28 de novembro de 2010

O ESCRITOR FANTASMA- Descobri meu problema com Polanski

E qual é?


Praticamente todo cinéfilo admira o Roman Polanski. O cara fez O Pianista (que eu acho um filme fraco e que meu amigo vai me matar por dizer isso, embora ele já saiba), O Bebê de Rosemary (que pra mim não funciona como filme de terror, mas um bom suspense), fez sua versão do clássico Oliver Twist e ficou conhecido também por seu famoso Chinatown. Então por que eu tenho tantos problemas com o diretor? Descobri em seu mais novo filme: O Escritor Fantasma.

A história do filme é sobre um ex-primeiro-ministro que decidi escrever um livro sobre as suas memórias. Porém, o primeiro-ministro não é um escritor e nem tem talento para ser um. Para isso contratam um escritor fantasma, um escritor que ajuda o primeiro-ministro a escrever um verdadeiro best-seller. Mas as coisas parecem fugir do controle e o escritor não sabe no que acabou se metendo.


A história até parece um filme normal, e é mesmo. Um grande acerto do Polanski é que ele cria uma bela tensão deixando nós como o próprio personagem sem conhecimento sobre o assunto, como se nós fossemos o personagem e estivéssemos vivendo o que ele está vivendo. A conslusão do filme também é perfeita! Não tinha outra saída a não ser aquela. Mas então, qual meu problema com o diretor?

Meu problema com Polanski é que ele cria essa tensão, mas não consegue fazer com que ela dure. O caso do escritor com a protagonista é um belo exemplo disso. Criou uma tensão numa primeira parte, mas ele não explica e nem retorna. Mas além disso, o filme tem duas horas de duração. Facilmente poderia ter sido cortado quarenta minutos do filme. Polanski demora muito para concluir tudo, ainda mais quando a tensão não dá certo.

Em questões de atuação, Polanski conseguiu fazer algo que eu nunca pensei que fosse possível: Pierce Brosnan está atuando muito bem em Escritor, algo que eu nunca vi e nem pensei que poderia existir! Polanski aproveitou a canastrice do próprio ator para compor o personagem. Como se diria: "é o papel de sua vida". Ewan McGregor também está muito bem, e ainda não sei como ele nunca foi indicado ao Oscar. Olivia Willians também está ótima. Resumindo: um ótimo elenco! Ainda mais com a participação da adorável Kim Catrall.

Sendo assim, recomendo que você assista O Escritor Fantasma, pois o que pode não ter me deixado com tensão pode fazer com que algumas pessoas fiquem se pendurando em namorados ou até mesmo chorar no colo da namorada. Não sei qual situação é mais bizarra e nem sei por que escrevi isso se o filme não é drama nem terror. Talvez seja melhor encerrar esse texto por aqui, para não ficar mais podre do que já está. Mas lembrando sempre: Comentem!

2 comentários:

Luciano Carneiro disse...

Bom, sou fã do Polanski (O Bebê de Rosemary, Chinatown, Repulsa ao Sexo, O Pianista - um, dois, três, quatro obras primas!, quem mais pode se gabar de um currículo desses?), então sou suspeito pra falar. Mas adorei O Escritor Fantasma, um suspense tipicamente polanskiano, com construção de tensão constante, clima contido e aterrorizante e um final sem esperanças.

Felipe Guimarães disse...

Luciano, pois é! Desses que vc falou vi dois e não acho nenhum uma obra-prima (se bem que quero ver O Bebê de Rosemary de novo).