21 de julho de 2010

GYPSY- O teatro no teatro é magnífico!

Queridas! Silêncio! Ele tá falando da gente! Sorriam!



Eu falei para vocês que eu tinha uma sorte com peças, não? A última grande sorte que eu tive foi no O Médico e o Monstro que a tia do meu primo não poderia ir e deu os ingressos para ele e ele acabou me levando. Agora eu consegui ter mais uma sorte e dessa vez com Gypsy: uma promoção que as primeiras cem pessoas ganhavam um par de ingressos. Vamos dizer assim que amigos e família foram todos juntos assistir ao novo espetáculo (pelo menos aqui em São Paulo) dos grandes diretores de musicais brasileiros: Charles Moeller e Claudio Botelho.


Quando eu estava no sítio do meu primo a avó da minha amiga falou: "Nossa! Quero muito ver Gypsy! Adoro ciganos!". Ainda bem que eu estava lá, não? Imagine se ela sentasse na poltrona do teatro e assistisse uma coisa completamente diferente do ela pensava? Na verdade a história de Gypsy não se foca na futura stripper, mas sim em sua mãe, Mama Rose. A mãe quer de qualquer jeito que sua filha June se torne um sucesso, deixando sua filha Loiuse de lado. Numa reviravolta, Rose começa a se focar em Louise, que se declara: "sem talento algum".


A história de Gypsy é simplesmente magnífica! Claro, para os fãs de teatro é quase a maior obra-prima de todas, uma lição de teatro! Para os que não são fãs de musical pode ser meio cansativo ficar quase três horas na poltrona. Ainda bem que sou fã, não? Porque por trás da história de Mama Rose existe uma outra história ainda maior: a mudança do teatro de variedades para o teatro burlesco! A Grande Depressão mudou completamente o teatro americano! E vemos todos os bastidores dessa época na história de Mama Rose e suas filhas! É teatro falando sobre teatro! É tão magnífico quanto cinema falando de cinema (Bastardos Inglórios, por exemplo)!


Quanto ao elenco nunca tive que me preocupar. Charles Moeller e Claudio Botelho sempre escolheram um excelente elenco! Lembra da Renata Ricci? A atriz que eu tinha adorado como Ursinha do Mal no Avenida Q? Ela está de volta em Gypsy como a "grande" June e adorei vê-la de novo! A Adriana Garambone como a Louise dá uma aula de interpretação quando se torna a grande Gypsy. André Torquato também é muito bom como Tulsa! Quando acabou a peça ouvi comentários fora do teatro falando: "Não achei nada de impressionante nele como estão falando por aí". Pessoal, ele tem apenas 17 anos! Minha idade (quase! Mas dia 4 de Agosto teremos)! E já está no palco! Ele e a Malu! Talento assim surgindo já é impressionante! Mas quem rouba a cena é a principal: a Mama Rose.


Mama Rose é uma personagem ácida, engraçada, dramática e que respira e vive para o teatro. É o teatro em pessoa! Desde o sucesso até o fracasso, é uma personagem melodramática! E é interpretada pela grande Totia Meireles. Simplesmente meus olhos brilhavam quando a Totia abria a boca, fosse para falar ou para cantar! Ela é um monstro como atriz e cantora! Claro, no bom sentido. Ela domina o palco em cada momento! É a perfeita Mama Rose! Na verdade, na música A Hora de Rose ela cantou exatamente como eu imaginava um Gypsy na minha cabeça! Perfeito!


Se em O Médico e o Monstro eu vi a cena mais bonita de um espetáculo, em Gypsy eu assisti a cena do ápice do teatro! O elenco é magnífico, o figurino (tem algum jeito de não amar aquela vaca? Ou as strippers? Não!), a música, a história e o cenário nem vou falar! As luzes são perfeitas! Mais uma obra digna para um musical brasileiro feito pelos melhores diretores! Agora eu só fico esperando por Hair e que ainda vai demorar para chegar! Então, nada melhor do que ver Gypsy de novo, certo? E irei! Nesta sexta-feira!

6 comentários:

João Sarti disse...

Eu estava ontem lá também!
Meu Deus!! Gypsy é incrível!!
É como dizem...é o grande "clássico dos clássicos"!!

Parabéns pelo Texto Felipe!
Também estou escrevendo sobre o musical para o meu blog!! Mais tarde passa lá!

Abraço.

FM disse...

Mas uma q saiu do Rio e eu não vi =/

As fotos estão ótimas... Parece q finalmente o Brasil está ganhando força nos musicais.

Raphael Crukovic disse...

Realmente é um ótimo musical, eu me surpeendi. Espero que eu ganhe mais ingressos!!! hahahaha
MU MU MU MU

Léo Bowles disse...

Adorei o texto!!!! Estava lá na terça também (até te vi pelo saguão) e voltei ontem para assistir à estreia. Fenomenal! Totia (A Não Humana) cantou, interpretou e encantou mais uma vez. Ao final de "a Hora de Rose" foi emocionante ver o Teatro Alfa aplaudindo de pé! tinha de ver!
Espero que goste mais uma vez da peça na sexta =)
Abraço

Felipe Guimarães disse...

João, incrível né? É uma grande musical, com certeza! O show falando do show! Adoro quando isso acontece!!
Obrigado! Também li o seu! =D

FM, você precisa assistir mais esses musicais hem? Só tá perdendo tudo de bom!

Rafa, quero ir mais vezes também! Uma 4a já está garantida!

Léo, como eu perdi isso?? Todo mundo aplaudindo ela de pé?? Que mágico! Mas a melhor sessão foi a de terça com certeza!

FM disse...

Pois é...

Mas o horário no Rio não me favorece.