22 de janeiro de 2010

AVATAR- Mais do que efeitos. Um futuro falando do agora

Caramba! Somos imbatíveis!


Muitos aqui devem saber que eu não gosto muito de Titanic e eu nunca disse o por quê. É simples: nunca gostei do melodrama da história ("Estou voando!", "Pareço um pássaro!"). Nunca colou comigo (mas quem sabe agora cole com o ótimo melodrama que estou passando com Almodóvar, certo?). Porém, quando chega os últimos momentos, assim que o grande navio atinge o iceberg, o grande diretor James Cameron conseguiu fazer algo fantástico com a cena, com o clima, com a tensão e com a catástrofe, conseguindo prender meu traseiro gordo e flácido todas as vezes que o navio afunda na frente da tela (e em seu novo filme conseguiu fazer a mesma coisa com uma árvore, algo que parece fútil para algumas pessoas). E assim, depois de muitos anos de seu grande blockbuster, eis que surge Avatar. E pessoal, o filme não é superestimado. Acredite em mim. Mas claro: tudo depende de como você viveu este filme.


A história não é tão complexa: alguns humanos vão para Pandora, o planeta dos nativos Na'vi, para conseguir um elemento precioso que vale 20 bilhões de dólares o quilo. Desse modo, eles criam os avatares, corpos que são controlados a partir de uma máquina (como em Matrix, só que sem os trecos nas costas). Colocando o cérebro e a máquina em sintonia, os avatares podem ser usados para explorar o planeta . Um desses avatares é o fuzileiro paraplégico Jake Sully, que acaba se juntando aos Na'vi e cria uma forte aliança com os nativos, sem falar na sua paixão pela filha do chefe da tribo. Mas o pior está para acontecer (como sempre, o pior está para acontecer).


As pessoas podem babar pelos efeitos especiais (assim como eu), mas o que as pessoas não sabem é o que ver por outros olhos. Por exemplo: minha tia e meu tio falaram que Pandora tinha muita coisa para ser vista. Meus pais falaram que a história do filme em si é como a história da indígena Pocahontas, o "civilizado" John Smith e o vilão ganansioso Governador Ratcliffe, só que no espaço. Concordo sobre ambas (tanto que a da Pocahontas eu pensei enquanto assistia ao filme), mas acredito que Cameron decidiu ir além. O papel de Pocahontas e Smith continuam intactos, mas um governador se torna em toda a raça humana (com algumas exceções). Qual a diferença de escravizar um indígena e um alienígena? Afinal ambos são nativos, certo? Muitos podem ter esse pensamento de sempre querer escravizar e ser o "civilizado", mas eu penso o contrário: e se nós formos invadidos? E se nós fossemos massacrados? E se não fossemos OS "civilizados" que pensávamos ser? E pior: perdermos a batlha e nos tornarmos escravos. Pense um pouco nisso. Melhor: pense como isso é agora. Guerras no Iraque, escravidão de crianças para trabalhar, escravidão política, econômica, sexual (não só homossexuais, como a batalha interminável de Homem X Mulher), social, espiritual, racial, ideológica. Se sentiu péssimo? Pesado? Bem, acredito que foi nesse papel que o James Cameron queria que nos colocar, nem que fosse por alguns instantes. Acho que ele queria que fossemos ao mesmo tempo o escravizado e o soberano. Macabro, não?


Cameron fez um grande trabalho em efeitos especiais. Meu pai sempre diz: "Quando vejo O Resgate do Soldado Ryan, eu me sinto dentro do filme". Não sei se foi pela tela enorme ou se foram os óculos 3-D, mas Cameron faz o possível para conseguir colocar todos os espectadores dentro de Pandora, passar por tudo que o povo passa, sentir tudo o que o povo sente. E eu... consegui, eu acho. Me senti como meu pai se sentiu ao assistir Ryan.
Mas os efeitos não são assim únicos. Vários filmes têm os mesmos "babadores" efeitos gráficos (como a grande triologia O Senhor dos Anéis). Sabe qual foi a diferença pessoal? O jeito que Cameron utilizou esses efeitos (assim como o Peter Jackson faz). Afinal, ele tem sua fama por causa disso. Ele é um dos poucos diretores que consegue transformar efeitos em emoção (alguém por favor avisa o Cameron para dar aulas ao Michael Bay? Obrigado!) e melhor ainda: ele consegue fazer com que as pessoas percam a noção do tempo (o filme passou voando pelos meus olhos) em seu novo mundo.


Então nesse exato momento alguns de vocês devem estar pensando sobre o que eu falava sobre o Globo de Ouro e sobre Bastardos. Agora que vi Avatar, novas conclusões são tomadas. Roteiro e Melhor Filme continuam com Tarantino, mas Direção e Efeitos ficam com o Cameron sem pensar duas vezes.
Mas infelizmente pessoal viciado-em-Bastardos-e-fãs-do-Taranta-ao-ponto-de-se-matar-se-ele-não-ganhar-o-Oscar-como-eu, tenho más notícias: Avatar ganhará Melhor filme, sabe por quê? Porque o que Taranta mostra em diálogos o que o Cameron mostra em efeitos magníficos. Tudo é uma questão de gosto. O que você prefere: diálogos construtivos ou imagens magníficas? Sei do que a Academia gosta e a segunda opção é quase garantida. Mas pelo menos, dessa vez, acredito que nenhuma das escolhas sejam erradas. Claro, o Oscar de Roteiro tem que ir para o Tarantino. Se não for... Bem... aí eu deixo vocês matarem todos eles (com a minha ajuda claro! Não quero deixar toda a diversão para vocês!). Mas do mesmo modo: Avatar não vai deixar de ser o grande filme que é. E se tiver uma triologia, que venha! (só que por favor não demore 12 anos para cada filme sair no cinema).

8 comentários:

Ricardo Martins disse...

Eu gostei demais de Avatar! Ele tem seus efeitos fantásticos, mas acho muito, mas muito legal que todos que o veem podem ter sua própria perspectiva da história! A sua família e você tiveram uma que eu não imaginava ou que tenha passado pela minha cabeça. Já eu, vi o desrespeito ao um lar, principalmente a natureza de Pandora! Vejo uma mega critica ali, na comparação do amor e respeito que eles dão a uma simples arvore, e nós a matamos pelo que? Dinheiro.

O trecho que eu encerrei no Enem e que me rendeu bons pontos foi: "A Natureza criou o homem, o mesmo a destruiu"!

Cameron sem dúvidas, nos levou a Pandora! (quase que literalmente)!

Tenho que ver Bastardos antes do Oscar! Para saber para qual levanto a bandeira de defesa! Avatar pode ganhar melhor filme, não pelo roteiro, mas pelo conjunto, efeitos, atuações, técnicas, direção, trabalho e realização, grandes requesitos para um Melhor Filme!!!

Abraço!!!

Larissa Mignon disse...

Eu quero muito assistir Avatar só que o único cinema com 3D que tinha perto da minha casa pegou fogo D:

FM disse...

Ah.. Achei a história de Avatar brega e previsível. Mas este filme não foi feito mesmo para ter história e sem para ter efeitos.

A gente percebe claramente q é um filme feito para ser visto em 3D. Cameron se preocupou com a gotinha d'água flutuando, com a "abelhinha" voando na frente da personagem, com a terra saltando dos pés da personagem que corre... Tudo foi pensado em 3D. Pena q a história e as personagens tenham uma única dimensão...

A semelhança com Pocahontas é inegável, toda hora eu imaginava q Neytiri sairia cantando "The Color Of The Wind"...

Pandora era uma grande Boite gay dos anos 80 onde tudo piscava, brilhava e soltava purpurina...

Enfim... Tb concordo que merece todos os prêmios técnicos pois é tecnicamente perfeito mesmo. Nunca vi expressões tão reais em seres criados digitalmente.

Avatar é um filmaço que entrará para a história, mas Bastardos ainda é meu filme do ano.

kah disse...

Apesar de todo o melodrama entre o casal principal, acho que 'Titanic' é uma experiência que vai muito alem disso. O terror e desespero que Cameron conseguiu passar apartir do momento em que o navio afunda é algo mais que impressionante. Ja sobre 'Avatar', eu o considero um filme muito bom, não excelente, mas muito bom MESMO.

http://cinemaemdvd.blogspot.com/

Camila disse...

Nova por aqui, gostei muito do blog, parabéns!

Avatar é uma experiência incrível, não há como discordar, os efeitos especiais, que normalmente não me chamam a atenção, são de babar. Mas acho que não é só isso que o faz um grande filme. Essa tecnologia em mãos erradas poderia culminar em um desastre, mas não, Cameron os usa tão bem que nos esquecemos que são só efeitos gerados por computador.
Mas é claro que não é só isso, o filme não seria tão envolvente se fosse, a história apesar de previsível é bem vinda e nos faz lembrar de quem realmente é o vilão da história, o homem, que perdeu todo o amor e respeito pela natureza e só mostra interesse pelo dinheiro, acho que em uma época de problemas ambientais como a nossa, essa é uma boa mensagem.

Provavelmente vai ganhar o Oscar de melhor filme mesmo, o que eu não acho totalmente justo, mas não é tão terrivel assim. Só queria que a Bigelow ganhasse a direção e Tarantino o roteiro, que seria a decisão mais justa da academia, mas até isso eu to duvidando.. Mas fazer o que, quando Bastardos for um clássico absoluto aqueles velhinhos da Academia vão se arrepender!

Mescla de culturas disse...

É. Fiz a resenha de Avatar e dei nota 10.Filmaço. E quando dizem que é uma história simples e previsível, eu concordo.E não bastaria isso pra se mostrar um grande filme?
Bem mais sensível que aparenta ser.
abraços

Mari disse...

sim avatar é ótimo (claro minha mãe e irmã discordam mortalmente). Os diálogos n lembram só pocahontas, lembram a história do nosso planeta quer dizer, olha a África, todo o mundo tirou um pedaço. E o mesmo teria acontecido a Pandora, que do mesmo jeito perdeu a tribo. O dietor se preova mais uma vez romantico mas ao contrario de Titanic (detesto o DiChato) a história de amor fica mais realista eu acho, eles discutem, brigam e n é só o amor dos classicos britânicos, tem desejo. Isso tudo faz de Avatar um ótimo filme. E sei la pq mas os efeitos n me encantaram muito, ta ótimo dez anos pra fazer, as imagens maravilhosas, mas de que vale se n tivesse a historia?

Felipe Guimarães disse...

Desculpe por demorar pessoal, viajei nesse curto feriado...

Ricardo, o fato de cada um ter sua própria prespectiva varia muito, como eu tinha tido. Essa parte da ecologia é bem explicita, por isso nem comentei. Vc viu o filme em 3-D ou normal?
Ainda ficaria com meus Bastardos, mas sei do que a Academia gosta...

Larrisa, que bad. É uma grande experiência!

FM, bem que poderiam fazer o DVD em 3-D, né? Acho que tem tanto detalhe porque ele ficou 12 anos fazendo o filme.
Imaginei a mesma coisa, só que esperava ela cantar uma música diferente...
Ah! Não fala mal de Pandora ( =D ).
Bastardos pra sempre!

kah ainda tenho que ver a parte do Titanic que não afunda (que foi a parte que não vi por causa do melodrama)...

Camila, seja bem-vinda!
Os efeitos pra mim sempre variam. Babo nos efeitos de O senhor dos Aneis e Avatar, mas assistir Transformers não é comigo. Muita explosão e pouca história...
A história do ambiente/ dinheiro sempre servirá em qualquer época, porque nunca vai acabar (eu acho)...
Bastarods foi muito injustiçado no Globo de Ouro, espero que não seja no Oscar. Se não ganhar roteiro, mato todos! (uahauhauha)...

Mescla! A quanto tempo! Sim, um filmaço! Será que conseguirá ultrapassar Titanic? Espero que sim!

Mari, elas odiaram? Que bad... Realmente:o romance de Avatar é bem melhor que o romance de Titanic (até gosto do DiCaprio, mas não neste filme..).