26 de março de 2010

O DESPERTAR DA PRIMAVERA- Prove, abuse, lambuze!

Iei! Finalmente chegamos aqui!


Serei sincero com vocês: nem vocês meus caros leitores me aguentam por falar tanto dessa peça, nem a minha própria mãe. Você provavelmente imaginam uma mãe, muito carinhosa com seu filho, vendo o mesmo grudado no computador e fala: "Menino! Saia deste meio de entretenimento e vai ter um pouco de cultura! Pelo amor de Deus!". Já a minha mãe é um um pouquinho contrária e menos carinhosa: "Felipe meu filho! Para de ver peças e filmes! Não aguento mais você vendo isso! Voê não vai ser ninguém na vida desse jeito! Daqui a pouco te jogo pela janela (cortem a última informação, porque a mesma pode dar algumas ideias naquela mente perturbada). Mas vamos falar novamente sobre a mais nova peça que chegou à São Paulo, esta da grande dupla Moeller e Botelho, do mesmo excelente Avenida Q.


A história de O Despertar da Primavera se passa na Alemanha durante o início do século XX. Alguns de vocês já devem estar imaginando: aquela história chata de novo com pessoas se vestindo belamente e serem muito cínicas (palavra dificil! Anotem!). Mas esta não é uma história de época normal. Abuso seuxal? Aborto? Autolitarismo? Homosseuxalismo? Suicídio? Pressão familiar? Descobertas seuxais? Sim! Sim! Sim! Eis uma história de época interessante e eis a história de Despertar! É sobre tudo isso que a peça fala, sendo os principais personagens o intelectual Melchior, a corajosa e inocente Wendla, e o pobre coitado Moritz.


Se eu já estava me precipitando com esta belíssima peça antes mesmo dela chegar à São Paulo, imagina quando a vi minha frente. Eu, sem querer, soltei pros meus amigos: "Meu! Eu tô com um p** tesão de ver essa peça!". Depois dessa frase eles me olharam com maus olhos. Porém, ao final da peça eles ficaram com mais tesão que eu! Um até mesmo falou que precisava ir ao banheiro no fim do primeiro ato (foi sem querer também, mas logo que algo pervertido veio à nossa mente).


A dupla acerta em tudo que já acertava antes (afinal, é nisso que resulta num trabalho bem feito, o que foi a grande falha nas músicas de Hairspray): iluminação, cenário, figurino, músicas (por favor, nem compare Falabella com M&B), mas com certeza nesta peça eles conseguiram acertar em cheio no elenco, e é como meus amigos e eu dissémos: "ator que é ator faz teatro". Pierre Baitelli e Malu Rodriques, que fazem os principais protagonistas, nem parecem atores globais. Cada um atua belamente, tanto que pela primeira vez eu tive um arrepio por causa de uma atuação numa peça, olha só!
Mas quem rouba a cena da peça mesmo é o ator Rodrigo Pandolfo (Moritz), talvez por dar vida ao personagem mais interessante da peça: um menino esquizofrênico, viciado em sonhos eróticos e visto por maus olhos pelas autoridades. Se me arrepiei com a atuação dos principais, foi na cena da floresta que meu coração bateu à mil por hora! Uma cena cheia de tensão e sentimentos espalhados pelo ar.
E, acredito que todos os personagens coadjuvantes (assim como seus atores/atrizes), mesmo que não apresentem um foco, são importantes para a peça, para mostrar que não é apenas um personagem que sofre de abuso, que sente atração sexual, que é homossexual, que foge das autoridades. E o melhor de tudo: isso mostra que tudo pode acontecer com todo mundo, com qualquer pessoa, a qualquer momento, a qualquer lugar.


E (isso já é uma visão minha) uma das melhores coisas sobre esta peça (e sobre a original da Broadway [que teve como Wendla a Lea Michele do Glee) é que os pais/professores são interpretados pelos mesmo atores (aqui em SP, o Homem Adulto mudou, e é interpretado pelo ótimo Eduardo Semerjian). E aí vem minha interpretação: a autoridade sempre muda de personagem, mas não muda sua cara. Por exemplo, eu conheço muitas pessoas que nasceram mais ou menos nos anos 60, com decendência italaiana e que são machistas (se forem homens) e homofóbicas. As profissões de cada uma varia: professor, engenheiro, médico, arquiteto, mãe, pai, todos "personagens" diferentes da vida, mas todos com a mesma "cara" da sociedade típica da época, onde as coisas eram diferentes dos dias atuais. Isso ficou lindamente exposto nesta peça. Claro, não são todos os descendentes de italiano que são homofóbico, afinal, eu não sou, e os homossexuais amam musicais, o que mostra um excelente bom gosto pela cultura.

Se você uma ou um jovem aspirante pela vida, pela liberdade, pela beleza da ideologia boêmia, pela liberdade de expressão e que quer "viver" sentimentos nunca experimentados antes, te indico esta maravilhosa peça! E pessoal, vamos incentivar nossa cultura! Os ingressos de estudantes custam 25 à 30 reais e de adultos de 50 à 60. Isso sim é um preço justo! Vá ao Teatro! Vá asssitir um trabalho bem feito! Vá assistir O Despertar da Primavera! Que por sinal, "nossa" versão brasileira é bem melhor do que a original!

6 comentários:

Luciano Carneiro disse...

Sem dúvida nenhuma o melhor musical que eu já tive a chance de ver encenado. Maravilhoso e perfeito em todos os sentidos, das atuações às músicas, do ritmo às questões e mensagens abordadas. Lindo, lindo! Vou ver de novo! E quem mora em São Paulo, não deveria perder. Uma oportunidade dessas é única.

Dilly ♥ disse...

Com certeza, é ua peça imperdível!
Pena eu estar tão longe de Sampa...
Beeijos ♥

FM disse...

Eu passei algumas vezes pela porta do teatro aqui no Rio e nunca assisti.

=P

Em julho vou para SP... Se tiver oportunidade eu vou ver.

Felipe Guimarães disse...

Luciano, e quem foi que te indicou hem??? E vai ver de novo sim! Vou te obrigar! auhauhua

Dilly, imperdível totalmente. Quem ta em SP e nao quer ver nao sabe o que perde...

FM, que mancada hem? Se a peça ficar, vem sim. Fica de olha também se a peça voltar, mas não garanto que volte com elenco original..

Karen disse...

Ahhh mas me deu uma vontaade de assistir!
Fepo, sim, aqui eh a Kacs admitindo de uma vez que quer ver Despertar da Primavera!!

Explico: Cultura Inglesa, writing, tema: filme ou peça que vc ja viu ou queira ver e que gostaria de escrever uma Review sobre para que volte a temporada. E siim , meu tema foi Spring Awakening. xD

boa review a sua btw!!
Bjoos gato

Felipe Guimarães disse...

Karen, aaaaaaa!!!! Agora você quer ver né? Infelizmente você vai perder o Rodrigo Pandolfo porque ele não volta e ele era a pessoa mais "querida" pelos fãs... Mas o Bruno também é muito bom, pelo que me falaram. Quero ver!