21 de agosto de 2009

DOM CASMURRO- Bentinho e sua Capitu

Uma minissérie só minha? Brigada meu Dom Casmurro.

Nem me vem a cabeça agora quantos livros eu já li para o Vestibular. Sim pessoas, daqui um ano eu já estarei com planejamentos (planejamentos porque pode não acontecer o que queremos) sobre faculdades. Mas voltando aos livros, o único que eu tinha gostado era O Alto da barca do Inferno. Depois deste, o resto era chato. Sertão, miséria, mais sertão, religião, tudo um saco. Mas foi assim que surgiu um belo livro: Dom Casmurro.


Escrito pelo grande Machado de Assis, Dom Casmurro fala sobre Bentinho (conhecido como Dom Casmurro), sua vida e sua incrível paixão por sua vizinha, Capitu. A paixão dos dois, porém, está em perigo: o primeiro filho da mãe de Bentinho nasceu morto. A mesma fez uma promessa de que se seu segundo filho nascesse bem e saudável, o mesmo iria para o seminário. E assim, Bentinho vai para o seminário e conhece o seu futuro melhor amigo, Escobar. Os anos passam. Bentinho se casa com Capitu e Escobar se casa com a melhor amiga de Capitu. Em certos momentos, Bentinho começa a duvidar de sua amada, pensando que a mesma está o traindo com seu melhor amigo.


Não existe palavra melhor de descrever Dom Casmurro como a palavra único. Simplesmente um livro único em nossa Literatura Brasileira. Entre intrigas, romances, traição, tudo isso, Machado de Assis consegue captar o interesse do leitor. Com capítulos curtos e parágrafos menores ainda, a história parece rápida, porém a mesma na verdade se foca muito na infância de Bentinho, com a função de no final do livro, as informações nos ajudarem.


Bem, uma das coisas mais famosas da história de Dom Casmurro não é Bentinho e nem Escobar, mas sim sua amada, Capitu. Em momento algum o livro fala se ela traiu ou não seu amado, porém suas ações podem fazer o leitor crer que ela o traiu. Na minha modesta opinião, ela é inocente. Bentinho desde a infância foi meio viciado, ciumento em relação à Capitu. As ações da mesma podem ser apenas simples e inocentes.


Entre essas e outras Dom Casmurro se torna uma das minhas melhores leituras e um dos grandes clássicos e sucessos de nossa Literatura Brasileira. Sabia que meu tatarâvo, José Veríssimo, foi amigo de Machado de Assis e um dos fundadores da Academia de Letras? Acho que escrever está no sangue. A prova disso é o meu pequeno e feliz blog.

7 comentários:

FM disse...

O fato do livro ser escrito em primeira pessoa, pelo próprio Bentinho, é um dos fatores q torna o livro único. Não dá para saber se ela traiu ou não pq só sabemos da versão do Bentinho sobre os fatos.

Dom Casmurro é meu livro favorito e Machado meu escritor predileto.

Mirella Machado disse...

Nossa como eu amo essa história, de longe é o melhor livro da literatura brasileira e está entre meus livros favoritos.
Como o FM citou ele está em 1ºpessoa e tem gente que odiou o livro por causa disso(gente boba), bem eu poderia passar horas escrevendo sobre ele, mas na próxima semana eu também vou escrever sobre ele no blog então...

FELIPE G2 disse...

Nossa FM, eu adorei o livro. Sério, agora quero ler os outros livros do Machado. Eu tinha a primeira edição autografada do próprio Machado. Mas algumas coisas aconteceram e ela foi vendida...

Mirella, ficarei esperando...

FM disse...

Confesso q naum sou muit fã dos outros romances dele. São ótimos, mas nao tanto quando Dom Casmurro.

Porém, os contos dele são excelentes !! Em termos gerais prefiro os contos aos romances de Machado.

FELIPE G2 disse...

Eu tenho que confessar que este foi o primeiro e não posso ter uma opinião sobre nada dele, além de Casmurro. Mas preciso ler o resto. Com urgência!

Diego Lanza disse...

Vc gostou da minissérie da globo, capitu? Fui um dos unicos que amou aquilo lá!!!

Memórias póstumas e quincas borba são excelentes. Mas fuja de helena, é um machado muito romântico ainda. E, claro, não perca por nada contos como a igreja do diabo, a Cartomante e o espelho. E leia todos os contos dele, são geniais!!!

p.s- talvez vc já tenha lido tudo isso, visto que o post é de 2009!

Felipe Guimarães disse...

Diego, não cheguei a assistir a minissérie inteira pq era muito surrealista. Memórias póstumas eu já vi o filme e o livro e gosto de ambos. Todo mundo fala para eu ler seus contos... Preciso mesmo!