26 de julho de 2009

O LUTADOR- Lutando contra os erros... do filme


Aut! Bem na cara

Posso já dando a má notícia? É que hoje eu acordei com um humor não muito bom. Sonhos ruins, problemas com fones de ouvido, muitas pessoas no supermercado, muitas pessoas LENTAS no supermercado (mamãe e papai, cof cof), quebrei alguma coisa quando tirei do carrinho (não sei o que é, mas era alguma coisa parecida com um leite), resumindo, não estou de bom humor, mas ainda bem que eu vi o filme ontem na casa da minha tia e posso dizer uma coisa: o filme não é aquele TANTO que todo mundo fala.
A história é sobre Randy (o antigo galã e agora destruído Mickey Rourke), um lutador de luta livre, que de luta livre não tem nada, já que tudo é arranjado. Assim que tem um ataque cardíaco, Randy tenta mudar sua vida, mesmo sabendo que a luta é o seu lugar.

A história é muito boa, não nego, mas o roteiro é meio "enchendo linguiça". Muitas pausas longas e muitos momentos insignificantes sem fala e sem importância alguma, pode e vai (para a maioria das pessoas) cansar. Não lembro quantas vezes eu fiquei olhando o relógio do DVD para ver o quanto já tinha passado do filme. Isso mostra uma edição ruim do diretor Darren Aronofsky, que fez o ótimo Réquiem Para um Sonho.
Nem sei porque o Mickey Rourke foi indicado para o Oscar. Tudo bem que o personagem é igualsinho ao ator, já que os dois eram astros e depois ficaram, vamos dizer assim na lama, principalmente o Mickey, mas ele nem está tão bom no filme para ser indicado. Se vocês não viveram na década de 80/90, saibam que o Mickey era um galã, tipo Robert Pattinson e o Zac Efron. De tanto se encher de plásticas mal feitas, o ator parece um boneco de plástico queimado. Quem está bem mesmo em atuação é a striper Cassidy (Marissa Tomei) e a filha do lutador, Sthephanie (Evan Rachel Wood).

Com faltas na edição final, muito tempo de duração para pouca história que poderia ser mais direta, falhas no roteiro (o cara está perdoado porque é o primeiro roteiro dele, mas que não aconteça novamente! Ouviu!) e atuações medíocres/ boas, O Lutador nem é um filme tão bom assim, sendo super estimado pelos críticos e pela mídia. Quem pode dizer isso é a minha prima e o namordado dela. Os dois durmam rapidinho, e o mais cômico, os dois estavam dormindo iguais: de boca aberta. Não por causa do filme ser muito bom, mas pelo sono mesmo.

4 comentários:

Luiz Grandisoli disse...

Falaram tanto do filme que assisti para ver um Mickey Rourke diferente do 9 semanas e meia de amor. Isso não aconteceu, ele continua com aquele sorriso estampado no rosto até quando chora. A grande diferença é o estado físico do ator, mas nada de diferente da atuação, sem sal, do galã dos anos 90.

Luciano Carneiro disse...

Eu adorei, o filme é lindo e o Mickey ta ótimo, sim. Pra mim é um grande filme.

FELIPE G2 disse...

Tio, pensando agora, realmente ele não para de sorrir. Será que é em todo o filme que ele sorri daquele jeito? Em Alex Rider ele não para de sorrir...

Luciano, mas tem muito tempo de duração para pouca (mas muito boa) história. Enquanto ao Mickey, prefiro não comentar...

Fernando disse...

Não achei a Marisa grande coisa nesse filme. As indicações a melhor atriz coadjuvante que ela teve seriam muito mais bem vindas à Evan Rachel Wood.rhubtiz