17 de julho de 2009

TEMPOS MODERNOS- O grande cinema mudo



Este é mais um dos gênios do cinema que nunca ganhou um Oscar. Kubrick e Hitchcook (o segundo ainda tenho minhas dúvidas) foram um dos maiores diretores de cinema. Mas e quem veio antes deles? Quem era o grande gênio antes deles? Qual foi o gênio que conviveu na mesma época que Hithcook? Quem foi o gênio da comédia no ínicio do cinema? Ninguém menos do que o famoso Charles Chaplin. E para comemorar as 10.000 visitas falarei de seu melhor filme: Tempos Modernos.


A história fala sobre a jornada de um trabalhador (Chaplin) que fica louco por causa do trabalho intenso dentro de uma fábrica. Após ficar louco, o trabalhador é mandando para o hospício. Assim que volta é confundido com um líder de uma greve e vai para prisão. Entre essas e outras desventuras, o trabalhador encontrara uma menina que ficou orfã e que está vivendo nas ruas. Durante o filme, o casal tentará batalhar para sobreviver no mundo que vivemos.


Era boa a época na qual a simplicidade do cinema mudo nos fazia rir. Porque é assim que é o trabalho de Chaplin neste filme: ele é simples. Suas piadas são simples, a história é simples, tudo é simples. Mas Chaplin consegue fazer tudo isso ficar brilhante e transformar Tempos Modernos na sua maior obra-prima desde o momento no qual seu personagem começa a trabalhar até os momentos finais do filme, e, também um de meus filmes favoritos.


Falando de cenas do filme, existem duas que são marcantes no cinema (pelo menos toda vez que vejo um documentários sobre o cinema, estas duas cenas de Tempos Modernos estão presentes): a primeira é o personagem de Chaplin entrando dentro de uma máquina quando fica viciado no trabalho. Uma ideia original, cativante, simples e cômica. Outra cena é Chaplin andando de patins de olhos vendados na Loja de Departamentos. Original, simples e cômico novamente. O que me intriga é: como Chaplin conseguiu fazer todas as cenas em plenos anos de 1930? Sem dúvida deve ter sido um grande desafio. Outra cena que tive uma interpretação foram as cenas da primeira fábrica. Se você perceberem, a única pessoa que fala é o chefe. Será que foi intencional de Chaplin deixar apenas a voz do chefe presente para mostrar que os empregados nas grandes fábricas não tem "voz"? Pelo menos foi o que eu pensei.


Simples, original, cômico e com o figurino normal (normalmente veremos Chaplin com o mesmo figurino: um terno, sapatos grandes, um chapéu redondo que lembra muito o chapéu do filme Laranja Mêcanica [acho que a ideia do chapéu veio de Chaplin] e com o bigode de Hitler (será que o Hitler tirou a ideia de Chaplin?), sendo Tempos Modernos de Chaplin nada mais nada menos do que sua maior obra-prima, um grande clássico e um dos melhores filmes do cinema. Espero vocês agora nas 20.000 visitas. Será que conseguiremos chegar lá?

Nenhum comentário: