4 de dezembro de 2010

"MAMMA MIA! ME QUEBREI DE NOVO! MAMMA AGORA FALI-I! MAMMA MIA! COMO RESISTIR-IR? É SÓ SENTAR E ASSISTIR-IR"

Perdi todo meu Money, Money nessa história

Se tem uma coisa que os leitores do blog sabem é que me desapontei muito com Hairspray. Gosto bastante do filme, mesmo tendo o Zack-não-sou-mais-tão-famoso-agora-Efron. Mas a peça foi simplesmente uma abominação. Amei a Simone como Tracy, o Celulari como Edna, e alguns outros atores, mas o som estava podre, a história ficou boba demais (por causa de algumas atuações), a tradução estava péssima (Falabella melhorou em Gaiola, pelo menos pelos videos que vi), etc. Já Mamma Mia! é feito com excelente qualidade, mas não vale o preço que estão cobrando e o que é apenas um bom divertimento acaba se tornando um alto investimento.

A história para quem não conhece (e para quem conhece já está careca de saber porque já falei umas mil vezes no blog [quem estiver careca pode dar um "oi" pro pessoal). Sophie nunca conheceu seu pai. Num dia encontrou o diário de sua mãe e viu que ela possui três possíveis pais, e então decide chamar cada um deles para seu casamento, sem sua mãe ter consciência de nada. Um dia antes do seu casamento, os três possíveis pais aparecem e a mãe de Sophie, Donna, entra em desespero.


Se tem uma coisa que eu já posso falar que eu prefiro bem mais do filme no que na peça é o foco de Donna e Sophie. No filme, Donna é mais estrela do que Sophie, e acaba havendo um balanceamento entre filha e mãe, assim como destaque para Streep e Seyfrield. Já na peça, Sophie (Pati Amoroso) aparece bem mais que sua mãe (Kiara Sasso), mas seu personagem é bobinho comparado com o de sua mãe.


E se tem uma coisa que Mamma Mia! acerta em cheio é no trio feminino. Infelizmente não pude ver Kiara Sasso em cena (paguei na frente principalmente para vê-la), mas a atriz Heloísa de Palma também se sai bem como Donna. Andrezza Massei é o principal destaque do espetáculo, interpretendo a divertidísima Rose. Rachel Ripani é cômica como a incrível Tanya. Do trio dos homens, destaque para Cleto Bacci (Harry) e Saulo Vasconselos (Sam), ambos com vozes suaves no estilo ABBA, principalmente Bacci. Carlos Arruza (Bill) é carismático, mas sua voz grave não se encaixa no musical, que deve ter como princípio, ao meu ver, atores como vozes mais agudas.


Dos problemas que podem aparecer em Mamma Mia! o principal é o preço do ingresso. Mesmo tendo pago uma enorme quantia pela produção, Mamma Mia! possui praticamente quatro cenários (hotel, fundo e laterais azuis, lua e luzes do final). Além disso, a história é bem boba mesmo, uma típica comédia romântica. As letras, embora bem traduzidas por Claudio Botelho e focadas para contar mais sobre a história do que fazer uma versão brasileira ABBA das músicas, acabam perdendo em algumas cenas um pouco das "raízes" da banda.


Pelo ingresso que está custando, pelo menos na frente (e para inteira), Mamma Mia! é um musical para se assistir de quarta-feira, para pagar no balcão e descer para a plateia. Descobri isso do pior jeito: paguei na frente num lugar que pensava que era bom e praticamente não vi partes do primeiro ato, sem falar que fiquei de costas para os atores. Tudo acontecia praticamente do lado esquerdo do palco! Por esse ingresso, pagaria para ver Gypsy, Despertar da Primavera, ou algum musical mais grandioso ou inteligente. Embora tenha grande elenco e divirta, Mamma Mia! fica apenas para diversão, e divertir com esse preço é facada. É pedir pra falir (pode me colocar nessa lista!).

4 comentários:

Fernando Simão disse...

Nessas horas da vontade de se matricular numa facu, pra poder pagar meia! Kkkkk... Já estou juntando $$$ pra levar minha namorada na platéia A. Excelente critica! Parabéns pelo blog!

Gabriel Justo disse...

AMEI "Mamma Mia!", mas pelo que eu entendi, você sentou na plateia A, numa poltrona de 27 pra cima, né?
Eu sentei na fileira F, p4, e deu pra ver de boa.

Mas o problema é que TUDO que a T4F tem que ser caro. Ao contrário da Aventura, por exemplo, eles só preocupam com o lucro, e nunca com o público. :/

Mirella Santos disse...

Ah, gostei da sua crítica tbm. Apesar do preço salgado eu fiquei ansiosa pra ver, mas é praticamente impossível pra mim, além do preço do ingresso teria passagem área, mesmo assim parece que ficou uma produção divertida tanto quanto o filme. Abraços

Felipe Guimarães disse...

Fernando, eu nunca vou parar de estudar por causa disso! Sempre vou querer pagar meia! Obrigado pela visita!

Gabriel, eu sentei no canto mesmo, na primeira fileira, lugar 4, se não me engano!
Concordo plenamente com que você disse sobre a Aventura!

Mirella, e bota salgado nisso!! hahaha. Ficou divertida, mas o divertido acaba saindo caro. Quando isso acontece, para de ser divertido.