19 de setembro de 2009

TOMATES VERDES FRITOS- Quatro mulheres. Quatro vidas

Calma querida! É só tomar hormônios!
E vou começar a postagem de hoje (frase da Gabi Herpes [hehehe]) com a seguinte frase: "Nossa! Pensei que Tomates Verdes Fritos fosse um filme de terror!", frase dita pela minha inesperiente irmã. Mas não é culpa dela, eu acho. Existe aquele filme, qual o nome mesmo? Será que é Tomates Assassinos ou O Massacre dos Tomates Assasinos? Sei lá, só sei que tem tomate no meio e é um filme de terror. Mas dizer que Tomates Verdes Fritos é filme de terror é dizer que Desventuras em Série é um filme de crianças felizes.


A história conta a história (olha que legal: a história conta a história) de quatro mulheres. Uma história é no presente: uma mulher, Evelyn Couch é uma mulher gorda, que está com seu casamento pelas ruínas, está chegando na menopausa, e, coitada, não faz sexo. Num dia, enquanto ela e o marido foram visitar uma tia no hospital, ela encontra uma simpática velinha, Ninny, que começa a contar a história de duas mulheres que viveram no passado: Idgie Theadgoode e sua amiga Ruth Jaminson. Com as histórias contadas por Ninny sobre essas duas amigas, Evelyn começa a mudar o rumo de sua vida.


E claro, para quem assiste o filme, pensa que essas melhores amigas (Ruth e Idgie), supostamente devem ser namoradas (lésbicas! Ui! Que nojo! Certo pessoal cheio de preconceito?). Eu penso: "Por que?". Elas são melhores amigas e não é por isso que vão ser namoradas. Imagine se fosse isso com todo mundo? Provavelmente não teria mais bebês, pois as pessoas normalmente tem seu "melhor amigo" do mesmo sexo. Quantas vezes não vemos rodinhas de meninas andando pra lá e pra cá com maquiagem e espelhos, e meninos, suados, com mal cheiro, jogando futebol? É a natureza agindo pessoal.


A Katy Bates está um máximo (hehehe)! Na verdade, no geral, todas as mulheres do filme estão ótimas! Mas eu sou fã de carteirinha, de carteira, de qualquer coisa da Katy Bates! Toda vez que eu vejo um filme dela, mesmo que seja a comédia Tá Todo Mundo Louco, ela me seduz. Mas o seu melhor filme é e sempre será Louca Obsessão (até meus pais já se cansaram de me ouvir falando para as pessoas verem esse filme. mas eu não consigo! É compusível!


Tomates Verdes Fritos é um filme muito legal de se ver, mas têm certas coisas que poderiam ser facilmente retiradas. Por exemplo, a cena que a Katy Bates está indo estacionar no supermercado e duas mulheres, jovens e magras, pegam a vaga dela e respondem pra Katy:"Nós somos mais jovens e podemos". Katy não fica safisfeita e começa a bater na traseira do carro delas (hehehe, maluca). Quando as meninas voltam e vêem o que ela fez, ela simplesmente responde: "Sou mais velha e meu seguro é maior". Genial! Demais! Adorei! A única coisa que poderiam ter tirado, seria a Katy gritando "Towanda" enquanto batia no carro das meninas (um Fusca! Coitado do Fusca). Isso seria uma coisa das coisas desnecessárias, mas Tomates ainda continua sendo um bom filme.

7 comentários:

Luciano Carneiro disse...

Ah, como eu adoro Tomates Verdes Fritos. E sou fã da Kathy Bates, com certeza uma das melhores atrizes ainda vivas, que merece respeito só por seu papel em "Misery".

FELIPE G2 disse...

Desde que a vi em Tá Todo mundo Louco e As Confissões de Schmidt, e, sendo ela a única coisa que eu realmente gosto em Titanic (tenho que assistir o filme inteiro de uma só vez pra ver se eu mudo de opnião), eu sou fã dela. Mas infelizmente agora ela só está entrando em comédia romântica...

Susi disse...

Ja vi o filme a muito tempo, adorei a historia e relamente a Kathy Bates..é unica..no Misery..é terrivel rsrsrsrs :)

Anônimo disse...

De fato, belo post! mas acho que a cena do estacionamento é muito bem bolada, Katy Bates após muitas conversas com a velha senhora e nova amiga dela, percebeu que não precisava ficar só aceitando as atitudes dos outros, poderia fazer muito bem o que quisesse e sem feliz daquele jeito, mas lembrando que estava na menopausa. hahaha

→amanda japa; disse...

Olá, adoro esse filme! O livro é melhor ainda, vale a pena ler!
Gostei do blog, qualquer dia passa lá no meu. Abç.

Felipe Guimarães disse...

Susi, o que é a Kathy Bates em "Misery"?? Nem se compara!

Anônimo, pode ter ficado confuso do jeito que eu esrevi, mas na verdade eu gosto dessa cena, só não gosto da parte que ela grita "Towanda"!

Amanda, quem sabe um dia, quando eu estiver sem monografia para fazer e ter que analisar um filme e sua obra, eu leia!? Fiquei até com o desejo! Passo um dia lá sim!

Nany disse...

O Filme é maravilhoso mesmo, mas seu comentário: "(lésbicas! Ui! Que nojo! Certo pessoal cheio de preconceito?)." é digno de um imbecil igorante. Elas se amam, só isso, é uma linda história de amor e superação.