2 de outubro de 2009

UM BOM ANO- Um bom filme recheado com vinho

Quer um pouco mais de vinho, querida?


Não sei porque muitas pessoas, ou melhor, muitos críticos, não gostam deste filme de Ridle Scott. Tudo bem que eu nunca vi vários filmes dele, mas vi o maravilhoso Thelma & Louise, e, só por este ser ter feito T&L ele já ganha um ponto positivo de minha pessoa. Também vi Blade Runner, mas faz muito tempo (embora eu me lembre de não ter gostado da película). Nunca vi Gladiador (e nunca me deu vontade. São dois grandes filmes que nunca tive vontade de ver: Gladiador e Titanic) e vi apenas algumas partes de Cruzada, o qual detestei logo de cara. Mas eu gostei muito de Um Bom Ano.


A história é sobre um empresário londrino, Max (Russell Crowe), que vai para a França, visitar o vinhedo de seu falecido tio Henry (Albert Finney, que fez o Edward Bloom mais velho no maravilhoso Peixe Grande), já que agora se tornou o proprietário do mesmo. Nessa viagem para a França, Max vai descobrir o que é a felicidade, o sentido do dinheiro, uma prima, um amor, alguns escorpiões malditos e tudo isso recheado com o melhor e o pior do vinho do francês.


Se meu tio estiver lendo isso, aposto que ele vai alugar o filme (se ele não assistiu o mesmo ainda). Se ele não fizesse o mesmo, falaria para fazer. Um Bom Ano é aquele típico fell good movie apetitoso. Na verdade, nunca entendi essa cosia de fell godd movie. Um monte de gente fala "Esse é um típico fell good movie", como falam para Quem quer ser um Milionário? e Pequena Miss Sunshine. Eu fico pensando, aqui no meu quarto, se todo maldito fell good movie é aquele filme que depois de assistirmos ficamos felizes e com uma felicidade em nossas vidas ainda maior. Se for isso, Um Bom Ano é um fell good movie.


O filme é uma comédia romântica bem leve, o tipo de comédia romântica que eu adoro ver. Não gosto de coisas exageradas como um cara feio pra burro (não que eu me ache um Deus grego. O cara é feio mesmo) que da dó fazendo stripe-tease (é assim que escreve? Não importa) para um monte de mulheres desesperadas, ou até mesmo uma velinha cantando numa floresta como se estivesse fazendo uma dança da chuva (alguém falou A proposta? Acertou!). Um Bom Ano é mais leve, sem se aprofundar muito nos personagens nem na vida dos mesmos, para mostrar que é apenas uma diversão e que o importante mesmo é relaxar, e isso fica evidente na atuação de seus atores, que parecem estar se divertindo e aproveitando cada momento das gravações.


Com um roteiro gostoso de se ver, atuações boas (embora o que importe mesmo de Um Bom Ano não são as atuações, mas sim a história em si) e uma ótima paisagem da França, Um Bom Ano é uma comédia romântica, querendo mostrar os gostos e os prazeres da vida, incluindo um bom vinho. Aposto que depois desta postagem meu tio vai abrir uma garrafa com a minha tia. Tenham um bom vinho (ai trocadilho piegas)!

3 comentários:

Luiz Grandisoli disse...

Um vinhedo não tem preço! Até o mais estressado de wall street se rende às delícias do vinho!

FELIPE G2 disse...

Acho que qualquer pessoa se rende, ainda mais com aquela casa!

Ricardo Martins disse...

Felipe, Boa dica!
Já encontrei esse filme mas nunca me interessei também nunca ouvi alguém falar dele, mas agora me deu vontade!

Feel good movie, não conhecia essa expressão, mas se for como você exemplificou, agora entendi!

Também nunca até hoje me interessei em ver Gladiador, não sei porque!

É isso aí, até mais!!!