28 de abril de 2010

MÚSICA DO PÚBLICO- 28/04 E ALGUMAS MUDANÇAS

Primeiro vou falar das mudanças que são o mais importante no momento: O quadro Música do Público além de ter músicas indicadas pelos leitores, agora terá os temas também poderão ser indicados, já que estou ficando seco e preciso de ajuda em alguns momentos. Além disso, as enquetes músicas voltaram a ser publicadas as quintas-feiras (exceto esta) e as mesmas voltaram a ser indicadas até domingo.


Essa enquete da Ivete demorou para sair por causa de meus compromissos e provas (indo bem em algumas, mal em outras). Mas agora finalmente voltou ao normal (e espero que o blog também!), embora todo mundo já saiba qual foi a música vencedora, e, por falar a verdade, já apostava nessa música desde o início! Ainda bem que não sou o único que gosta.
NOVO TEMA INDICADO PELA MIRELLA: GLEE!
Abalou- Ivete Sangalo

25 de abril de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 25/04

Não sei se vocês perceberam, mas ultimamente não estamos tendo diversidade musical. "Como assim?" você me pergunta. Simples assim: no Brasil ou é Cine, ou é NxZero, ou Colírios (opa! É verdade! Eles não cantam. Então o que eles fazem além de enlouquecerem meninas desesperadas por nada e terem essa franja? Grilo...). Nos Estados Unidos ou é Justin Bieber (pseudo-colírio americano, cof cof), ou é Kesha, Lady Gaga ou Glee. Entre todos esses, prefiro o que traz uma novidade a cada semana com um novo episódio: Glee! E por falar em novos episódio, este Cd da Madonna está desde que saiu no Top da Itunes Store. Viva Glee! E como não tem clip, peguei um video com a letra para compensar...



Like a Prayer- Glee

24 de abril de 2010

ILHA DAS FLORES- Uma aula prática e cinematográfica do jeito brasileiro

Silêncio homem! É hora de cultura brasileira

Não é um filme que se encontre em qualquer lugar. Na verdade nem sei se você consegue achar gravado num DVD, mas sim no Youtube . O curta Ilha das Flores é com certeza uma das melhores ferramentas de estudo que alguém pode ter sobre o Brasil, o homem, o lixo que é produzido, a desvalorização do alimento nos dias de hoje, a quantidade de pessoas pobres e famintas, e com a quantidade de pessoas com polegares opositores.

Dirigido por Jorge Furtado (diretor do ótimo Lisbela e o Prisioneiro, e que com certeza está entre os meus filmes brasileiros favoritos), a história desse curta ácido e cômico fala sobre o caso de superprodução e desvalorização do alimento, que no futuro se torna um lixo. Furtado decidiu então pegar o caso do Ilha das Flores, um lixão onde pessoas pobres e famintas pegavam os vestígios que os porcos ( seres que não possuem o telencéfalo desenvolvido nem o polegar opositor) rejeitavam.

O filme ou curta, como bem quiser chamar, é simplesmente genial! Obrigatório para pessoas que estejam cursando Audiovisual, Comunicação e Multimeios, Rádio e TV, e cia. Ilha das Flores é simplesmente uma aula rápida, divertida, cômica e ácida. Sabe as animações que os Phyton faziam? Sabe a acidez que os irmãos Cohen possuem? Sabe a verdade da humanidade? Misture tudo isso e você terá o brilhante Ilha das Flores, que pode ser considerado melhor do que muitas aulas que os professores passam por aí, sem contar na lição de vida! Para você entender melhor o que este ser com telencéfalo desenvolvido e polegar opositor vos fala, veja o curta que possui apenas 12 minutos. Depois, comente e me diga o que você achou! Aposto que vai te influenciar. Não sei como, mas tenho certeza que vai...



21 de abril de 2010

GLEE VOLTOU COM NOVIDADES!

Close em mim! Agora!


Antes de mergulhar na física para mais uma prova, uma postagem para rápida para este feriado. E, alguns de vocês já devem ter uma ideia do que seja. Embora o assunto não seja Gypsy, mais uma peça da dupla M&B que entra em cartaz hoje no Rio de Janeiro (pra quem vive na Cidade Maravilhosa, corra pra assistir! Enquanto isso, num futuro próximo escrevo uma prévia sobre a peça...), mas a notícia é na verdade sobre Glee, que ontem lançou seu segundo episódio depois daquela pausa enorme e terrível, com vontade de quero mais. Para escrever sobre Glee novamente, eu tinha que ver este segundo episódio para ter certeza, e agora tenho: Glee voltou ainda melhor!


Para começar, essa música da semana já mostrou o que as pessoas mais queriam: a Sue cantando, ou melhor dizendo, a vilã soltando a voz. E claro, Sue tinha cantar algo forte para deixar sua marca, não? E não é que sua versão de Vogue é simplesmente viciante? Com certeza uma das melhores músicas que já passou pela história de Glee, e com certeza o número mais bem feito de toda a série!


E para os que não estão conferindo os novos episódios eis uma novidade na série: um novo personagem, Jesse, "surgiu", se apaixonou pela Rachel e entrou no Glee. Mas o problema dessa paixão é que Jesse era o vocalista principal do Vocal Adrenaline (sabe aquele outro Glee que cantou Rehab e que ficou muito... é, são eles!) e todos do Glee acham que ele é um espião, ou algo do tipo.


Mas o assunto não é o personagem, mas sim o ator: Jonathan Groff. Pelo amor de Deus! Este "ser" precisa continuar em Glee! Ele com certeza é um dos que canta melhor! Ok, o Cory Monteith que faz o Finn está melhorando, mas da para perceber que sua voz é remixada, e pela minha modesta opinião, eu não gosto muito do jeito que ele canta (ás vezes parece sem sentimento. Pegue uma música com ele cantando com a Lea Michele e você vai entender. Ela praticamente se entrega para ele, e ele... sei lá, faz umas caras e bocas). O Jonathan Groff já tem um p** currículo e uma grande química com a Lea Michele (afinal, os dois fizeram parte do elenco original da Broadway de Spring Awakening!), e o Cory é o Cory.

Mas com certeza essa segunda parte da primeira temporada tem tudo para continuar sendo cada vez melhor. Mas tem umas coisas que são necessárias: Idina Menzel cantando (afinal, pra que ela vai aparecer sem cantar? Seria desperdício!), Jonathan cantando mais (principalmente com a Lea, já que a química deles é ótima!), Sue cantando mais, Dianna Crog (Quinn) cantando mais, Mercedes e Kurt cantando mais, ou seja, quero todo mundo cantando mais! Afinal, espero que o surgimento de Jonathan na série seja exatamente para abrir espaço para os outros personagens, como aconteceu com a Mercedes e com o Kurt. Mas vamos esperar para ver as surpresas que a série pode trazer...

18 de abril de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 18/04

Eu sei o que vocês devem estar pensando: o sistema imunológico desse menino é uma droga! Pois aqui estou, mais uma vez gripado e com o nariz entupido (e pra quem tem desvio no septo é pior ainda. Só posso respirar pela boca e a mesma ainda fica seca. E isso é muito gostoso! Você não tem idéia!). Mas não é por causa disso que vou deixar o blog sem nada! Ainda mais no domingo que temos a nossa música da semana. E como vocês sabem, Glee voltou! E para comemorar essa volta, eis uma amostra da Sue cantando (e depois uma postagem. Mas somente depois desse episódio da Madonna que vai sair terça-feira)...


Vogue- Glee Cast

17 de abril de 2010

GORDA- Uma comédia dramática feita para pensar... ou pelo menos era para ser


Como essa carne é boa... Quero dizer, peça...

Pessoal, vocês não acham que este ano o blog está muito teatral? Mas é fato pessoal: os teatros estão mais interessantes do que ir ao cinema ultimamente. Uma Noite fora de Série? Assistirei em DVD. Caçador de Recompensa? Não, obrigado. Agora, dos filmes em cartaz os mais interessantes parecem ser As Melhores Coisas do Mundo, Ilha do Medo e desejo ver Chico Xavier. Mas vamos comparar com o conteúdo teatral: O Rei e Eu, Cats, Hairspray, O Despertar da Primavera, Meu Amigo,Charlie Brown, entre outras peças (e essas são só musicais). Mas destas peças, eis uma que não-musical e que tem um belo conteúdo: Gorda.


A história é sobre Helena e Tony. Ambos se conheceram num restaurante durante a hora do almoço. Tony olhava meio torto para Helena, pelo fato dela ser acima do peso. Mas depois de conversar com ela, ele descobriu que eles são praticamente almas gêmeas! Ela adora filmes de ação e diversas coisas que ele também gosta. O problema é o conflito que o casal terá que enfrentar: os colegas de trabalho de Tony, entre eles sua ex-namorada Joana (essa que é tão magra quanto um palito de dente) e seu amigo Caco (que mostra claramente os "chapas" que algumas pessoas têm. Eu conheço vários do tipo "Caco").


Pelas fotos vocês já devem ter reconhecido a atriz Fabiana Karla, que faz a famosa "gorducha" do Zorra Total (se ano passado já não estava bom, este tá pior ainda com o quadro dos bebês). E como eu já disse antes pessoal, ator só é ator quando faz teatro, e claro, bem feito. Pois é exatamente isso que acontece em Gorda com a Fabiana. Envolvida com um texto dramático e cômico, ele consegue ir muito bem. Michel Bercovitch então está excelente como Tony, sempre tentando se esquivar das palavras que podem insinuar que Helena (Fabiana) esteja acima do peso.


Acho que a única coisa pela qual eu posso reclamar (não pessoal, não sou um "reclamão" como meu pai. Me livrem disso! Mas é porque é grave e meus amigos concordaram): entre um dos atores que eu não posso falar o nome (Flávia Rubim, cof cof), embora seja uma atriz muito boa, ela se esqueceu do primordial: não ficar de costas para o público (claro, se isso não faz parte da trama). Quando ela contracenava com Tony (Michel) em certos momentos ela ficava de costas e a voz dela ficava abafada.


Mas com certeza Gorda ainda não está preparado para vir ao Brasil, ou pelo menos para SP. Sabe por quê? E nisso meus amigos concordam também: o amigo de Tony, Caco (Mouhamed Harfouch), fala muitas piadas contra gordos. Mas o problema é que quando ele se abre e até o ator começa a chorar pela "vergonha" que ele tinha com sua a mãe-gorda, o público ri. Eu fiquei pensando: "Meu Deus! Era para ser uma cena tensa e está todo mundo rindo! Será que eles não entenderam? Será que eles pararam pra pensar? Acho que não". Mas com certeza a cena mais tensa é a última, na praia. E... Eu não vou contar nada! Só assistindo para saber!


E o preço está bem justo: 30 reais. Ok, como gosto de musicais eu com certeza iria prefirir ir num, porém ainda é bom ver uma peça sem músicas e com um belo drama, e isso que é Gorda. E por favor! Se você for assistir a peça por minha causa (ra! Como se isso fose acontecer), deixe seu comentário aqui! Quero saber se meus amigos e eu fomos os únicos que não riram e que ficaram tensos. Sinceramente, não entendo mais o público de SP que vejo nos teatro...

14 de abril de 2010

O REI E EU- A versão musical não encanta como diz a fama

Você não gostou de mim? Vai apanhar!

Para as pessoas que não sabem O Rei e Eu foi o primeiro filme sobre a história da professora inglesa, Anna, e o rei de Sião, sendo este filme um clássico musical muito famoso (pelo menos para as pessoas que gostam do gênero e que conhecem um pouco sobre o mesmo) durante a época “dourada” dos musicais.


A história do clássico musical é baseada na história verídica da professora inglesa, Anna, e seu amado filho, Louis, que vão para o Sião, local onde Anna será professora dos (muitos) filhos do rei Mongkut. Com o passar do tempo, Anna consegue além de influenciar as idéias do rei, criar uma conexão entre os dois. Além disso, o filme mostra claramente as diferenças entre o ocidente e o oriente, levando em conta tradições e morais aprendidas em cada região.


Olha, a história é bonita (exceto o final, cof cof), os cenários lindos, mas pela primeira vez eu senti uma coisa que eu nunca tinha sentido antes num musical: eu queria que o protagonista falasse ao invés de cantar. Por exemplo, na cena que o rei começa a cantar A Puzzlement eu praticamente gritava pra tela: "Fala ômê! Pelo amor de Deus!". É que a música era simplesmente desnecessária, sem motivo para existir e seria facilmente trocada por falas e tornaria a cena bem mais rápida.

Mas claro, algumas músicas são legais e divertidas. Getting to Know You é uma música deliciosa, sem falar na cena que é bem divertida e carinhosa. Mas com certeza a melhor música do filme é exatamente a música mais famosa: Shall We Dance?. A seqüência é ótima! A dança, os movimentos, a música! Com certeza uma das melhores partes do filme, e, se você assistiu ao filme Dança Comigo? com o Richard Gere (assisti inúmeras vezes! minha mãe ama aquele homem! Claro, depois do meu pai) você deve se lembrar da música que a professora de dança canta durante a "balada" no clube de dança.

Mas com certeza meu caro leitor, O Rei e Eu mesmo com um belo cenário, atuações questionáveis (a melhor atuação que vi foi da Deborah Kerr e ela nem ganhou o Oscar! Porém o Yul Brynner que tem uma atuação broxante como rei ganhou a estatueta. Agora imagine minha cara de incógnita quando soube disso), Rei não é aquele musical super agitado, como Chicago, ou com músicas tão bem escritas, como Rent- Os boêmios, nem possui uma história envolvente que assim como a maioria as histórias de época, não têm (vocês já sabem a minha fama por não gostar de filmes de época, não? Só para saber. A melhor até agora foi nada mais nada menos do que a história do Despertar da Primavera). Para ser franco, eu não gostei deste filme. Prefiro mais a segunda versão, Anna e o Rei (com a MINHA Jodie Foster), que simplesmente tirou as músicas e deixou todo o lado positivo da história.


Porém, o problema maior pelo menos para mim é que a peça está em cartaz aqui em SP, e eu queria muito assistir por causa da Claudia Netto, que fez o divertido Avenida Q. Contudo a versão cinematográfica e alguns comentários que ouvi sobre a versão teatral (algumas pessoas falando que era muito bom e outras falando que era chato), também não me ajudaram muito. Quer saber? Vou ao O Despertar da Primavera que é mais prático!

11 de abril de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 11/04

Se vocês assim como eu é fã de Glee, você deve saber que a série voltará essa semana nos EUA dia 13, nessa terça. Desse modo, nada mais justo do que trazer uma novidade sobre a série...
É um clip de alguma música nova? Mais ou menos. É o fato do protagonista de Spring Awakening (O Despertar, novamente) estar na série? Não. O fato da Maureen de Rent estar agora na série também? Não, mas amo ela. Na verdade a música dessa semana é a versão original de uma música que será levada á série, e que por sinal, é um clássico do AC/DC...
OBS: Lembrem-se de indicar músicas do público para essa semana. Tema: Ivete Sangalo!!!

Highway To Hell-AC/DC



10 de abril de 2010

EMBORA BBB TENHA ACABADO...

Sô parceiro do Binzinho Laden!

A Máfia Dourada ainda continua viva à todo vapor no Twitter, e não pessoal, não estou fazendo propaganda à favor dessa intitulada "Máfia", mas sim apenas demonstrando o fato que levou Dourado à ser o campeão deste BBB 10, que com certeza, deve ter sido a pior edição que o programa já teve em toda sua existência...


Antes BBB era uma coisa mais jovem, feliz (beber! Cair! E levantar!), e por aí vai. Mas nessa edição, como teve o grupo "Coloridos", a casa pegou fogo, no mal sentido. Vinha da boca de um certo ser (Dourado, cof cof) a cada minuto alguma frase homofóbica. "Eu sei que você é viado, mas seja homem!", entre outras muitas. E ele não foi o único que é do tipo machão/homofóbico/que-se-acha-tudo-de-bom. O Eliéser pode muito bem se encaixar aqui também. Afinal, quando uma mulher tentava falar com ele, o infeliz já gritava, pra mostrar "quem estava mandando". Porém logo foi eliminado.


E além de tudo isso, o Dourado nem é boa pinta (na verdadem é feio que dói!). Então como ele ganhou? Pelos mesmos assuntos de sempre: a moralidade brasileira. Por causa dessa moralidade, propagandas feministas saem do ar direto. Por causa dessa moralidade, a peça O Despertar da Primavera, por exemplo, foi mal recebida em SP (principal cidade moralista). Por causa disso que existe a Veja (principal fonte moralista, e que é a mais assinada do país. Coincidencia?).


Pelo menos fico feliz que a maioria das pessoas que visitam este blog acham esse cara mais do que nojento (por falar nisso, obrigado pelas votações meus caros leitores! Um recorde para o blog!!!), mas sim uma amostra de quantas pessoas ainda vivem na "Idade das Pedras", isso em pleno século 21. Ainda quero ver o que vai acontecer neste século no qual viverei. Mas talvez a pior coisa que eu penso é: esse cara ganhou um milhão e meio de reais pela sua "personalidade"...

7 de abril de 2010

IMAGENS PICANTES PARA UMA QUARTA-FEIRA NUBLADA E CHUVOSA

Estou aqui em minha humilde residência, fazendo meu projeto monográfico (sim, tenho monografia no terceiro ano no ensino médio, em pleno ano de vestibular). Infelizmente estou sem tempo para postar algo com um bom texto (filmes? Tenho vários!). Então, vou estimular as pessoas que moram em SP, ou perto da região, para mais uma vez se interessarem pela peça O Despertar da Primavera. A peça sairá de cartaz no dia 2 de maio! Quem quiser aproveitar, a hora é essa! E se você meu caro leitor é um patrocinador, a peça precisa urgentemente de patrocínio!
OBS: Fotos para todos os gostos, ou melhor, sexos...





5 de abril de 2010

MÚSICA DO PÚBLICO- 05/04

Desculpa pessoal, mas é como eu avisei: o blog não é mais o mesmo este ano, ainda mais nesse feriado que nem deu tempo para postar sobre algo interessante. Provas, trabalhos e mais provas! Ah! Que coisa chata... Mas vamos a nossa Música do Público! Não é novidade que Somebody to Love ganhou, já que vocês mesmos viram, mas é uma novidade o tema dessa semana: Ivete Sangalo!


Somebody To Love- Queen



4 de abril de 2010

MÚSICA DA SEMANA- 04/04

Como hoje é Páscoa (eba! Chocolate!), acho que a música da semana tinha que pelo menos não haver palavrões e não falar mal da Igreja (droga!), não? Ah! Neste caso eu sei a música perfeita, ainda mais que a música pode dar um pouco de orgulho patriotista (que muitos, inclusive eu, não tem) em nossos corações (só porque o clip foi feito aqui). Com vocês pessoal, MJ!


They Don't Care About Us- Michael Jackson



1 de abril de 2010

O PEQUENO PRÍNCIPE (1974)- Um filme para fãs?

Nem eu gostei deste ângulo!

"E você Miss Tocantins, qual seu livro predileto?". Resposta: "O meu livro favorito é... O Pequeno Príncipe!!". Aplausos são ecoados na premiação. "E você Miss São Paulo, qual seu livro predileto?". A resposta: "Com toda certaza... O Pequeno Príncipe!!!". Mais aplausos e gritos no auditório. "E você Miss Belo Horizonte, qual seu livro predileto?". A resposta: "adoro O Apanhador no Campo de Centeiooooo!". Ok, acho que vocês entenderam: O Pequeno Príncipe é o livro mais aclamado pelas Miss'es, mas também é admirado pelas crianças que tiveram a oportunidade de ler o mesmo quando eram jovens pestes. Como eu não sabia nada de nada, decidi ver o filme para saber alguma coisa. E a minha esperança é que o filme não seja o livro, mesmo com um grande elenco desses.


A adaptação cinematográfica de 1974 transformou a história do Le petit prince num musical. A história é sobre um piloto que acaba caindo no deserto (que deveria estar deserto) e acaba encontrando um pequeno menino loiro, com uma espada em sua mão e trajes elegantes. Eis então que o piloto descobre que o pequeno veio de outro planeta, o qual deixou por causa de uma linda Rosa (a planta mesmo). Nessa aventura, o pequeno ainda encontra uma serpente (interpretada por Bob Fosse, diretor de Cabaré) e uma raposa (interpretada por Gene Wilder, o primeiro e ótimo Willy Wonka).


A história em si parece ser bem legal, divertida e filosófica. Quanto as técnicas de filmagens, falhas no roteiro e nas próprias músicas, o filme tem de monte. Ângulos horríveis (como as cenas que usam uma lente que dá a visão de olharmos pelo "olho mágico" de nossas portas [a primeira foto da postagem]. Simplesmente horríveis!) e a história é contada bem rapidamente, dando lugar aos números musicais completamente desnecessários. O filme mostra claramente a decadência dos musicais que começou na década de 70. As músicas são horríveis! Não tem nem pé nem cabeça, podendo se salvar duas de todo o filme, e isso dependendo de cada um.


Sendo assim, O Pequeno Príncipe, o filme, já não é recomendado para as pessoas que odeiam musicais, nem mesmo para as pessoas gostam do gênero. O filme foi mesmo dedicado para os fãs, que também podem se decepcionar.
Então o que é O Pequeno Príncipe? Uma história divertida, num filme contado sem pé nem cabeça. Nem mesmo o interesse de ver os grande Bob Fosse e Gene Wilder "em ação" contemplam a vontade de assistir este filme, ainda mais quando o protagonista, o piloto, é bem chato. Sendo assim, irei conferir o livro, que não duvido, deve ser melhor...