9 de abril de 2011

FILMES RESUMIDOS NUM PARÁGRAFO #7

Eu não posso fazer essa escolha!


Fazia tempo que eu não escrevia para essa área do blog. Na verdade, como eu já tinha dito antes, a frequência de postagens no blog está ficando cada vez menor, mas sempre estarei presente, seja num intervalo de apenas um dia ou num intervalo de quase quatro dias. Mas voltando ao assunto: sempre estarei aqui e principalmente para falar de filmes!

Faz uma semana que eu fui ao cinema assistir ao filme Sem Limites, que é do mesmo diretor que do O Ilusionista. Eu gosto bastante do Ilusionista, mais do que O Grande Truque, que muita gente ama com todas as forças. Mas não consegui gostar de Sem Limites e eu estava pensando que estava sendo um chato novamente que não gosta desses filmes blockbuster. Ainda bem que eu estava na presença de mais três amigos que gostam desse tipo de filme e que também não gostaram. A ideia é boa e a fotografia também, mas existem tantas falhas no roteiro que não dá para imaginar que o final destinado ao protagonista e ao vilão seja possível.


Outro filme que assisti recentemente é o famoso dramalhão A Escolha de Sofia. Gostei bastante do filme, só achei sua primeira hora muito grande. Muitos dizem, e eu concordo, que essa parte poderia ser resumida em trinta minutos, pois as partes realmente boas são as partes em que Sophie está no campo de concentração e quando faz sua famosa escolha, sendo essa uma cena extremamente pesada, perfeita para pessoas com corações fracos, prontos para chorar por qualquer coisa. Meryl Streep mereceu o Oscar, pois mostra que consegue interpretar todas as situações de sua personagem com maestria, sem falar que fica irreconhecível quando começa a falar polonês.

2 comentários:

Alan Raspante disse...

Sem Limites eu ainda não vi. Agora, "A Escolha de Sofia" é um filme que demonstra toda a versatilidade de Meryl, ela está incrível. Não chega a ser o meu filme favorito, já que tem suas cenas desnecessárias... mas Meryl está tão...tão incrivel, que isso se torna um mero detalhe!

abs.

Felipe Guimarães disse...

Alan, olha, "Sem Limites" eu não recomendaria, mas é como eu digo, cada um tem seu gosto e pode acabar admirando a história. Sofia seria muito melhor sem as cenas desnecessárias. A hora da escolha, acho, muito tensa!