21 de setembro de 2010

O QUE É ISSO COMPANHEIRO?- Drama nacional importado

Atira bem na cabeça nele!

Se existe uma coisa que eu não gosto, de jeito nenhum, é a influência dos Estados Unidos sob outros países, principalmente os mais pobres. Não sei se vocês sabem, mas um carinha muito gente fina chamado Lincon Gordon, foi o desgraçado que trouxe o apoio dos EUA para realizar uma ditadura no Brasil. Esse carinha aí, muito gente fina mandou um telegrama para a Casa Branca para "tomarem medidas contra o socialismo". E foi assim meus caros que os EUA entraram em nossa ditadura. E o filme O Que é isso Companheiro? fala exatamente do contra-ataque brasileiro.

A história se passa em 1968/69, quando jovens estudantes brasileiros sequestram o Embaixador dos EUA no Brasil após a declaração do AI-5, um decreto governamental que proibía a liberdade de imprensa e dos direitos civis. Sendo o Embaixador sequestrado, os jovens determinam que quinze presos devem ser soltos e enviados para o México e que a notícia seja mostrada nas principais rádios e televisões do Brasil.

Embora eu tenha apreciado bastante O que é isso Companheiro? por diversos motivos que falarei mais para frente, eu não gostei do fato do filme parecer uma versão americana do que ocorreu no Brasil. O filme mostra poucas imagens do que ocorria nas ruas, das torturas, dos jovens (há somente uma cena) e se foca na intervenção que os jovens causaram com o embaixador dos EUA, sem falar do relacionamento explítcito dos EUA apoiando a ditadura no Brasil. Para o filme ficar marcado, deveria abrenger muito mais sobre a ditadura, do que apenas este caso, e ter falado mal sim da terra do Tio Sam, que apoiou muitas ditaduras.

Porém o filme tem grandes atores e fatos. A participação da Fernanda Montenegro como uma dona de casa e realizando uma denúncia para a Polícia Militar mostra como a classe convervadora da época apoiava a ditadura (viu só como existem velinhos do mal e mal educados por aí?). Em outra cena, a mulher do policial interpretado por Marco Ricca, fica chocada (aloka) quando descobre que haviam torturas, e que seu marido as realizava. Ou seja, ao mesmo tempo no filme está presente a inocência e o conservadorismo da época. Um ponto MEGA positivo!

E com certeza o filme é roubado pela atriz Fernanda Torres, filha da minha Fernanda Montenegro. A personagem de Fernanda começa como uma companheira forte, independente que aos poucos nos mostra seus verdadeiros senitmentos: aflição, desespero, confronto, liberdade, mostrando claramente o desespero enfrentado pelos jovens da época (claro, os que se importavam com política).

Mesmo tendo forte influência dos EUA no próprio filme (entre eles atores americanos, vistos apenas como pessoas elegantes e inteligentes), O que é isso Companheiro? vale por suas atuações e principalmente pela história dos jovens que lideraram este sequestro. E só para não falarem que sou um ser sem cultura novamente, EU acho, sabe, na MINHA opinião, essa pessoal, mas para vocês era óbvio que o filme estaria entre os indicados ao Oscar, não? Afinal, speaking in english é o american way of life. Sem falar que não existe em momento algum do filme uma pessoa criticando a influência dos EUA na ditadura. Por que será, né?

2 comentários:

alan raspante. disse...

Eu assisti este filme, já tem um tempo na escola, não lembro de absolutamente tudo, mas lembro que na época gostei bastante, vou ver se consigo revê-lo, e cara, é verdade em nenhum momento há mesmo uma critica em relação aos EUA, nem preciso dizer os motivos, você já falou....

Felipe Guimarães disse...

Alan, assisti para a escola, mas não nela. Hoje mesmo teve uma discussão sobre o filme e falei sobre o caso de não haver uma crítica contra os EUA, mas todo mundo entendeu errado para variar.