4 de maio de 2010

UMA PROVA DE AMOR- Amor entre duas irmãs

Vixi! Tô com medo dele!

O que é amar? Qual é o sentido de amar? Qual o jeito certo de se amar? Existe um jeito certo de se amar? Com certeza alguma dessas perguntas já passou por sua cabeça (no caso da minha, oca). Eu sinceramente acredito nos diferentes "jeitos" de amar. Matar por amor? Sim, acredito que exista, e morrer por amor também. Sonhar no amor? Sim, também acredito, afinal, não imaginamos nossos "pares" perfeitos? Mas com certeza, o jeito mais bonito de se amar é quando você sacrifica sua alma e sua mente (o que poderia te levar a loucura) por outra pessoa. E é isso e mais algumas coisas que fala Uma Prova de Amor.


A história gira em torno de duas irmãs e sua mãe. Uma das irmãs, Kate, infelizmente possui leucemia desde sua infância. Com tal notícia, seus pais geraram por laboratório sua irmã mais nova, Anna, que desde pequena foi submetida a transfusões, operações, entre outros, para ajudar sua irmã contra essa luta pela vida. Porém Anna decidi dar um basta nisso tudo, contratando até um advogado. E é assim que o filme começa.


vou dizendo que esse provavelmente deve ser o melhor filme da Cameron Diaz. Afinal, esta deve ser sua primeira atuação num drama (já que, se formos pegar o currículo da atriz, veremos em sua maioria comédias românticas, como por exemplo Tudo Para Ficar Com Ele, e Shrek's da vida). Mas com certeza quem rouba todas as cenas são as irmãs Anna e Kate, cujas as atrizes são Abigail Breslin (a pequena e linda menina do excelente Pequena Miss Sunshine) e Sofia Vassilieva respectivamente, que possuem uma bela quimíca e atuações realistas. E com certeza a pior atuação é a do pai, Jason Patric, que mais parece uma marionete do que um ator.

E para a informação de fãs e companhia, o filme é do mesmo diretor do drama-tira-lágrimas-de-2004: Diário de Uma Paixão (este com a excelente Rachel McAdams). Ou seja, o diretor já tem sua fama de arrancar das pessoas, principalmente as que são feitas de manteiga como a minha mãe, lágrimas e mais lágrimas. E com essa sinopse, você acha que Prova não seria diferente? Minha mãe simplesmente desabou no sofá. Desabou em dois sentidos: na primeira vez que viu, desabou no sofá dormindo e roncando. Na segunda vez que viu, desabou em lágrimas. Chorou como um bebê (afinal, ela é feita de manteiga).


Mesmo com algumas falhas no roteiro, Uma Prova de Amor contém uma história linda do amor entre irmãs, amores impossíveis, perda, e eutanásia. Aleluia! Finalmente consegui escrever sobre um filme aqui no blog depois de tanto tempo! Vamos ver se essa semana não consigo ver As Melhores Coisas do Mundo (tô com com muito medo que saia de cartaz. Depois vejo Alice que sei que ainda ficará por um bom tempo).

2 comentários:

Visão disse...

Um aprova de amor me fez chorar. MUITO MESMO! Não só pleo fato de ter alguém com cancer, mas pelo fato de ver o amor capaz de resistir a tudo: até o desprezo da mãe.
bjs

Felipe Guimarães disse...

Visão, pois é! A próxima peça do Moeller e do Botelho, Gyspy, falam exatamente sobre isso! Sobre o desprezo da mãe! Mal posso esperar!