6 de outubro de 2012

VOCÊ VAI VOTAR NO DIA 7 DE OUTUBRO


Essa é uma postagem para todos os cidadãos da cidade de São Paulo, principalmente para quem vai votar neste domingo. Será um texto breve e indolor, prometo, pois sei que muitos de vocês não gostam do assunto. Porém, é preciso falar sobre ele, mesmo que você não acredite em política. Aliás, acho que se eu disser que o Brasil é um dos países mais democráticos do mundo eu receberia uma ovada coletiva. É impressionante como o brasileiro acha que, por seu candidato não ter sido escolhido, a nação inteira não pensa de forma consciente em quem a representará no período de 4 anos. Mas vamos nos focar um pouco nas eleições de 2012 para a prefeitura de São Paulo.

Não dá para falar sobre as eleições sem falar sobre os planos de cada um dos candidatos. No início das eleições apenas o candidato Celso Russomanno tinha em seu site os planos que tinha para a cidade, mesmo que de forma vaga. José Serra, Fernando Haddad, Gabriel Chalita, Soninha e outros ou não tinham seus planos bem divulgados ou nem tinham os planos em seus sites. Ainda hoje, Serra, Haddad e Soninha não apresentam de modo esclarecedor seus programas de governo. Quem evoluiu bastante foi o candidato Chalita, que tem em seu site todos os planos para sua gestão (e até agora o melhor site).

E infelizmente as eleições tiveram cunho religioso (de novo). É vergonhoso como um país que se diz laico tenha a adoração a Deus como uma das formas para conseguir votos dos eleitores, algo que afeta não apenas a liberdade religiosa como também a influência da religião na criação de leis e comportamento. E isso não é apenas para Russomanno, que possui um grande apoio das igrejas protestantes, mas para todos os outros candidatos (quem leu uma edição da revista Veja que fala sobre a aliança política e religiosa presente nas eleições sabe do que estou falando).

Outro assunto que foi pouco discutido foi a Copa de 2014 (comentada apenas no início dos debates). Aliás, é de extrema importância pensar, quando você for votar, em quem você quer que planeje a estrutura da cidade e sua recepção para o evento mundial. São Paulo é uma das cidades sedes e uma das cidades mais importantes do mundo. Seria vergonhoso uma estrutura precária, sem preparação (ainda temos 2 anos para a Copa) e falta de dedicação. Sem falar que, se o governo precisar investir mais dinheiro na Copa pela falta de planejamento da prefeitura, depois é o povo que pagará em impostos.

Creio que, de todos os assuntos discutidos, os mais falados foram a transformação de favelas em bairros e a educação. Nada mais justo. Do ponto de vista econômico, tirar uma pessoa da miséria é ter um novo consumidor dentro do mercado. Do ponto de vista social é um modo de integrar essas pessoas numa infraestrutura de qualidade, um melhor bem-estar social e acabar com a concentração do poder da classe A e B. Já sobre a educação, os candidatos que menos podem falar sobre o assunto são Serra, Haddad e Chalita. Serra e o PSDB devastaram a educação pública da cidade, Haddad e o PT fizeram o pior planejamento possível na hora de efetuar o ENEM no Brasil (casos de roubo da prova e de questões são apenas alguns exemplos) e Chalita fez pouco na sua gestão para resolver os problemas da educação.

Mas, de todos os candidatos, preciso falar essencialmente sobre três: Levy Fidelix, Paulinho da Força e Carlos Giannazi. Fidelix se mostrou um parasita. Sem se esforçar para ganhar a eleição, o candidato debochou das pesquisas, não atacou os adversários nos debates (pedindo apenas as opiniões dos mesmos) e acredita que todos os problemas de São Paulo podem ser resolvidos com a criação de um banco (maior falta de planejamento não há) e um monotrilho. Já Giannazi é o oposto: criticou tanto seus adversários que nem disse ao certo quais são seus planos para a cidade (vagos ainda em seu site). Paulinho da Força, por sua vez, acredita que todos os problemas podem ser resolvidos mudando tudo que existe para a periferia. Mover uma universidade para a periferia apenas vai intensificar mais o trânsito, uma vez que o problema não é o local da faculdade, mas sim o fato da periferia não fazer parte do grupo de pessoas que compõem o instituto (ainda dominado pela elite paulistana).

Então tome muito cuidado na hora de votar neste domingo. Não pense que só porque você vota no PSDB você tem que votar no Serra ou só porque você vota no PT você tem que votar no Haddad e assim vai. Hoje é muito mais importante você votar num político por causa de suas propostas do que pensar em que partido ele está, pois nem sempre o fato de uma pessoa estar num partido quer dizer que ela vá defender os mesmo ideais.