1 de março de 2011

ENTENDA PORQUE "O DISCURSO DO REI" GANHOU O OSCAR

Vai me-me-me-mete o pau agora, né?

Essa postagem não é apenas para falar do vencedor dos grandes prêmios da noite, O Discurso do Rei, mas também do Oscar 2011 no geral, e porque os outros filmes não poderiam ter ganhado o prêmio, pelo menos ao meu ver e pelo que eu tenho visto da cerimônia até hoje. Será uma coisa bem rápida, prometo.


Três filmes, sendo eles 127 horas, Inverno da Alma e Bravura Indômita, foram os azarões da noite. Mas isso alguns já sabiam. Embora Guerra ao Terror tenha ganhado os grandes prêmios no ano passado, Inverno da Alma não fala sobre a Guerra do Iraque (um dos motivos do filme do ano passado ter sido o grande vencedor). Bravura Indômita é um remake, então já estava numa situação difícil, mesmo nas mãos dos irmãos Cohen. 127 Horas é um bom filme, mas a concorrência era grande.


Toy Story 3, embora tenha ganhado o prêmio de Melhor Animação, não era um dos favoritos a ganhar de melhor filme (pena) por ser uma animação, um erro falho da Academia que não vê filmes de animação como grandes filmes. Aliás, se alguma animação ganhar o principal prêmio do Oscar será um milagre. A meu ver, para a Academia, admitir que uma animação ganhou o principal prêmio é admitir que os filmes "normais" estão em decadência, mesmo que a animação seja o melhor entre os indicados.


Minhas Mães e Meu pai entra na mesma situação de Pequena Miss Sunshine: uma comédia diferente, moderna (odeio essa palavra nessa frase), provavelmente divertida (já que não vi), mas que não poderia ganhar por ser uma comédia. A Academia gosta de filmes bem dramalhões, como é o caso de O vencedor, que assim como os outros favoritos, não ganharia por causa da grande concorrência.


A disputa mesmo foi entre A Rede Social e O Discurso do Rei. O primeiro longa marca uma década, ou como dizem, a "minha" década (já tô velho mesmo). O segundo é um filme sobre falar em público e motivar as pessoas. Acredito que a Academia não pensou duas vezes: Discurso ganharia.


"Mas e Cisne Negro?". Ah meu caro leitor, você acha mesmo que eu deixaria esse filme de lado? Claro que não. Afinal, pra mim, Cisne foi o melhor drama de 2010 e um dos melhores filmes da década, fácil (e muita gente também concorda que deveria ganhar Melhor Filme). Mas Cisne é um filme para sentir. Quem ama, ama, quem odeia, odeia. É simples e cruel desse jeito, sem falar que é um filme artístico. A Academia quer algo mais concreto, palpável (eis a escolha de Discurso).


Mas é como eu disse antes pessoal: filme que ganha Oscar ganhou um prêmio. Filmes que ficam marcados na história do cinema são eternos. Muitos vencedores do Oscar são esquecidos até hoje. Laranja Mecânica, Psicose, Tempos Modernos, entre tantos outros filmes desses grandes diretores, Kubrick, Hitchcok e Chaplin, são exemplos de filmes que nunca ganharam o Oscar na categoria de Melhor Filme, assim como seus diretores que nunca ganharam o Oscar na categoria de Melhor Direção. Mas seus nomes são um marco. São eternos.

4 comentários:

- Dilly disse...

na boa, pra mim o OSCAR é "O" premio! mas, avaliando o que você disse no último parágrafo, acho que tem razão. talvez o OSCAR seja somente uma estatueta, talvez os criticos sejam muito objetivos. e vendo por esse lado, talvez os filmes não devessem concorrer a prêmio nenhum, depende da emoção de quem o viu, de quem o avalia.
de qualquer forma, os prêmios foram bem dados.

Diego Lanza disse...

Cisne negro vai ser eterno, certamente!

Felipe Guimarães disse...

Dilly, quando eu era pequeno tb achava o Oscar como "O" prêmio, até descobrir a realidade dele. Eu acho mais é que a Academia deveria ter mais e mais diretores, atores, produtores, ou seja, pessoas mais jovens!

Diego, pode apostar nisso!

Ricardo Martins disse...

Concordo, filme que ganha um Oscar ganha somente um prêmio. O importante mesmo é marcar história, seja pela perfeição, pelo público, pelo tema, pela qualidade, pelo entretenimento...

É realmente chato perceber, que a academia não se renova com o tempo, vamos ver o que virá em 2012.

Constatei definitivamente que: O importante não é o Oscar e sim, sempre, os filmes no geral.