5 de julho de 2010

O GOLPISTA DO ANO- Será que Carrey agora só é salvo por atores coadjuvantes?

Quem parece ser mais gay?


Sim meus caros leitores, a história não está muito boa para o nosso querido, ou daqui a pouco, ex-querido Jim Carrey. O cara fez grandes filmes! O Show de Truman, O Mentiroso, Desventuras em Série, O Máscara, O Grinch, entre tantos outros, mas desde Sim Senhor! as comédias das quais Carrey participa ficam cada vez mais fracas. E novamente isso acontece em O Golpista do Ano.


O Golpista do Ano, com o título original I Love You, Phillip Morris (o qual eu prefiro mil vezes mais) conta a história de como Steven Russel conheceu e se apaixonou por Phillip Morris. Steven era policial, casado, tinha uma filha e tinha uma vida de classe média. Mas a verdade é que ele só queria esse emprego para encontrar sua verdadeira mãe, que o rejeitou. Após um acidente, Steven decidi admitir ser homossexual e começa a ser um golpista de seguros. E nisso ele conhece duas pessoas pelas quais se apaixona: Jimmy, e quando preso, conhece o seu amado Morris.


Com certeza a história do filme seria muito melhor se eles tivessem apelado pelo lado mais trágico e dramático, disso tenho quase certeza. Mas como Carrey está no comando, o filme tem que ser uma comédia, lógico, mesmo com pitadas de drama. Mas a verdade é que Golpista têm mais cenas de tragédia do que comédia. Então você deve estar se perguntando: então o filme não é comédia e nem drama? Pois é meu caro leitor, e é por isso que o filme não avança, não sai do lugar. Fica a mesma coisa durante seus 102 minutos. O filme não sabe se quer apelar ou se quer fazer as pessoas rirem.


E sinceramente, mesmo sendo um fã de Jim Carrey, ele não está bem pessoal. Sei o que ele consegue fazer com Truman e uns pedaços que assisti de Brilho Eterno, mas... Serei curto e grosso: Carrey não parece ser um homossexual. "Ah! É por que ele não rebola? Não fala enrolado? Não usa rosa? Tá ouvindo?", não é isso meu caro leitor, mas é que Carrey nem parece estar apaixonado pelos seus parceiros! Parece muito superficial. Acho que a única cena que eu achei que ele estava realmente bem era a sua pseudo-última-cena.

E se em Sim Senhor! Carrey foi salvo pela simpática Zoey, neste caso foi o Ewan McGregor. Este sim parece estar apaixonado. Numa determinada cena, quando Ewan está em sua cela, chorando, perdido, acabado. Essa é a prova de que ele estava apaixonado! E não só isso, Ewan convence bem mais estar apaixonado por Carrey, sendo o assunto do filme a paixão que Steven tinha por Phillip, e não o contrário. Além disso, mesmo tendo um papel bem pequeno, Rodrigo Santoro não faz feio, principalmente na cena do hospital.


Mesmo tendo um beijo gay, O Golpista do Ano não tenta ser uma comédia, um drama e pior ainda: não tenta ser polêmico. Acho que até a Igreja deixaria as pessoas assistirem este filme de tão inocente. Mas sabe de uma coisa que aconteceu no shopping que fiquei contente, e por acaso? Avistamos, minha irmã e eu, o elenco de O Despertar da Primavera na Livraria Cultura. Sim meus caros: a peça voltou para São Paulo e vai estrear essa semana e contém uma cena gay polêmica. Esta que merece ser assistida!


Um detalhe! Tenho que dizer como minha prima ficou p*** da vida: o estacionamento tava lotado, ela fica girando para todo o lado e tenho quase certeza que ela também não gostou muito do filme e que com certeza, depois de tanto sacrifício para eu assistir ao filme, ela vai querer me socar muito, mas pelo menos ela conseguiu o DVD do Aerosmith que ela quis tanto. A vida meus caros é uma caixinha de... (ah! Vocês completam que vocês sabe como isso termina. Até mais!).

2 comentários:

Visão disse...

Quando será? Tenho que ir a Sampa assistir.

FM disse...

É.. eu achei a história bem estranha mesmo. E não consigo imaginar este filme (pelos cartazes e trailers) como uma tragédia.