30 de setembro de 2010

ORAÇÕES PARA BOBBY- Como uma mãe ignorou a natureza do filho

Mãe: "O que foi que eu fiz para merecer isso?"

Continuando a nossa semana gay: os maiores problemas da nossa sociedade, e principalmente dos pais e adultos, é achar que o homossexualismo é uma escolha e que esta possui uma certa "cura", como se fosse fácil falar: "Homo agora está out. Hétero está in e a partir de hoje gosto do sexo oposto". Outro problema dessa elite homofóbica é excluir esta pessoa que teve a coragem de se revelar, e quando isso acontece, excluí essa pessoa do ciclo de amigos e parentes, além da pessoa já se sentir afastada por causa do medo que teve para se revelar. Talvez, Orações Para Boby seja o melhor filme sobre a pressão que os gays recebem, principalmente quando são jovens.

O filme retrata a história verídica de Bobby Griffith e sua mãe religiosamente viciada, Mary. Após Bobby se revelar para o irmão que é gay, e este revelar tal fato para os pais, a família americana perfeita despenca. Bobby, que antes era o "filho perfeito de mamãe", começa a ser ignorado por ela a partir do momento em que ele não se dedica mais para as terapias e sessões de "cura" para a sua "doença" e aceita sua natureza. Bobby era muito novo quando se revelou e a tensão sob ele era muito grande, até chegar ao ponto ao qual chegou.

De todos os filmes sobre homossexualismo, Orações para Boby é o melhor filme que retrata a tensão sobre a pessoa se revelar. Como uma pessoa pode se revelar quando todas as pessoas ao seu redor só sabem falar mal sobre o assunto, seja homossexualismo ou outro qualquer, porém importante? Além disso, Orações para Boby fala sobre a recusa dos pais. Bobby nem conseguiu se declarar gay para a própria mãe, que soube pela boca do outro filho. Porém, mesmo depois de Bobby ter suplicado pelo amor de sua mãe do jeito que ele é, ela recua. Ela parte para a ignorância e das às costas para o próprio filho, que esperava nada mais nada menos do que o apoio, e que se esse não houvesse que pelo menos não fizesse tudo que ela fez.

E para o papel da mãe está a espetacular e MINHA, apenas minha, Sigourney Weaver. Para alguns de vocês ela não pode ser muito famosa, mas ela é a cientista de Avatar e Alien (no qual recebeu uma de suas indicações ao Oscar), a mulher de Os Caça-Fantasmas, entre outros diversos filmes. A cena final e a cena da recusa da mãe pela sexualidade do filho são fortes e brilhantes! Na verdade, a personagem de Sigourney é como se fosse uma anti-heroína. Ao mesmo tempo em que temos raiva por ela durante grande parte do filme, nós a perdoamos, mas não esquecemos do que fez. O ator que interpreta Bobby, Ryan Kelley, é um bom ator até, mas que poderia ser bem mais dramático poderia.

Se seus pais estão naqueles dias de não aceitarem o lugar onde você pretende fazer faculdade, se você quer sair com os amigos e eles não deixam, ou se você quer dizer que é gay, mas não tem coragem de se revelar porque não sabe qual pode ser a reação deles, mostrem para eles Orações para Bobby para eles saberem o que acontece quando um pai é ignorante com seu filho e vira às costas para ele ou ela. E para acabar a semana gay, nada melhor do que um filme alternativo e cult: Má Educação! E lembrando sempre pessoal: comentem!

5 comentários:

alan raspante. disse...

Ótimo post Felipe. Já tinham me recomendado este filme, mas até agora não vi. A temática é muito boa e realista, já que com vários jovens acontece a mesma coisa, já imagino a minha mãe vendo este filme, hehehehehe.

Abs.

Cristiano Contreiras disse...

Muito bom seu post pra um belissimo e apuro filme que preza a sensibilidade! é tão tocante que doi...doi alma, doi o pensamento...eu me identifiquei muito.

em breve reviso ele e posto!

Felipe Guimarães disse...

Alan, aconteceu recentemente um segundo Bobby! Um menino tinha gravado cenas íntimas com outro menino e vasou. Ele pulou da ponte. Ele tinha acabado de entrar na faculdade....

Cristiano, posta sim! Você soube que teve um menino recemente que também pulou da ponte?? Foi no final do mês passado! Um horror!!

FM disse...

Parece muito bom.

Verei assim q tiver oportunidade.

Felipe Guimarães disse...

FM, aproveite! Pessoas p/ quem indiquei o filme falaram que nunca choraram tanto num filme!