23 de agosto de 2009

O VISITANTE- Um mundo de fronteiras

Bate que sai um som legal

Deste título, podemos tirar várias ideias (aut! Eu quis escrever idéias, só para vocês saberem) sobre fronteiras. Podem ser estas as fronteiras geográficas, políticas, sociais ou econômicas? Sim, a cada dia que passa nós enfrentamos diferentes tipos de fronteiras. Entre essas fronteiras, como eu mesmo disse, existe a fronteira territorial. E este é o tema sobre o filme O Visitante.


Walter Vale (Richard Jenkins) é um professor de faculdade. Embora ele pareça ter uma bela carreira, Walter está só e não vê sentido em sua vida. Quando tem que ir para Nova York para apresentar um trabalho, ele volta para um apartamento dele, o qual ele não visitava por muito tempo. Quando chega no apartamento ele encontra um casal morando no mesmo. Deixando o casal morar em sua casa, Walter começa a sentir a vida novamente em sua pele. Infelizmente, entre essas felicidades, existe um grave acontecimento.


As atuações do filme são excelentes. A indicação ao Oscar de Richard Jenkins foi merecida e poderia ser até ganha, em comparação com alguns atores. A mulher do casal, Zainab ( Danai Jekesai Gurira), tem uma ótima atuação no filme. Na verdade, a atuação dela talvez seja a mais forte do filme inteiro. Já o homem do casal, Tarek (Haaz Sleiman) está bem fraquinho. A mulher que faz a mãe de Tarek, Mouna (Hiam Abbass) também está ótima.


Mas, sabe aquele clima de filme independente de que por mais que o filme tenha um bom roteiro, com um assunto sério, que quer que você pare e pense e que ainda consiga transformar o filme numa bela obra de arte, acho que este é o tipo de filme que você pode ver uma vez, e, se tiver a vontade de assisti-lo de novo, é só alugar na locadora. O Visitante não é aquele tipo de filme que você vê várias e várias vezes, mesmo que tenha um bom conteúdo e ótimas atuações.

Nenhum comentário: