30 de outubro de 2009

CENTRAL DO BRASIL- A grande obra-prima do nosso cinema!


Entre casas e estradas, a vida dessas duas pessoas nos comovem em Central do Brasil

Se você é uma pessoa que adora cinema na veia, acho que você deveria conhecer um pouco mais do nosso cinema brasileiro. Olhe só! O sujo falando do mal lavado! Brincadeira pessoal, mas é verdade: sou quase um virgem em cinema brasileiro. Já vi clássicos da literatura como O Alto da Compadecida, comédias românticas como Lisbela e o Prisioneiro (o qual eu adoro!) e até a crítica contra os nossos policiais como em Tropa de Elite. Mas até hoje, eu não tinha visto o maior clássico de nosso cinema: Central do Brasil.


A história é sobre uma professora aposentada, vivida pela grande e única Fernanda Montenegro, que vive sua vida, agora aposentada, escrevendo cartas ditadas por pessoas analfabetas. Claro: ela decide quais cartas ela envia e quais não, guardando até algumas numa gaveta para rir depois. Num dia, uma mulher e seu filho vão até a Fernanda e ela escreve a carta, mas não envia. No dia seguinte a mulher pede para fazer outra carta. Uma coisa leva a outra e Bam! A mulher é atropelada. Então Fernanda tenta realizar o objetivo da carta: tentar fazer com que o menino encontre seu pai.


Com certeza, se Central não for o melhor filme nacional que temos hoje (ainda não vi Cidade de Deus, mas pretendo ver o mesmo em breve [entendam: eu aluguei mas não deu tempo de ver), provavelmente o filme está entre os tops dos tops. A história pessoal, não fala de favela (aleluia!), embora fale sobre a pobreza no Brasil. Afinal pessoal, sobre o que os filmes fariam sucesso aqui no Brasil além de favela e futebol? Samba? Não. Futebol? Não. ETs? Definitivamente não. Eles sempre vão para NY, por qual motivo os Ets viriam para a Cidade Maravilhosa? Para dar "oi" pro Cristo?


Central ainda concorreu contra A vida é Bela no Oscar para ganhar o prêmio de Melhor Filmes Estrangeiro, porém acabou perdendo (O A vida é Bela é daquele cara que fez o aquela terrível versão de Pinóquio). Qual será minha próxima missão então? Assistir A Vida é Bela, para decidir, na minha modesta opinião, se Bela realmente mereceu o prêmio, embora eu obviamente vá defender com todas as minhas forças Central, que foi mais do que surpreendente... não tenho nem palavras para falar de como ele é diferente e bem feito, e já faz um dia que eu vi o filme e ainda estou de queixo caido.


O filme também indicou ao Oscar a minha (e apenas minha! Não toque nela!) querida Fernanda Montenegro, que na minha humilde e modesta opinião de blogueiro, é a melhor atriz que este Brasil brasileiro já viu. Sua indicação ao Oscar não foi nada mais nada menos do que uma mostra para o mundo de como esta mulher é talentosa e de que seu trabalho é de top de linha, mesmo vindo do Brasil, lugar que macacos andam pela rua principal, somos formados para jogar futebol e nos drogamos e vivemos na favela. Não estou certo? Afinal, é isso que os gringos pensam de nós: primatas e favelados. E claro: modelos e Ipanema também estão na lista.


Mas o filme em seu geral é ótimo, excelente! Muito tenso em certas cenas como a cena que a Fernanda começa a procurar pelo menino, depois que ela fala que ele era um castigo que tinha caído nas palmas das mãos dela, ou quando a amiga dela fala sobre o que estão fazendo com as crianças, o que leva a Fernanda à salvar o pobre menino. Mas o filme também tem cenas engraçadas como as cenas das cartas e a cena do roubo. Porém certas cenas poderiam ser cortadas, como a cena que a Fernanda e o menino estão num caminhão e tem uma mulher do lado deles cantando. Além dela cantar ruim, nem conseguimos entender o que a peste está cantando, mas isso não é motivo que estrage o perfume de um filme. E a mulher é como a comunidade do orkut: "Não sei cantar, mas eu canto muito!"


Depois te ter escrito essa crítica (crítica e opinião: são a mesma coisa? Até hoje não descobri), e, de ter conversado com minha mãe sobre filmes nacionais (ela me falou uma lista enorme dos filmes que eu já vi), realmente acho que Central do Brasil seja o melhor filme brasileiro que eu já tenha visto, uma obra-prima de nosso cinema. E o próximo passo? Assistir a outra obra deste nosso cinema brasileiro: Cidade de Deus. Ficarei impressionado? Espero que sim!

5 comentários:

Ricardo Martins disse...

Oi Felipe,
Serio que você nunca tinha assistido esse filme?!

Com CERTEZA o melhor filme brasileiro já feito (na minha modesta opinião)! Sou apaixonado pela minha e depois sua: Fernanda Montenegro, sem sombra de dúvida, a melhor atriz do Brasil!

Como você, sou quase virgem de cinema brasileiro, assisti a poucos, mas também só os que me interessavam como: O Auto da Compadecida (que tem ela como a Compadecida), Lisbela..., Redentor, Caminhando nas Nuvens e outros!

Mas CARA! Não sei seu gosto por cinema brasileiro, mas eu diferentemente de quase todo mundo, DETESTEI Cidade de Deus (palavrão, nudez, bala pra cá e pra lá, Violência pura). Não vejo nada de bom nesse filme! Mas se você se arriscar depois conte o que achou ok?!

E concluindo: a peste cantando... ri muito! E a cena mais emocionante do filme é aquela em que ela vai embora no final do filme sem se despedir do garoto, chorei que nem uma criança, quando o vi pela 1ªvez, parecia como se fosse nossa mãe indo embora, mas não era não porque ela estava assistindo junto comigo ao meu lado!rsss

ABRAÇÂO! Ótima critica/opinião!

Jardel Nunes disse...

Um bom filme... mas não o melhor do cinema nacional... Pra mim, O Homem que Copiava do Jorge Furtado é o melhor... aliás, Jorge Furtado é o cara! Também gosto muito do Xango de BakerStreet, filme que é adaptação de um livro do Jô Soares.

Cidade de Deus eu acho bem legal, assim como o Carandiru... E quanto ao A Vida é Bela... Como que tu não olhou ainda?? hehe

Bom texto, abraço

Luciano Carneiro disse...

Muitooo bonito Central do Brasil, e eu ainda não me conformo de A Vida é Bela ter ganho o Oscar (eu até gosto um pouquinho dele, mas que final, hein? Eca!). Confesso que pessoas que não gostam do cinema nacional por ter "pobreza" e "favela" e por "manchar a imagem do Brasil" me irritam um pouco. Mas eu supero. Veja Cidade de Deus, que também é um máximo.

FELIPE G2 disse...

Ricardo que bom que você concorda comigo a respeito de Central. Você já viu a entrevista da Fernanda no David Letterman? É muito bom!
Também assisti Redentor e lemnbro-me de ter gostado..
Você detestou Cidade de Deus? A primeira pessoa que eu conheço então. Mas tenho que me arriscar. Quero ver o que o filme tem a oferecer...
A cena que ela vai embora também é muito foda. Quando tava no meio do filme eu pensei "Eu vou chorar no filme", mas nada...

Jardel, nunca vi O Homem que Copiava embora já tenha ouvido falar nele. O Xango de BakerStreet também é muito bom!

Luciano, mostrar pobreza tudo bem, mas favela está começando a irritar, não? A trama pode ser diferente, mas o cenário é o mesmo. Acho que é por isso que eu gosto de Lisbela e Central: mostram a pobreza, mas não falam de favela...

Luciano Carneiro disse...

Ué, os filmes americanos, então, também não têm o mesmo cenário? E, ahn, como falar de pobreza sem mostrar uma favela? Seria hipocrisia.