconda ingira uma pessoa, a não ser que ela esteja com muita fome.

-Calma- disse Sky- tudo está prestes a acabar- elas não soltam veneno.

A anaconda passou pela cabine onde estavam os seis amigos. A cobra olhou fixamente para Juliet e deu uma cabeçada na vitrine, mas nenhuma rachadura apareceu.

-Agora eu tenho medo de cobras- disse Juliet.

-Quem não tem?- disse Stall.

-Eu- disse Gabriel.

-Você não tem medo de cobras?- perguntou High.

-Não e existe um motivo- disse Gabriel- e este é o teste pelo qual Bellks tem que passar. É assim...

-Fique quieto- disse Sky para Gabriel- você ainda não sabe o que está por vir.

Assim que a anaconda ficou a dois passos de Bellks, todas as cobras começaram a sumir. Mas não sumiram do nada. Cada uma começou a pegar fogo que apenas atingiam elas mesmas. Assim que todas as cobras se queimaram, a anaconda começou a se enrolar na perna de Bellks e começou a subir lentamente. A cobra, muito esperta não deixava nem um buraco. Queria que Bellks estivesse bem apertado.

-Ela não vai...

-Sim- disse Sky- ela vai.

E cobra se enrolou em Bellks, ficou um pouco mais alta que Bellks e o engoliu em menos de três segundos. Bellks nem teve tempo de dar um grito, nem de se mexer.

-Bellks!- gritaram todos, exceto Sky.

A cabine de vidro sumiu, mas a cobra não. Assim que a cobra viu o grupo, todos começaram a correr desesperados, exceto Sky que não mexeu nem um centímetro se quer. A cobra chegou perto dele e Sky começou a fazer carinho nela.

-Uma sucuri apenas ataca uma pessoa se ela estiver com muita fome- disse Sky- Bellks tinha que aprender a não ter medo de cobras porque nem todas são venenosas e não é uma coisa banal morrer por causa de uma. É o instinto da natureza. Ele também tinha que aprender a ter paciência e esperar o pior passar.

- E isso tinha que custar a vida dele?- gritou Carmen chorando em pânico.

Na verdade, todos estavam chorando em pânico, menos Gabriel que não estava acreditando no que tinha acontecido. Ele estava em estado de choque.

- Quem disse que ele está morto?- perguntou Sky.

Assim que Sky terminou de falar, a anaconda morreu. Sky foi até a boca da cobra e começou a abrir a mandíbula da cobra. Assim que estava aberta o suficiente, Sky começou a puxar Bellks, que estava intacto.

-Bellks!- Todos gritaram e começaram a correr em sua direção. Bellks estava feliz em estar vivo e passou no desafio.

-A cobra era vazia por dentro- explicou Sky mostrando como era dentro da cobra através da boca da mesma- agora vamos.

E nisso, todos conseguiram ver uma porta no final da cabine das cobras. Mas Bellks viu algo a mais. Ele viu uma jaula de dourada com Packet dentro. Era uma alucinação, mas ele não sabia disso. Então Bellks começou a correr e empurrou Gabriel e Stall que estavam em sua direção. Como tudo não passava de uma ilusão, Bellks bateu a cabeça na parede e desmaiou.

Nenhum comentário: