22 de maio de 2011

PIRATAS DO CARIBE: NAVEGANDO EM ÁGUAS MISTERIOSAS

- Jack! Vou matá-lo!


Nem coloquei um subtítulo nessa postagem já pelo tamanho do nome do novo filme da franquia Piratas do Caribe, provavelmente uma das mais marcantes franquias que temos no início dos anos 2000. E nem preciso falar sobre a presença de Jack Sparrow, preciso? Aliás, há alguma dúvida que só houve uma continuação por causa dele? Agora, o que é feito em Piratas do Caribe: Navegando em águas Misteriosas é bem diferente do que ocorria nos outros filmes.


A história se passa alguns anos depois do último filme. Jack, Barbossa e Gibbs continuam a procura da Fonte da Juventude. Jack perdeu o Pérola Negra novamente para Barbossa, que perdeu sua perna numa luta contra o sanguinário pirata Barba Negra, assim como o Pérola Negra. Além deles, o próprio Barba Negra e Angelica, sua filha e antiga paixão de Jack, procuram pela tal fonte.


A pior falha desse novo filme é o roteiro. No nível que a franquia está, uma história mal contada é mais do que um erro grave. É um mal cuidado. Nesse filme, embora o foco seja a Fonte da Juventude, vários obstáculos pelos quais os personagens passam são desnecessários e pouco interessantes. Na verdade, são tantos esses pequenos obstáculos, bobos, que o filme perde foco e ritmo.


Os efeitos estão sempre bem. Claro, é quase impossível a Disney fazer um filme com efeitos especiais da pior qualidade, ainda mais falando em Piratas do Caribe. Mas não vi necessidade de ser em 3-D. Até hoje, Avatar foi o único filme que valeu a pena ver em 3-D. Muitas pessoas gostam da espada na sua frente, da água vindo em sua direção, mas nada se compara com o realismo e a noção de profundidade que possui o filme de James Cameron.


Depp está normal, assim como Penélope Cruz. Na verdade, creio Depp já deu o que tinha que dar para a franquia, ainda mais com a história toda praticamente voltada para ele. Penélope Cruz não recebe muito destaque, mas realiza muito bem as suas cenas, nada extraordinário. Porém, Geoffrey Rush, o eterno Barbossa, retorna em seu papel e rouba as cenas como também faz em O Discurso do Rei e em vários outros filmes.


Ou seja, um dos mais fracos da franquia, Piratas do Caribe: Navegando em águas Misteriosas é uma decepção para quem quer ver uma nova e grande história. É um filme mais para rever os personagens que tanto amamos e conhecer novos e divertidos personagens. Porém, valia a pena mesmo terem feito esse filme? Certeza que não, ou melhor, seria bom terem pensando numa história (ou desculpa) mais elaborada para continuar a franquia.

Um comentário:

Alan Raspante disse...

...Nem vou me prestar o serviço de ver no cinema. Nunca gostei muito da franquia, agora então... vixxe!