18 de agosto de 2010

[REC] 2- O exorcismo entra na parada também

Me fudi também!

Vocês ficaram ansiosos com a postagem de hoje? Espero que sim, já que a postagem de [Rec] trouxe quatrocentos visitantes para o blog na segunda-feira! Mais um recorde que conseguimos bater! Muito obrigado à todos por terem dedicado alguns segundos e minutos de suas vidas e terem visitado e lido o blog e a postagem. Mas, vamos ao assunto que muitos de vocês devem estar quase puxando os cabelos (inclusive o meu) para saber o que acontece com a continuação de [Rec], e ainda mais: o por que de ter gostado do filme.

A história do primeiro filme acabou com a nossa repórter sendo puaxada e sumindo na escuridão do prédio. Este filme agora fala sobre três soldados e um funcionário da saúde que entram no prédio infectado, no qual a maioria das pessoas já estão infectadas. Porém uma surpresa aparece: o funcionário da saúde não é um funcionário qualquer. Crianças invadindo o prédio, exorcismo, capeta, religião e Vaticano também estão envolvidos e incluídos nesta continuação.

Todas as pessoas saíram do cinema falando: "Nossa! Odiei". "Credo! Até ri!". Então eu fiquei imaginando se essas pessoas não entenderam [Rec] ou fui eu que não assisti ao filme certo ou se não entenderam a continuação. E para falar sobre continuidade você deve parar de ler aqui se não quiser saber sobre nada e pular para o próximo parágrafo. Não parou? Nada de reclamar depois. Chorou parou, hem! Então: no final de [Rec] descobrimos que a menina Medeiros na verdade estava possúida e seu sangue era analisado pelo padre que a prendeu (Igreja envolvida, para variar). Com o sangue da menina Medeiros, o padre estava tentando achar uma reação química das pessoas possuídas e assim conseguir um antídoto. Se você não entendeu isso dos últimos cinco minutos de [Rec], as probabilidades de você odiar a continuação são altas!

Foi por isso que gostei de [Rec] 2. O exorcismo ficou envolvido e eu a-d-o-r-o capetas espalhados por aí (não é à toa que meu filme de terror favorito é O Exorcista). Muitos falaram que ficou muito "forçado" o fato de demônio estar envolvido com a infecção, mas como eu disse antes, é questão de prestar atenção. A mesma coisa aconteceu com A Bruxa de Blair. Ontem mesmo na sala falei pro meu amigo que não havia bruxa, mas sim um cara que morou na cidade e que estava fazendo tudo aquilo. Ele ainda acredita na bruxa. Isso meus caros também é questão de interpretação e deixar o filme "aberto" .

Além disso, deu muita vontade de bater palma durante o filme (no noitão isso é tão normal que vocês não fazem ideia!), porque nos momentos finais é ótimo um personagem falar: "Não quero mais ficar aqui!" e atira na única possibilidade da coleta de sangue. É como se tivesse sido uma parte do pensamento do público. Sempre pensamos: "por que eles não saem daí? Faz alguma coisa porra! Corre! Se fosse eu..." e por aí vai. E o personagem mete bala! Mas claro, sempre tem a reviravolta clássica. Isso que eu chamo de manipulação (e não Salt. Ódio desse filme.).

Como eu disse, esse [Rec] 2 é questão de interpretação (para alguns é zumbi, para outros é demônio), sem falar que além do filme ser voltado para o terror (a vá!) o filme também tem um pouco de entretenimento. Sei lá, este segundo não levei tanto à sério, era mais para me divertir. Ainda mais com um pouco de exorcismo, é quase impossível que eu não abra um sorriso no rosto, com exceção de O Exorcismo de Emilly Rose. O filminho chato! E se for verdade tudo que o filme fala, que tudo é baseado em fatos reais, então acho melhor dormir a partir de agora com uma cruz no peito. E pessoal, lembrando sempre: comentem!

Um comentário:

Gata manhosa disse...

Nossaaaa!! vc é estranho.. tipo no bom sentindo tendeu mais estranho.. é vc gosta mesmo desse tipo de filme.. meus parabens otimo as coisas que escreveu sobre o filme [rec] 2 tipo vc é bom mesmo pra escrever.. continue assim. bjokas no seu ♥