16 de novembro de 2009

CIDADE DE DEUS- O filme que inventou a favela no cinema, e o único filme diferente desde então

Olha lá pessoal, o piralho vai falar de noiz aê!



É quase impossível que uma pessoa que mora no Brasil nunca ter visto um filme que falasse sobre favela, ainda mais quando o filme Tropa de Elite fez um extremo sucesso (claro, famoso em cópias piratas e quando todo mundo baixou a música tema). Mas muitos se esquecem, ou tem preconceito (como eu) de assistirem outro sobre favela, o mesmo filme que deu origem à essa fama de filme brasileiro falar apenas sobre este assunto, e ainda o filme que concorreu ao Oscar de Melhor Filme e Melhor Diretor (e que poderia ter ganho se não fosse no mesmo ano do último Senhor dos Anéis). Este é Cidade de Deus.


A história é sobre um menino, Buscapé, que conta a sua história desde que era uma criança, e, junto com sua história, o personagem mostra como era a vida na favela Cidade de Deus, localizada no Rio de Janeiro. Do mesmo modo que Buscapé fica mais velho e vai amadurecendo, além de fazer novas amizades. A favela, assim como Buscapé, também faz seus anos de vida e amadurece, e, é a partir deste momento que vemos o tempo que a favela era um local de pessoas extremamente pobres e de como se tornou uma guerra civil, algo que é ainda nos dias de hoje.


Como eu falei antes, a lista de filmes sobre favelas ou que menciona alguma, é grande: Verônica, Cidade de Deus, Tropa de Elite, Última Parada 174, Carandiru, Cidade dos Homens, Salve Geral, entre outros. Então quando uma pessoa fala que o diretor não é tão importante, eu falo o contrário: ele é muito importante. As tomadas feitas pelo Fernando Meirelles, como os créditos iniciais (que cena de faca é aquela? Muito boa!) e o modo que ele filmou, indo em certos momentos pela visão de uma câmera fotográfica, são uns dos fatores que tornam Cidade de Deus um filme diferente. Sem dizer que não sei porque eu acho que o filme tem um estilo bem parecido com o do Quentin Tarantino.


Enquanto vários diretores tentam fazer mais e mais filmes para desgastar filmes sobre favelas, ou de duas pessoas que trocam de corpo (outra vez) o Fernando Meirelles avançou, fazendo filmes como O Jardineiro Fiel e Ensaio Sobre a Cegueira (ótimo!), e é isso que o cinema brasileiro deveria fazer com os filmes sobre favela: esquecer e seguir em frente. Há um bom tempo que eu não vejo um bom drama. A última vez que assisti um bom drama foi quando eu assisti Zuzu Angel, o filme que me deixou com muita raiva sobre a ditadura militar, que muitos de nós não vivemos.

Vocês podem ter se enjoado de assistir filmes sobre favela assim como eu, e não posso descordar, mas perder Cidade de Deus é quase um crime, vamos assim dizer. Afinal, o filme é ótimo, e na minha modesta opinião, não é um filme que fala como é o dia-a-dia de uma pessoa na favela e fica nisso até o final da história (sono!), mas sim um filme que mostra como a favela conseguiu evoluir até se tornar o que é hoje: uma guerra descontrolada.

5 comentários:

Ricardo Martins disse...

Pois é Felipe, gostou então! Eu detesto esse filme, apesar de ser realista, não consigo gostar de ver essa violência do filme. Mas com certeza, Fernando Meirelles mereceu o mérito pelo filme, que foi um grande sucesso de crítica e de público (bem lembrado as cópias piratas)!

Mas enfim, Cidade de Deus não vejo como grande obra mundial!

ABRAÇO

Mirella Santos disse...

Eu gostei desse filme mais pela realidade que ele passa. Tipo deixa no chão qualquer "se eu fosse você"

Jardel Nunes disse...

Um dos melhores filmes nacionais com certeza, e feito com o tal "jeitinho brasileiro"... vi uma entrevista com o Meirelles que ele conta que amarrou a camêra num cabo de vassoura para fazer a famosa cena da galinha, sensacional...

Leh disse...

..." dadinho o caralho! meu nome ´zé pequeno! '.. adoro!! mtu marcante essefilme e bem forte =D

FELIPE G2 disse...

Ricardo, o Fernando também mereceu estar no Oscar deste ano por causa do Ensaio Sobre a Cegueira, mas ele foi injustiçado!

Mirella, eu gosto mais mesmo pela evolução da favela. Sem falar que a realidade pareceu mais divertida pelo modo que o Fernando filmou...

Jardel, é um dos melhores filmes nacionais com certeza (ja que o cinema brasileiro está cheio de filmes ruins, grande parte feitos pelas franquias da Globo). Sério que ele filmou numa vassoura?

Lê, marcante para quem viu na época, hoje não tem mais essa importância, já que o assunto está desgastado...