18 de maio de 2010

THE ROCKY HORROR PICTURE SHOW- O filme mais bizarro e sem noção que já vi

Isso não é nem uma amostra do non-sense de Rocky!



Vocês não imaginam como eu fiquei surpreso quando assisti The Rocky Horror Picture Show. Eu nunca, NUNCA, imaginei que havia um filme que poderia ser mais bizarro que um filme do Tim Burton. O cara fez Ed Wood, Edward Mãos de Tesoura, Marte Ataca!, Os Fantasmas Se Divertem, porém, nenhum desses filmes consegue ser mais bizarro ou "brizante" do que Horror, sendo superior ao musical ou não. Se você viu a música dessa semana, já sabe o potencial do filme.


A história começa com um casal numa música bem melodramática, pastosa, clichê e romântica, para demonstrar o amor dos dois. Então, numa noite, o pneu do carro fura e eles vão a procura de ajuda. Eis então que eles encontram um castelo. Quando entram na residência, eles acham várias pessoas estranhas e um médico-travesti que cria o homem perfeito. Nisso, o filme se desenrola em desejo, trash, ficcção científica, musical, comédia, e terror trash.

Sentiu a adrenalina bizarra? O médico travesti interpretado por Tim Curry (o capitão Silver de Muppets na Ilha do Tesouro, ou o palhaço de It, use o exemplo que bem lhe prefere) é hilário, divertido e dramático. Imagine ver um homem com um "vozeirão", que você assistia como pequeno sendo um pirata, e, de repente, ele se torna num divertido médico alienígena travesti do planeta Transexual Transilvania e cria o homem perfeito (uma paródia de O médico e o monstro). A Susan Saradon está divertida! Sabe que o seu personagem tem que usar atuações forçadas o que a torna "fofa", mesmo tendo uma voz que parece "forçada" para ser bem fina. os úncios atores que levaram à sério e escorregaram foram os atores Barry Bostwick (que canta mal) e Peter Winwood (esse pelo menos canta bem). Ressalva para a atriz Patrícia Quinn, que interpreta a divertida Magenta (adorei ela, sério)!


Acho que é a primeira vez que um filme depende, e muito, do fator me-agrada-ou-não. Tem filmes que não gostamos, mas que são bons, como por exemplo, A Fantástica Fábrica de Chocolate do Tim Burton. O Wonka, os Woompa- Loompas, tudo depende se estes irão agradar ao telespectador ou não, mas ainda assim os efeitos são bons e a história também. Em Horror, além das atuações (como a da Susan Saradon, que é forçada de propósito e alguns podem não entender isso), essa mistura entre gêneros pode não agradar muitas pessoas. Eu, particulamente, adoro quando misturam o gênero, mostrando que tudo no cinema é possível!


Tendo algumas coisas que particularmente não gostei, mas que é questão de gosto, como por exemplo, a cena inicial e final, The Rocky Horror Picture Show continua sendo um filme divertido, musical, trash, com ficção científica. E uma curiosidade para vocês: este é o filme que está a mais tempo em cartaz nos cinemas, sendo famoso na sessão da meia-noite, onde pessoas se vestem como personagens do filme e cantam juntos, além de fazer a dança do Time Warp. Se você gosta de "bizarrices", por favor, não perca Rocky.

5 comentários:

FM disse...

Já está na minha sacola do Americanas.com.

Vi esse filme há muuuito tempo, era criança e lembro q gostei muito, mas nunca mais vi.

Felipe Guimarães disse...

FM, vou tentar achar um lugar mais barato, mas quero o original!!
Vc viu esse filme quando era criança?? uahaua, certeza q foi no SBT!! Tem cara de ser...

FM disse...

Ah.. não lembro, mas provavelmente foi mesmo =P.

Felipe Guimarães disse...

FM, SBT era o reino de filmes bizarros!! Gostava mais de Cinema em Casa do que Sessão da Tarde!!

Andrei K. disse...

RHPS é maravilhoso!! Apesar de não passar de uma suruba de sci-fi dos anos 50, sex-appeal e música boa eu não canso de assistir!
P.S: O ator que faz o Rocky era dublado, então não deve cantar melhor que o Barry Bostwick :p