28 de fevereiro de 2011

O PROBLEMA DO OSCAR NÃO FOI SER PREVISÍVEL, POIS ISSO JÁ ERA PREVISÍVEL

Agora que ganhei vou discursar de novo? Só me ferram...


Que ontem aconteceu o Oscar todo mundo sabe. Que Discurso do Rei ganhou de Melhor Filme também. Na verdade, todo mundo já sabia praticamente quais seriam os possíveis grandes vencedores da noite (A Origem, Cisne Negro, Discurso do Rei, Rede Social, etc) e os possíveis azarões (Inverno da Alma, Bravura Indômita, 127 Horas e Minhas Mães e Meu pai). Mas então, qual foi o problema do Oscar? A falta de ser uma grande cerimônia.


Foi tudo muito rápido, cru e frio. Não havia grandes piadas de Anne Hataway e nem de James Franco (esse que parecia desinteressado pela noite). Os números musicais, aliás, o único número musical de Hathaway, foi curto, mesmo sendo engraçado (assim como os que foram mostrados nos outros filmes). Franco estava frio e nem parecia um apresentador. No número musical final, embora estivesse presente o cenário lindo da cidade Esmeralda, se não me engano, do Mágico de Oz, o clichê feito sobre medida de um Criança Esperança não escapou. A verdadeira atração dessa edição foi o cenário, simplesmente magnífico!


Os grandes destaques da noite nem foram os principais prêmios de Filme e Diretor, mas sim de ator e de atriz. Natalie Portman merecia um Oscar há muito tempo, só precisava de um papel que a consagrasse. Colin Firth ganhou mais do que apenas seu papel por O Discurso do Rei, mas também pela sua indicação do ano passado em Direito de Amar (e pelo qual deveria ter ganhado). E o que foi Alice ganhar 2 Oscars, quando Bravura e 127 Horas saíram de mãos abanando? Isso sim foi lamentável meu caro Watson!

Todo mundo sabia praticamente quais eram os grandes vencedores da noite, bastava apenas fazer uma cerimônia memorável, como foi a de Hugh Jackman no ano de O Lutador, Benjamin Button, Quem Quer ser um Milionário?, entre outros, e nos anos que tinham comediantes, que pelo menos eram divertidos. Esse ano o Oscar estava frio e conservador, assim como a elite oscariana que vota nos filmes. Sem falar que sabemos que grandes obras não precisam ganhar o Oscar de Melhor Filme. Eles já são um marco.

2 comentários:

Ricardo Martins disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ricardo Martins disse...

omentando quase um mês depois...

Jesus Christ! O Oscar deste ano, empolgou...empolgou e quando aconteceu, foi aquilo. Como você disse, tudo muito rápido e frio. Não sei, o que aconteceu com o James Franco, se ele estava chapado ou sei lá o que? Onde ficou a simpatia que ele demonstrava nos promos? Já a Anne foi uma (princesa) :)

Melhores momentos da noite, entrega de Melhor Atriz para a Natalie Portman e a Sandra Bela Bullock, fazendo todo mundo rir!

E o 'Discurso do Rei' ter ganhado como Melhor Filme, para mim, isso foi previsível. O Oscar e seus moldes tradicionais! A Rede Social era minha torcida, e como alternativa Cisne Negro.

Enfim, o Oscar, como diria meu amigo Thiago, pensa que filme bom é somente filme que é sério!

Concordo Felipe, o cenário foi a atração deste ano!

P.S>>>>> o que foi aquele vídeo de Eclipse na cerimônia! Argh!