5 de novembro de 2009

OS DELÍRIOS DE CONSUMO DE BECKY BLOOM- Um filme clichê, porém realista em certos momentos

Já estive em momentos como a Becky. Mas a conta era do meu pai e não eram sapatos...

Quem aqui que nunca teve tanta, mais tanta vontade de comprar qualquer coisa, seja um filme clássico, um delicioso e crocante chocolate, uma roupa que ficou de olho por um mês, algum eletrônico como os ipods/televiões/ computadores, o maior pacote da tevê a cabo, a internet mais rápida, o livro que tanto quer ler, um cachorro feio que dói (acho que esse sou só eu mesmo), entre outros, que atire a primeira pedra! Ninguém? Eu sabia! Se você é um comprador compulsivo como eu, assista Os Delírios de Consumo de Becky Bloom .


A história é sobre a inocente Becky Bloom que sonha com tudo que sempre quis: ser uma escritora na sua revista de moda favorita. E como uma aspirante da moda, Becky compra tudo, vestido, calça, saia e cia, simlpesmente sempre que passa alguma coisa na frente de Becky, ela compra e só da conta do que comprou quando chega o final do mês, ou seja, quando a conta chega. No dia da entrevista para escrever para a tal revista, Becky acaba sabendo que o cargo já foi preenchido e que só existe uma vaga: finanças. E assim, Becky começa a usar seu talento na moda para explicar para as pessoas o que é finanças, enquanto ao mesmo tempo tenta lutar contra suas compras compulsivas.

O filme é bem clichê (as cenas das vitrines. Alguém?), mas não posso negar que é o engraçado como o filme mostra muito como é a vida da maioria das pessoas: ter o melhor do melhor. Eu tenho outra ideologia parecida, mas um pouco alterada: ter o que eu quero no momento que eu quero, sem uma barreira de caixas eletrônicos e cartões para me impedir. Mas foi nesse momento que eu acordei, cai da cama e percebi que ainda sou um estudante e não um milionário, coisa que provavelmnte nunca serei, a não ser que eu ganhe na Mega Sena ou me case com uma mulher rica e depois mate-a para pegar toda a grana (maldoso eu, não?).


Mas Becky Bloom forma um entretenimento cômico e realista e qualquer comparação com O Diabo Veste Prada não é mera coincidencia. Afinal são ambos filmes que falam sobre moda, roupas e pessoas bonitas, no povo que vive no glamour da vida. Entre os dois? Prefiro O Diabo Veste Prada que ainda conta com a grande Merly Streep que fez um ótimo trabalho como a Miranda. E uma cosia que Becky tem que Prada não tem: finamças sendo aplicadas no mundo da moda. Querem enteder alguma coisa sobre finanças? Então veja as comparções da querida Becky e seu mundo de dívidas e dinheiro.

3 comentários:

Mirella Santos disse...

Eu não achei tão parecido com o Diabo veste Prada, pois esse trata mais dos vícios e até que ponto uma pessoa pode ir pra realizar e satisfazer seu desejo (Mas é claro de uma forma engraçada)
Não sei pq, mas esse filme me lembra vc... Desde quando vc me falou que era consumista

Fernando disse...

Quando assisti Becky Bloom saí do cinema com uma sensação boa, de que podia gastar muito!! hushushuhsu

FELIPE G2 disse...

Mirella, não é parecido, mas ambos tem muita coisa em comum. A menina procura trabalho, moda, um cara que elas amam, uma chefe/ futura chefe osso, mas ainda se focam em coisas diferentes. Mas até que eu não estou tão consumista. Não tem algo além do cachorro em minha mente...

Fernando, o pior é que eu pensei a mesma coisa!