12 de março de 2011

RANGO- Embora bem realizado, não contém uma boa história

WTF?


Lembram-se quando eu disse que eu gostei muito de Bravura Indômita, embora o filme tenha ficado menor por causa dos irmãos Cohen? Pois é, isso ainda não mudou, pelo menos até agora. Porém, pra mim, o filme continua sendo um dos melhores de faroeste que eu já tenha assistido nos últimos tempos. E essa semana, Rango, uma animação no estilo de faroeste, chega as telas do cinema. E não falo isso com muita alegria.

A animação da Nickelodeon é sobre um camaleão de estimação que acaba caindo do carro dos seus donos durante uma viagem. Agora ele tem que sobreviver no deserto e criar uma identidade própria. Ao chegar numa cidade, o camaleão se auto intitula como Rango e se torna o xerife. O problema é que a cidade está com pouca água por causa da seca e Rango terá que arrumar uma solução para esse problema.

Mesmo com uma beleza técnica e um excelente design, a história de Rango não consegue sobreviver até o final e o filme não consegue entreter. Quero dizer, na primeira parte do filme, Rango é engraçado, tem diálogos legais e a história tem um foco: Rango não possui identidade nem personalidade, pois sempre foi um camaleão de estimação. Mas quando o protagonista vai para a cidade e se torna xerife, podem se preparar porque suas bundas vão parecer quadradas na poltrona do cinema. O filme fica numa enrolação que ninguém consegue apreciar (exceto fãs do Johnny Depp).

E antes que vocês me digam que é um filme infantil, me defendo usando a criança que estava comigo na sessão. Nem ela aguentou o filme! E filmes infantis existem de monte, mas os inteligentes são os que conseguem entreter adultos e crianças e que tenham uma boa história. A Pixar, o Studio Ghibli (do Hayao Miyazaki), e a Dreamworks - se continuar trabalhando do mesmo jeito que realizou Como Treinar Seu Dragão - são as grandes animadoras, e não é de menos. Não basta apenas entreter para ficar marcado. Tem que ter alguma coisa para ser passada para as crianças.

Sem ter alguma mensagem por trás, nem mesmo a voz de Johnny Depp consegue salvar Rango (isso já não sei porque vi o filme dublado). Embora a beleza técnica, a história fica a desejar - e muito - a partir do momento que ele encontra a tal cidade. A partir desse momento só vemos calamidades e coisas que podem facilmente causar um sono geral nas salas do cinema.

2 comentários:

Alan Raspante disse...

Concordo contigo. Embora tenha gostado um bocado, achei sem história e cansativo demais. Quem gosta de faoeste vai amar... só.

FM disse...

Ainda não assisti, mas o comentários q li sobre o filme é q ele não é um infantil. Foi uma animação feita para adultos e que possui piadas e referências q crianças nao entenderiam. Enfim, pretendo assistir essa semana e ver qual é a desse Rango.