9 de julho de 2009

LIVRO III- Capítulo 6

Capítulo 6- A verdade sobre Carmen

-Bellks! Bellks!- gritou High- acorde!

-Que foi?- perguntou Bellks.

-Estamos com um pequeno problema. Todos estão em quarto separados. Gabriel e Carmen brigaram e Stall e Juliet também.

-Por quê?- perguntou Bellks.

-Sei lá- disse High- nada ultimamente é normal. Mas Carmen está junto de Sky.

-Por quê?- perguntou Bellks.

-Porque Gabriel está com inveja- disse High- e ele acabou xingando Carmen. E ela lhe deu um tapa na cara. Lembra?

- Na verdade não- disse Bellks- Por que está tudo desmoronando

-Porque...

-Isso foi uma pergunta retórica- disse Bellks.

-Tudo bem- disse High- Ah! Sky curou seu galo, na verdade seus dois galos. Ele usou um tipo de massa verde muito estranha.

Sky entrou pela porta do quarto.

-Vamos- disse Sky- está na hora. Trouxe um sanduíche pra você comer enquanto vamos para o novo desafio.

-Pode esperar eu comer para escovar os dentes?- perguntou Bellks.

-Claro- disse Sky- pensando melhor, tome um banho. Você precisa se sentir mais limpo. Até.

Bellks comeu rapidamente seu sanduíche e foi tomar uma ducha bem quente para relaxar. Ele ainda estava traumatizado por ter entrado naquela cobra, mesmo não tendo morrido.

-Ainda não perdi meu medo de cobras- murmurou Bellks- mas agora sei que tenho que aguentar o pior.

Bellks começou a lavar seu cabelo. Quando ele começou a passar as mãos no cabelo, ele percebeu que ainda havia saliva da cobra.

-Que nojo!- murmurou Bellks.

Para ter certeza que aquela saliva sairia, Bellks lavou seu cabelo sete vezes. Desse modo, seu banho durou mais ou menos uma hora.

-O que você está fazendo?- perguntou High.

-Tomando banho- disse Bellks ironicamente.

-Sei- disse High.

-Você só pensa em besteira, não? Estou lavando meu cabelo. Percebi que tinha saliva daquela cobra nele- justificou Bellks

-Que nojo!- disse High. Nesse exato momento High saiu do quarto, tentando achar um banheiro próximo, para poder vomitar na privada.

-Estou saindo- disse Bellks.

Bellks desligou o chuveiro, se secou e colocou a toalha envolta de sua cintura. Foi quando percebeu que não havia nenhuma roupa para vestir.

Bellks abriu a porta e saiu do banheiro.

-Não tenho nada para vestir- murmurou Bellks olhando para cima.

-Você está forte em Bellks?- disse uma voz familiar.

Bellks olhou para todos os cantos do quarto, mas ninguém estava presente, além dele mesmo.

-Você é meu próximo desafio?-perguntou Bellks.

-Não- disse a voz- mas serei o próximo. Por quê? Não consegue enfrentar o passado?

-Posso te enfrentar- disse Bellks- não tenho medo de você. Tenho mais medo de cobras do que de você.

-Veremos- disse a voz pela última vez.

Bellks começou a ouvir alguns sons vindos do lado de fora. Grudou sua orelha na porta e começou a ouvir a conversa

-Então vocês estão juntos de novo?-perguntou High.

-Sim estamos – disse Juliet resolvemos nossos problemas não foi?

-Sim- disse Stall- agora tudo está resolvido. Bem, pelo menos quase tudo.

-Como assim quase tudo?- perguntou High.

-Carmen, Gabriel e Sky- disse Juliet.

-Sim- disse High.

-Acho que não contei para vocês- disse Stall.

-O que?- perguntou Juliet.

-Quando fui para o seu quarto pedir desculpas eu comecei a ouvir certos barulhos vindos do quarto de Gabriel. Grudei minha orelha na porta e vi que ele estava chorando. Depois eu passei pelo quarto de Sky e ele estava conversando com Carmen, mas eu não conseguia ouvir o que eles estavam falando. Mas o fato de...

-Finalmente ele chorou!- gritou Juliet.

-Quem chorou?-perguntou Gabriel.

Juliet entrou em pânico, não tinha percebido os passos de Gabriel vindo na direção do grupo. Mas rapidamente bolou uma bela desculpa.

-High- disse Juliet- eu pisei no pé dele e ele ficou segurando o choro, mas agora já passou.

-E por que não há lagrimas nos olhos dele?- perguntou Gabriel.

-ONDE ESTÁ BELLKS?- gritou Sky.

Todos se viraram e viram Sky vindo na direção do grupo.

-Está no quarto- disse High.

-E o que vocês estão fazendo aqui?- perguntou Sky.

Bellks então desgrudou da porta e viu que sua roupa estava em cima da cama com um bilhete de Sky, escrito “Não se atrase”. Bellks pegou a roupa, correu para o banheiro e trancou a porta. Bellks olhou fixamente para o espelho do banheiro e notou que estava com um pequeno bigode. Pequenos fios castanhos prontos para serem tirados. “Mas como?” Bellks pensou. Então ele notou uma pequena caixa transparente em embaixo da pia. Ele se agachou, pegou a caixa e sentou na privada. Foi então que ele viu vários remédios, cremes para barbear, giletes, xampus, entre outras coisas. Bellks fez o bigode e pegou um pequeno comprimido de um calmante e saiu. Nem tinha ouvido e nem tinha percebido que todos estavam no quarto, exceto Carmen.

-Você estava demorando muito- disse Sky.

-Temos uma coisa para anunciar- disse High.

-É uma má notícia?- Bellks perguntou.

-É uma boa notícia- disse Gabriel- tudo depende do ponto de vista.

-O que foi então?- perguntou Bellks.

-Carmen está grávida- disse Gabriel.

-Só existe um problema- disse Juliet.

-Qual?- perguntou Bellks.

-Não sabemos quem é o pai- disse Stall- pode ser Sky ou Gabriel.

Bellks ficou chocado com a notícia. Sua amiga, ainda jovem. “Grávida? Impossível! E quem seria o pai da criança?” ele pensou.

-Mas é só ver a diferença do tempo- disse Bellks.

-Mas é este o problema- disse Sky- aqui o tempo é diferente. Ele pode andar para trás como ele também pode andar para frente. Não sabemos a idade certa do bebê.

-Então quer dizer que posso estar mais velha?- perguntou Juliet- que desgraça.

-E como Carmen está?- perguntou Bellks.

-Chocada- disse High- em certos momentos chora de alegria, mas em alguns momentos ela chora de felicidade.

-Tenho que falar com ela- disse Bellks.

Mas rapidamente todos ficaram em sua frente, impedindo sua passagem.

-Acho melhor não- disse Sky.

-Por quê?- perguntou Bellks- ela precisa de apoio.

-Porque agora você está atrasado para o seu desafio- disse Stall.

-Espere um momento- disse Sky- o que é isso no seu bolso?

Bellks olhou fixamente nos olhos de Sky. “Será que ele consegue ver o que tem dentro do meu bolso?” Bellks pensou.

-Você não pode fazer isso!- gritou Sky colocando sua mão no bolso direito da calça de Bellks- Isso é trapaça!

-O que foi?- todos perguntaram.

-Eu peguei um calmante- disse Bellks- caso eu ficasse nervoso.

-Se você fizesse isso tudo estaria perdido!- gritou Sky furioso.

-Por quê?- gritou Bellks.

-Com um calmante você não faria o desafio direito!- gritou Sky- Você tem que estar pronto!

-Para que?- perguntou Bellks.

-Para o final!- gritou Sky jogando o remédio pela janela- Vamos logo com isso. Sigam-me.

Todos seguiram Sky calmamente, mas Bellks ainda ficava intrigado com as últimas frases de Sky. “Para o final”. “O que seria o final?” Bellks pensava. Talvez, seria voltar para casa, rever a família ou simplesmente morrer ali.

-O portal fica aqui- disse Sky.

-Mas o que é isso?- perguntou Gabriel com um profundo desgosto.

-É um dedo- disse Sky- agora vamos logo com isso. Encostem no dedo.

Todos encostaram no dedo e assim como aconteceu na árvore eles foram sugados para dentro do dedo.

Eles chegaram numa sala com paredes vermelhas e duas portas azuis. Numa porta estava à placa de “Visitantes”. Na outra estava à placa de “Banheiro”.

-Bellks entre na porta do banheiro- disse Sky.

-Qual a diferença?- perguntou Juliet.

-Lembra da cabine que eu formei na sala das cobras?- perguntou Sky.

-Sim- respondeu Juliet.

-Esta sala que iremos entrar é uma cabine - disse Sky. Sabe aqueles filmes de policiais que tem um vidro que a pessoa que está do outro lado não pode ver?

-Sim- respondeu Juliet novamente.

-Será a mesma coisa. Bellks não poderá nos ver, mas nós podermos ver ele- disse Sky- Vamos?

-Claro- disse Bellks- o que eu teria de medo num banheiro?

-Não sei- disse Sky- é o que iremos descobrir.

Bellks abriu a porta e entrou na sala. Ela estava escura e nada poderia ser visto. De repente uma voz se espalhou pela sala.

-Quer que ascenda a luz?- perguntou Sky com gentileza.

-Sim- disse Bellks.

As luzes se ascenderam. Bellks estava realmente dentro de um banheiro bem aberto, com algumas privadas grudadas nas paredes e pias nos cantos.

-O que tem de errado?- perguntou Bellks olhando para os lados.

Gritos estavam se perpetuando pela sala. Porém esses gritos eram de seus próprios amigos.

-Olhe para baixo- disse Sky.

E foi quando Bellks percebeu. Partes de corpos cobertos de sangue estavam espalhados pelo chão de azulejo branco do banheiro. Braços, pernas, costas, pênis, cabeças, dedos, pés, bundas, orelhas, olhos, vaginas, dentes, ossos, peitos, joelhos, tudo espalhado pelo chão, em diversos tamanhos e formas.

-Oh Meu Deus!- disse Bellks- o que aconteceu aqui?

-Nada- disse Sky.

Mas a parte assustadora não eram as partes espalhadas pela sala. Isso era fichinha.

-Bellks!- gritou Juliet- olhe para a esquerda

Bellks olhou para a esquerda e viu um pé todo sangrento como todos os outros membros espalhados pela sala se mexendo. O pé começou a se arrastar, indo na direção de Bellks.

- O que é isso?- perguntou Bellks- qual é o medo?

-Você não tem medo de ser esquartejado?- perguntou Sky.

Bellks soltou um grito forte e penetrante e começou chutar todos os membros que começavam a se mexer. Chutou o braço que ainda possuía uma mão, chutou a cabeça que veio rolando em sua direção. Ele simplesmente começou a chutar tudo o que via pela frente.

-O que é aquilo?- perguntou Juliet soltando um grito agudo.

Bellks notou: uma perna tinha acabado de se juntar com um pé. Mas não era só isso. Todos os membros começaram a se juntar também.

Bellks foi à direção dos membros que começavam a se juntar e começou a pisar neles, a chutá-los, mas não adiantava. Afinal, do outro lado da sala, outros membros começavam a se formar. Foi quando percebeu que a primeira pessoa ficou formada. Era uma pessoa com cabeça de mulher, braços de um homem negro, tronco de uma criança, um pênis pequeno, pernas de modelo e pés de atleta.

-Este deve ser o final- disse Bellks.

Nenhum comentário: