15 de agosto de 2009

LIVRO III- Capítulo 14

Capítulo 14- O casamento

Corri para a sala e lá estava ela: Packet estava suada, vermelha e cansada, mas ainda assim eu a achava a menina mais bonita do mundo. Em seus braços estava o meu bebê, o nosso bebê. Aproximei-me para ficar ao lado de Packet e ver o bebê.

Antes de perguntar qualquer coisa, Packet me deu um tapa na cara com a mão direita enquanto a mão esquerda segurava o bebê. Era merecido, eu acho.

-Naturalidade é isso- disse Packet.

-Eu mereci- admiti.

-Eu sei- ela respondeu.

Rimos.

-E então?- perguntei.

-Que foi?- ela perguntou.

-É o que?

-Um... Bebê- ela disse.

Fiquei com cara de parede. Talvez dessa maneira Packet entendesse o que eu queria dizer.

-Ah!- ela exclamou.

-Ah!- a imitei. Ela não gostou nenhum pouco.

-Para com isso- ela disse- é uma menina.

Uma menina. Perfeito, agora eu tinha um casal. Quer dizer, nós tínhamos um casal.

-Qual será o nome dela?- Packet me perguntou.

-Não sei- respondi- eu estava lutando com meu inimigo uns momentos atrás e não pude ler um livro de nomes para bebês.

Packet ficou com uma cara brava para mim, fuzilando meus olhos.

-Desculpe

-Tudo bem- ela disse- eu estava pensando...

-Em qual?- perguntei.

-Talvez...

-Fale!

-Não sei não...

-Fala logo!- gritei.

-Não me trate assim, sou sensível- disse Packet me mostrando a língua.

-Então, como eu estava tentando dizer, gostaria que o nome dela fosse Yera.

-Diferente- admiti.

-Não gostou- ela disse.

-Gostei- menti.

-Bellks, para uma boa pessoa você é um péssimo mentiroso.

-Eu sei- admiti novamente- Que tal Clara?

-Clara?- perguntou Packet- farão tantas piadas com ela na escola.

-Não importa- eu disse- ela é linda.

E era mesmo. Clara tinha a pele parecida como a neve. Seus olhos eram azuis e era loira, como a mãe. Mas tinha uma coisa minha: o olhar e as orelhas. Ela olhava fixamente para minha pessoa e pude reconhecer o olhar escondido no olho esquerdo, o olho que sempre ficava em alerta.

-Que foi?- Packet perguntou.

-Estava pensando...

-No que?

-Em nos casarmos.

Bomba! Alguém chame os bombeiros, Packet está chocada! Ela ficou paralisada na minha frente e não sabia o que dizer. Todas as coisas que aconteciam com nós eram rápidas, talvez aquilo ela gostaria de esperar.

-Sim- ela disse.

Cai de joelhos. “Sim ela disse! Sim! Sim! Mil vezes sim! Era um momento perfeito” pensei.

-Quando?- ela perguntou.

-Amanhã- eu disse- é só você me dizer como você quer tudo que materializo para você.

-Nossa você é multifuncional!- disse Packet.

Não gostei de sua piada, nem um pouco.

-Descanse- eu disse- amanhã será um novo dia.

-Para nós.

-Sim. Para nós.

E Packet adormeceu com Clara em seus braços.

O dia amanheceu todo escuro no hotel que criei para todos, algo que solucionei rapidinho. Queria um casamento bem iluminado, essa seria minha única escolha de todo o casamento.

Embora eu quisesse que tudo continuasse natural, Packet me pediu forças quando ela acordou. Ela estava realmente cansada. Perguntei se queria adiar o casamento, mas logicamente ela me disse um “não” abafado. Então fizemos a lista das coisas que ela queria.

Como um casamento normal, batidas foram ouvidas da porta.

-Bellks! Acorda!- disse Juliet empolgada.

-Mais dois minutos- respondi ainda deitado na cama e tentando dormi.

-Já está tarde e está escurecendo. Bem, pelo menos estava antes.

-Que horas são?- perguntei.

-Oito horas- disse Carmen atrás da porta.

-Ainda falta...

-Da noite!- disse High.

Tinha dormido isso tudo? Eu estava morto de cansaço. Bem, não seria muito diferente...

-Anda!- disse Gabriel.

-Tudo já está pronto!- disse Stall.

-Como assim?

-Você não se lembra?- perguntou High- você organizou o casamento!

Mentalizei tudo no salão do hotel antes de dormir para não ter nenhum trabalho no dia seguinte, ou seja, hoje.

-Estou indo!- respondi- como está Packet?

-Se arrumando!

-E Clara?

-Está comigo!- disse Juliet.

-E Benjamin?

-Vai logo pai!- disse o menino.

-Está bem. Cadê minha roupa?- perguntei para mim.

“Idiota” pensei, e logo imaginei o smoking preto e todo o conjunto. Uma roupa branca, um colete preto, a calça, as meias e um sapato circular. Não gostava de sapatos de bico.

-Podemos entrar?- perguntou High- estamos grudados na porta e meu sanduiche já está se despedaçando.

-Olhe onde você encosta esse sanduiche!- gritou Juliet.

-Olha o que você fez!- disse Carmen.

-O que aconteceu?- perguntei enquanto estava escovando os dentes e passava um perfume.

-High deixou cair todo o sanduiche em Benjamin!

-Foi mal!- disse High.

-Aposto que você é o tio idiota que todo mundo tem.

Todos começaram a rir, inclusive eu, e rapidamente consertei o erro de High. Benjamin estava brilhando novamente. Intacto.

- Está faltando alguma coisa- eu sussurrei para mim.

É claro pensei e coloquei a rosa no lugar que faltava. Estava pronto.

-Podem entrar.

Nem precisei falar duas vezes. Todos entraram em menos de dois segundos num empurra-empurra. Juliet estava com um vestido rosa magnífico e Carmen estava com um vestido azul que a deixava deslumbrante, e, ela colocou uma linda roupa em Grace. Todos os outros estavam iguais: todos com roupa de pingüim.

-Vamos?- perguntei.

-Bellks você está lindo!- disse Carmen dando alguns pulinhos.

-Vamos?- perguntei novamente.

-Sem graça- disse Carmen.

-Você terá que esperar a noiva.

-Claro. Que novidade.

-Opa! Ela está pronta!- disse Juliet do corredor segurando Clara. Pelo visto os quartos eram no mesmo andar- Não sai.

-Não irei.

Esperei alguns momentos com todos. High chegou perto de mim.

-Então Bellks.

-Sim?

-Gostaria de fazer um pedido.

-Faça.

-Eu poderia casar vocês?

-Você sabe alguma coisa sobre casamento?

-É só dizer o porquê de estarmos ali, dizer alguma coisa bonita e o noivo e a noiva fazem seus votos e felizes para sempre.

-É. Felizes para sempre. Pode.

-Eba!- gritou High- Falei que eu conseguiria.

-Oi?- perguntei.

-Você deixou?- perguntou Stall.

-Sim. Se você estiver com inveja pode ser o padrinho.

-E eu?- perguntou Gabriel.

-Você já vai levar a noiva.

-É verdade.

-Pode sair- disse Juliet- todos para o saguão!

Descemos as escadas do hotel e entramos no salão principal que era coberto por pinturas e paredes de madeira. Ao lado esquerdo estava o salão do casamento.

Fiquei parado. Tomei fôlego e continuei a andar.

Entrei no salão e estava tudo como Packet pediu: bancos de madeira para os lugares, embora não tivessem convidados. O tapete vermelho. Os enfeites de rosas espalhados pelo são e o lugar aonde iríamos nos tornar marido e mulher: após o final do tapete vermelho havia um pequeno degrau, o lugar de High para nos declarar marido e mulher. Havia uma pequena oesquestra nos fundos do salão, cheios de violinos e instrumentos que se pode imaginar, e, havia uma cantora e um cantor. Havia também uma escada para o segundo andar, um pedido de Packet. Provavelmente...

-Vamos?- High.

-Sim.

E eu e High ficamos no final do tapete, esperando como num casamento tradicional.

A música começou. Assim que começou a tocar Seasons Of Love. Juliet estava de braços dados com Stall, meu padrinho, e no outro braço estava segurando Clara. Assim que eles chegaram ao final do tapete, Juliet e Clara foram para o lado esquerdo e Stall para o direito.

Em seguida, Carmen estava de braços dados com Benjamin e no outro braço estava segurando Grace. Eles andaram. Gabriel ficou parado, esperando Packet. As luzes se apagaram e a música também. Isso era novidade para mim, mas a música começou a tocar novamente, mas desta vez tocando Somewhere Over The Rainbow. Deveria ser algo planejado por Packet ou Juliet, imaginei. As luzes se ascenderam e a porta do andar de cima se abriu. Packet se deslizava pelo tapete vermelho com buquê lindo de margaridas e rosas na mão. Ela estava num belo vestido branco, com detalhes de formatos de diversas flores. Ela desceu as escadas com muito cuidado e deu seus braços para Gabriel. Os dois começaram a andar. Assim que ela viu High no pequeno degrau...

-O que?- ela sussurrou espantada.

-Relaxa.

Gabriel me entregou Packet e olhamos um nos olhos do outro e olhamos para frente. High estava parado esperando a música acabar.

-Meus queridos convidados.

Dei uma pequena risada que apenas Packet escutou. Afinal, não havia ninguém ali e essa era a graça. Packet pisou com força no meu pé, mas segurei a dor.

-Desculpa- sussurrei.

-Estamos aqui para celebrar a união deste lindo casal. Devo lembrar para vocês que o amor é algo único nessa vida. Achar a alma gêmea, assim rápido como esses dois, é algo mágico. Embora eu não tenha achado ninguém ainda...

Tossi para High para de falar aquilo.

-Desculpe. O amor é algo para ser lembrado, é algo para sentirmos. O amor, a amizade, a união, o nascimento, tudo. Embora...

-High- sussurrei.

-Então! Vamos aos votos!- disse High com empolgação.

-Bellks você primeiro.

Nem tinha pensado nessa parte. Bem, achei melhor falar o que eu sentia. Seria mais rápido e mais prático.

-Packet, você me fez o homem mais feliz do mundo. Não precisaríamos desse casamento para oficializar nosso amor, mas queria algo para poder te mostrar o quanto eu te amava e a prova disso. Sei que o casamento não é a prova, mas sim a minha e a sua presença. Estamos mostrando para todos o quanto realmente nos amamos.

Antes de terminar de falar os choros já começaram. Carmen estava se derrubando em lágrimas, mas não podia fazer nada para secar as lágrimas, ela estava segurando Grace. Juliet a mesma coisa, só que estava segurando minha pequena Clara. Uma lágrima saiu do olho direito de Packet e secou rapidamente. Mas o destaque mesmo foi High começando a chorar.

-Você é um palhaço–sussurrei.

-Eu sei- disse High- Packet.

-Meu Bellks, o casamento não importa para mim também, mas saber que estamos aqui para provar o nosso amor é a mesma coisa que mostrar um milagre para o povo. Estamos aqui. Eu e você. Até a morte.

Engoli em seco. “Até a morte não”, pensei.

-Bem, sem mais delongas, Bellks, você aceita Packet como sua fiel esposa até que a morte os separe?

-Prefiro que você use “enquanto o sentimento de ambos ainda queimarem em seus corações”- sussurrei.

-O.K, O.K- disse High- Bellks, você aceita Packet como sua fiel esposa enquanto o sentimento de ambos ainda queimarem em seus corações?

-Sim.

-E você Packet? Aceita Bellks como seu fiel marido enquanto o sentimento de ambos ainda queimarem em seus corações?

-Sim.

-Então eu os...

Nem deixei High terminar de falar e beijei logo Packet. Ela fez o mesmo.

-Declaro marido e mulher. Já ta beijando nem vou terminar de falar. Embora...

Paramos o beijo.

-Fique quieto- eu e Packet dissemos.

-Desculpa.

A música voltou a tocar com My Heart Will Go On e voltamos para nosso beijo. Éramos marido e mulher.

Nenhum comentário: