10 de dezembro de 2010

A GAIOLA DAS LOUCAS- Finalmente um musical que orgulho de falar que é "Falabella"!

Já entrei abalando! Aloka!

disse em diversos posts o quanto Hairspray foi decepcionante para mim, então não preciso repitir nesse, embora já o tenha feito. Continuar criticando e criticando desse jeito vai me tornar no Felipe Neto dos blogs, e isso com certeza eu não quero! Então, tenho o orgulho de anunciar que finalmente o Miguel Falabella acertou tanto em direção quanto na tradução de um musical. Finalmente tenho a honra de falar que fui num musical Falabella, o tão aclamado: A Gaiola das Loucas.

Para quem não sabe, A Gaiola das Loucas é um filme clássico francês que já foi adaptado para o cinema na versão americana com o Nathan Lane e com o Robbin Willians, e também adaptado para um musical. Na versão musical, a história se passa na França, em St. Tropez. Georges é casado com Albin, que de noite se apresenta no cabaré de seu marido entitulado: "A Gaiola das Loucas" como a grande Zazá. Georges teve um filho com uma mulher, mas é junto com Albin que o cria. Aos vinte e quatro anos o jovem se casa, porém a mulher com quem quer se casar é filha de um deputado moralista homofóbico.

Embora bem caricato, até demais, Gaiola consegue divertir. Lógico que existe o exagero de Falabella, e o mordomo é a prova viva disso, assim como o próprio Miguel em algumas cenas. Para quem gosta disso com certeza vai rir à beça. Mas que não gosta realmente não vai gostar. Afinal, como o próprio Miguel disse: "Sou mais apresentador...", referindo-se claro, a sua atuação, ainda bem no estilo de Sai de Baixo. Mas a grande sacada de Gaiola é fazer tudo parecer tão natural, tanto nas atuações escrachadas como nas cenas realmente sentimentalistas, essas o ponto G do espetáculo.

Eu disse várias vezes que não gostava da voz grave do Diogo Vilela para o papel de Zazá, e ainda não gosto, mas com o decorrer da peça você até deixa "a onda te levar", e se você não fizer isso, o musical pode ser para você um pé no saco. Aproveita! Ouça a música que é o mais de importante! "Eu sou o que sou!", "A vida é boa quando você está aqui", "Só há uma vida" (não é assim, mas a ideia é essa), é um musical que fala praticamente o que Rent- Os Boêmios defende e que é o meu jeito de viver: a vida é só uma, então viva como você é e como quer!

Lógico, figurino, cenário, tudo está praticamente perfeito, afinal sendo uma superprodução do Falabella, tinha que ser. Mas finalmente, o diretor e versionista conseguiu achar um musical que se encaixasse na sua personalidade musical. Nem parece que o versionista de Hairspray é o mesmo de A Gaiola das Loucas (mesmo tendo uns pequenos erros). Pra mim, Gaiola vale bem mais os sessenta reais que gastei em Hairspray. Mesmo tendo seus pequenos erros no elenco e da comédia escrachada em muitos momentos, A Gaiola das Loucas foi muito bem traduzido e feito. Como eu disse antes, é finalemte um "Falabella"!

2 comentários:

FM disse...

Poxa... Nem fiz questão de ver aqui no Rio por causa de Hairspray.

Felipe Guimarães disse...

FM, quase perdi Gaiola por causa disso tb! Agora vou sempre primeiro pagar num lugar visível para ver se é bom. Se gostar, vou de novo e sento na frente...