3 de julho de 2010

KILL BILL: VOLUME 1- Taranto-San!

Uma Thurman quer matar


Assisti recentemente, além de Kill Bill, provavelmente um dos filmes mais marcantes da carreira de Tarantino: Cães de Aluguel. Somente o Taranta pra fazer com que eu goste de um filme policial, né? Achei algumas coisas previsíveis (meu amigo sempre fala: "Tá bom Felipe, sei! Você sempre sabe de tudo antes né?"). Ah, mas têm algumas coisas que eu descubro e que pra mim parecem óbvias! Como quem era o policial. Tudo bem que meus amigos também falam que tem o "jeito Felipe da Física". Faço contas até dar a reposta certo e estou errado em fazer isso? Claro que não! Mas não vamos mudar o foco, vamos? Mesmo que eu utilize os filme de Taranta mais para frente, o assunto de hoje é Kill Bill Vol. 1.

Kill Bill conta a história da "A Noiva", uma mulher que foi morta com um tiro na cabeça pelo grupo de assassinos o qual fazia parte. Porém, ela não morreu, apenas entrou em coma. Depois de quatro anos, "A Noiva" acorda de seu sono profundo (quase foi beijada por um príncipe encantando, só que ela preferiu morder seus lábios, matá-lo e fugir do hospital) e deseja sua vingança sangrenta, matando todos os integrantes do grupo de assassinos e principalmente o líder: Bill.

Muitas pessoas odiaram Kill Bill, e as pessoas que gostam recebem péssimos olhares das pessoas que não gostaram. Já ouvi o comentário: "Ah, se não fosse um filme do Tarantino, você nem teria gostado! Só porque é dele, né?". Não meu caro gafanhoto. Quando eu assisti o filme eu era pequeno e poderia afirmar que Tarantino é um tipo de aranha, mas agora sei que não é (ainda bem). Além disso, eu gosto do cinema japonês/chinês, mas depende de cada filme. O Tigre e o Dragão, por exemplo, eu não aguento! São muitas pessoas flutuando e voando para todo lado. E esse é um dos pontos fortes de Kill Bill: o filme vai direto para a luta, quase não existe pessoa voando e é sangue para todo lado.

Se você não conhece o Tarantino, com certeza você não entende a cena da luta da "Noiva" com os 88 Loucos. Tarantino ama sangue! Provavelmente ele é vampiro e nunca disse para ninguém! Se você assistir Cães de Aluguel, verá um dos principais personagens banhado pelo seu próprio sangue. Se você assistir Bastardos Inglórios, você verá massacre e sangue para todo lado. Kill Bill é o lado "engraçado" do Tarantino. Você acha realmente que o sangue sai como uma mangueira para todo o lado? Eu sei que não! Tarantino exagera exatamente por isso! Ele adora sangue e sabe que muitas pessoas também! Nada é melhor do que sangue e mais sangue.




Sem falar na história: uma mulher, uma assassina profissional, é morta por todos os integrantes do grupo de assassinos que fazia parte, incluindo o pai do bebê que perdeu. Mesmo com um tiro na cabeça, ela vive e pronta para se vingar. Eis então o provável principal fato que faz as pessoas odiarem Kill Bill: tudo é feito por uma mulher. Se fosse o Sylvester-cara-deformada-de-macho-e-ator-pornô Stallone, todo mundo acharia o melhor filme do ano! Mas não: a nossa alma vingativa não é um homem e sim uma mulher, mais forte do que um homem, mais habilidosa que um homem e mais esperta do que um homem. Uma máquina de matar.

Sem falar na "homenagem" que Tarantino faz para o cinema japonês. Ok, tem umas cenas que até eu fico: "Oh Cristo! Vamos! Quero saber o que acontece! Para de falar da espada!", mas outras cenas são ótimas! Por exemplo, a animação que Tarantino escolheu para contar a história de O-Ren Ishii é um dos momentos que eu mais gosto! Uma animação forte! Imagine só! Disney nunca faria isso!

Ainda com um ritmo acelerado a partir da primeira meia hora de filme, quando você percebe, Kill Bill Vol. 1 acabou e você quer saber mais e mais! Imagine quando eu era pequeno e queria saber o final do filme? Eu estava quase subindo pelas paredes. Brincadeira, quem faz isso é a Bella por não conseguir transar com o Edward. Por falar nisso, preciso ver Eclipse...

7 comentários:

Ricardo Martins disse...

Kill Bill vol.1, para minha pessoinha, o melhor filme de Quentin Taranta(rs)!!!

Boa citação: Aos que falam "Se não fosse um filme do Tarantino, você nem teria gostado! Só porque é dele, né?" Também não concordo! Olha: quantas vezes vimos no cinema, uma formidável atriz (aqui estamos falando de Uma Thurman), ser de uma gangue, assassina, vingativa, que fala mandarim, sabe lutar kung fu, arrancar olhos?...

Para mim, o sucesso não é por causa de Quentin, e sim da magnifica história que ele construiu e a perfeita interpretação da FUCK¨*G Uma Thurman! (_espero não ter ficado confuso_)

Nunca um filme com jatos (trash) de sangue foi tão legal! Esta obra agrada a quase todos os gostos, pois tem tiro, bang bang, preto e branco, gaita, animação e um elenco... Nossa perfeito!

Vou parar por aqui senão, vou até amanhã!

Ah Felipe, Hatori Hanzo está procurando por você... espero que esteja tudo bem entre vocês RS.

PS. Kill Bill vol.1 gosto tanto que o vi mês passado 2 vezes! Sem contar o desse mês que passou de madrugada na tv! Taá bom, chega. ;D

Matheus Pannebecker disse...

O primeiro volume de "Kill Bill" é um de meus filmes favoritos. Talvez seja a produção que melhor represente o talento de Tarantino. Mas, além dele, a Uma Thurman fez um ótimo trabalho. Já não sou tão fã da segunda parte, que é menos original e movimentada que essa.

Felipe Guimarães disse...

OBRIGADO PELOS COMENTÁRIOS!!!

Ricardo, para mim Kill Bill Vol.1 é o segundo melhor dele que eu já vi. Isso ajuda??
Sim, as mulheres não podem se vingar e nem fazer filme de ação. Pq Tomb Raider foi um fracasso e A Lenda Do Tesouro Perdido não?? Um dos motivos é do personagem principal: uma mulher! A história de Kill Bill é como vc disse! FUCKING GENIUS!!
Mas o segundo não gosto muito não...

Matheus! Para quem já viu vários filmes do Tarantino e sabe as características dele, concordo com você: esse é o filme que melhor o representa. Acho que esse e o segundo são os únicos filmes da Uma que ela faz bem. Os outros que eu vi são todos péssimas comédias românticas. Concordo com vc: o segundo não é tão original e nem movimentado...

Mirella Santos disse...

Eu sinceramente nunca me importei tanto com o fato de quem era o diretor do filme, agora mudou um pouco, mas eu era que nem vc não fazia ideia de que Tarantino era um bom diretor.

E acho que por ter assistido assim no susto e desprevinida que a inocência de minha pessoa naquela época fez com Kill Bill se tornasse o melhor filme do diretor (pra mim). Eu adoro Kill Bill passou duas da manhã na Globo na semana passada e eu vi soh pq eu adoro mesmo. Mulheres forte, lutadoreas e vingativas são o máximo... pena que os críticos intelectuais não pensam assim.

Maria! disse...

Gostei do que tu disseste. Eu sempre achei que era a maior fã de kill bill. hehehe Bom saber que existem mais pessoas. Porque, embora Kill Bill tenha sido feito pelo QT, muitos fãs dele não gostam desse filme. Eu me tornei fã de QT, por causa de Kill Bill. Eu coleciono algumas coisas, tenho uma caneca que mandei fazer, uma camiseta, poster, reportagens, filmes, cds, etc...

gabriel ferreira disse...

o idiota vc podia falar do filme em vez de cansar os poucos leitores falando de tarantino ou sei la o que,entao se toca pelo menos finja que é um escritor verdadeiro e coloque as suas conclusoes no final,ao enves de de gastar o primeiro paragrafo inteiro fugindo do assunto e so usando uma palavra que interessa!pensa nisso imbecil

Felipe Guimarães disse...

Gabriel, querendo ou não, não dá para falar dos filmes do Tarantino sem falar de sua carreira. Aproveitei o 1o parágrafo para falar de "Cães de Aluguel", que eu tinha assistido na mesma semana, e eu falo no 1o parágrafo: "mas vamos voltar ao foco", ou seja, não mencionei Kill Bill além da primeira linha pq o assunto era "Cães de Aluguel".
Se eu tenho que pensar nos meus primeiros parágrafos, você como leitor tem que pensar nos seus comentários. Se você me chama de imbecil, deve chamar outros também. Pensa nisso.